CCR [Música]

John Fogerty, Stu Cook, Tom Fogerty e Doug Clifford


Creedence Clearwater Revival. O nome da banda é enorme e a minha identificação com ela também. Banda americana dos fins dos anos 60 e início dos 70, o Creedence (ou CCR) foi uma das bandas que mais ouvi na minha infância. Meu pai tinha o clássico CD "Chronicle" com os maiores sucessos da banda e era trilha certa de fim de semana.
Fui atrás deles pra conhecer mesmo há pouco, quando tive vontade de ouvir e não achei o CD do meu pai; quando minha mãe me deu uma camiseta deles (que eu usei tanto que ela me deu outra). Aí fui atrás de descobrir o porquê do nome imenso. Minhas pesquisas da época me disseram que Creedence era uma amigo dos irmãos Fogerty, Clearwater era a marca de uma cerveja que tinha uma propaganda de sucesso na época e Revival porque eles eram unidos e felizes. Pra mim foi sempre Creedence, mas cheguei num nível de fã tal que por vezes é simplesmente CCR.
O vocalista e guitarrista, John Fogerty, pra mim sempre foi uma das vozes mais inconfundíveis da música. Há pouco descobri uma voz com quem pode-se confundir a do John: a voz do Tom, irmão mais velho e responsável pela outra guitarra do grupo, cuja carreira solo me encantou e fez desviar meus afetos do John para o Tom. Além dos irmãos, a banda contava com Stu Cook no baixo e Doug Clifford na bateria.
Iniciada em 1967, a banda existiu até 1972 e recebeu seu primeiro disco de ouro já em 1968 com seu álbum de estreia. Vida curta, sucesso longo. Até hoje CCR é uma banda muito conhecida e reconhecida na história do rock. E se há algo que me indigna são pessoas que vem me dizer de boca cheia que não conhecem Creedence. Isso não existe. Não há como não conhecer. Se tu achas que não conhece, ouça "Have you ever seen the rain?" e "Who'll stop the rain?", que não vou incorporar aqui por mera teima. Há muitas músicas deles a serem ouvidas, essas duas são só as imortais que todo mundo conhece, não os únicos sucessos.
Hoje há o Creedence Clearwater Revisited, com substitutos para os irmãos Fogerty (o Tom já morreu - era um querido, mas outro dia venho pra falar dele aqui; e o John tem uma carreira solo bem estabelecida - com a voz que tem, não é de estranhar). Confesso que nunca ouvi, mas nunca me interessei em ir nos shows que eles já fizeram no Brasil, mas se tem algo que me faz REALMENTE suspeitar da sanidade de alguém é dizer que essa formação é melhor que a original, é dizer o absurdo que o atual vocalista é melhor que o John Fogerty. QUE O JOHN FOGERTY. O JOHN FOGERTY. Não pode. Simplesmente não pode. Se há uma coisa sem graça nesse mundo é ouvir cover do CCR. A razão é justamente o vocal: nada se compara a voz de um Fogerty. Nada nem ninguém. É como a voz do Klaus Meine e de sei lá mais quem.
Enfim, vamos às músicas. Se há algo que me tranquiliza nessa vida e me lembra de bons momentos da infância (apesar de eu não ter 50 anos) é Creedence.
Bad moon rising (uma das minhas favoritas)
Down on the corner (como não adorar?)

Lookin' out my backdoor (a letra dessa música é tão querida quanto a melodia)


Molina (essa foi das que descobri agora e me fez adorar mais a banda)

Proud Mary (um dos maiores sucessos deles)

Agora me digam: como não conhecer? Como não adorar? Ah, o rock americano é sim um dos meus fracos... (suspiros)
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

10 comentários:

  1. Hum...que tudo de bom! Acredita que não conhecia uma banda boa dessas? Quando cliquei nos plays fui adorando cada canção,já favoritei! Obrigada pela dica...Se puder passa lá no mue blog também.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é tarde para se conhecer Creedence!
      Escuta o álbum "Chronicle" inteiro (tem o link lá no começo do post), que é capaz de achar uma deles que tu conheça... Se não achar, ao menos vai se encantar de vez com a banda!

      Excluir
  2. Os anos 60 foram incrivelmente dotados de criatividade. O melhor da música nasceu nesta época, CCR, Rolling Stones, Beatles e eu, hahaha! Brincadeiras à parte, excelente post, quem não conhece as músicas deles vai se deliciar.

    ResponderExcluir
  3. Eu amo CCR, mesmo tendo nascido em 76, conheci ainda menina e nunca parei de ouvir, já liguei na rádio pra pedir musica deles, também nunca me interessei por shows dos substitutos pois sei que não é a mesma coisa e nem deve chegar perto.
    Tenho varias musicas no meu pen drive e adoro ouvir viajando, lendo, pensando na vida, dançando, tomando banho, ou seja, toda hora.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu nasci em 92 e adoro eles... Mas ok, eu sou um ser meio atrasado no tempo! hahaha
      Acho que Creedence é daquelas bandas que não tem como não gostar. E eles tem a cara do rock americano, que é o original, afinal.

      Excluir
  4. Belo post musical, Tchê Seerig! Gosto bastante de CCR!
    Acho que conheci através de você ou foi da Allyne, mas não importa. O que importa é que eu conheci num belo dia essa baita banda.
    Dessas que você listou, adoro "Bad moon rising" e "Lookin' out my backdoor". Ah, e os sucessos dos sucessos, que você citou anteriormente, também conheço e gosto.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  5. Das bandas dessa década gostava apenas dos Beatles, mas curti bastante as músicas de CRR... Ótimo post. Beijos
    http://amostradelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O rock inglês é bem diferente do americano, pelo menos as bandas dos anos 60/70. A banda equivalente a Creedence na Inglaterra se chama Christie. Alguns textos dizem que Christie "era a resposta inglesa" a Creedence, mas apesar de alguns sucessos como "Yellow river", eles não atingiram os números de CCR. Mas Christie é uma boa banda, vale ouvir.

      Dica: http://www.youtube.com/watch?v=j57DuqI22JU

      Excluir
  6. Sabe, hoje eu acordei com uma música na cabeça que não soube decifrar de imediato, mas na medida que fui assisti Tv e sapeando pelos canais me deparai com o canal Cultura e um tal programa chamado “Inglês com música”. Tá, eu não sou chegada a essas coisas, porque eles sempre escolhem letras te teor mais fácil e da moda pra ensinar. Mas foi ai que eu tive uma surpresa.. Eles estavam estudando “Proud Mary”, que era justamente a música que eu tinha mal organizada na cabeça. Coincidência ou não continuei a assisti aquela atração e a prestar atenção aquilo. Me lembrei com isso de ti Ana, porque vc é sem duvidas uma grande fã deles e não faz questão de disfarçar, o que é muito bom!! Valendo lembrar, que eu só vim me interessar mais e mais por eles por sua causa tb. Então, beijão e atéee!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, que programa legal! E acho que tu foi a primeira pessoa a me associar a eles. Até hoje não sei porquê, mas é das associações que me deixa feliz. hahaha

      Excluir