Pode beijar a noiva [Resenha Literária]


“Pode beijar a noiva” é um romance da Meg Cabot escrito na época em que ela usava o pseudônimo de Patrícia Cabot. Aliás, Meg escreveu vários romances com esse pseudônimo, tendo todos os livros algumas características semelhantes, pois são romances de época e vamos dizer assim, bastante adultos e “calientes”, isso bem antes de “50 tons de cinza”!

A história é sobre Emma, uma órfã que vive com os tios, mas tem uma relação muito próxima com a família dos primos Marbury, o conde de Denham e Stuart. O primeiro capítulo do livro começa com Emma discutindo com James (o conde) a respeito de seu casamento com Stuart, já que ambos pretendem fugir, uma vez que as famílias não aprovam o casamento, pois Stuart é um religioso que quer se mudar para um lugar bem distante e pobre, a fim de ajudar os mais necessitados. No entanto, todos acham que essa ideia é uma furada e ficam contra o casamento dos jovens, principalmente James, que secretamente ama Emma.


Ainda que todos fossem contra, Emma e Stuart fogem e se casam, mas seis meses depois Stuart morre misteriosamente assassinado e o assassino dá a Emma uma boa herança como forma de aliviar a culpa. Entretanto, o juiz local sabendo que Emma gastaria todo o dinheiro com caridade, coloca uma cláusula no testamento: Emma só poderá receber a herança caso se case novamente! Por conta disso, todos os homens solteiros do pequeno povoado em que Emma vive tentam desesperadamente se casar com ela!


E nesse rolo aparece novamente James, que vai até a cidade buscar o corpo de Stuart para ser enterrado na abadia da família, mas acaba encontrando Emma em uma situação bastante difícil. Como sempre fez em toda a sua vida, James acaba ajudando Emma e a propõe em casamento, obviamente por sempre ter sido apaixonado pela moça. Emma odeia James que foi contra seu casamento com Stuart e ainda contou aos seus tios seu plano de fuga, mas a convivência forçada desse novo casal vai mudar os sentimentos de Emma.

Eu particularmente adorei o livro, embora Emma me pareça uma personagem muito orgulhosa, demorando a admitir seus sentimentos por James e que o casamento com Stuart não foi uma boa escolha. Além disso, o enredo me pareceu fraco em coadjuvantes tendo toda concentração nos protagonistas, o que pode fazer com que algumas pessoas se cansem da narrativa, o que não foi meu caso. 

Outro ponto que vale destacar são as cenas de sexo do casal, como disse anteriormente, Meg foi percussora de “50 tons de cinza”, embora descreva cenas bem mais românticas, como todo o glamour de um livro romântico, não sendo vulgar em nenhum momento.

Enfim, “Pode beijar a noiva” é um romance bastante agradável que me cativou por ser histórico e por ter uma narrativa diferente dos livros adolescentes da Meg!

Dados do Livro

Livro: Pode beijar a noiva
Autora: Meg Cabot (Patricia Cabot)
Editora: Essência

Nota:



Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

7 comentários:

  1. Ler essa resenha foi muito explicativo pra mim que abandonei a leitura nos primeiros capítulos. Não digo que o livro seja ruim, porque não li todo, mas confesso que não me cativou. Acho que eu esperava um tanto de humor, porque li três livros dela como Meg Cabot.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas pela sua resenha acho que a história é um pouco mais interessante do que pensei.

      Excluir
    2. É Alê, a comédia não é mesmo o ponto forte do livro!

      bjs, Mi

      Excluir
  2. Pode beijar a noiva é um livro que vou ler lindamente, correndo o seríssimo risco de gostar!!! Embora eu critique livros hot eu gosto de cenas mais quentes desde que sejam liricas e pouco descritivas... dispenso detalhes sórdidos e adoro os românticos aiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  3. Tem detalhes jaci, mas nada vulgar demais!

    Michele

    ResponderExcluir
  4. Me surpreendeu saber que é um livro de época. Já está na fila. bjs

    ResponderExcluir