Oh de casa! [Música]

Monumento aos Irmãos Bertussi no distrito de Criúva, em Caxias do Sul - RS
Nesses dias em que o sol aparece desse lado do mundo, pego o chimarrão e vou até o parque pra matear. Inevitavelmente inúmeras músicas gaúchas aparecem na minha cabeça ("Roda de Chimarrão" é a mais frequente), enquanto sinto falta dos gritos dos Quero-Queros do solo gaúcho. Da última vez, "Oh de casa" apareceu no meu retorno pra casa e resolvi que ela seria tema do meu próximo post aqui.
A canção é um clássico da música tradicionalista (ou nativista) gaúcha por dois motivos, a meu ver: 1. É o grande sucesso dos Irmãos Bertussi, Honeyde e Adelar, tidos como criadores da música do RS; 2. Ela usa uma expressão muito típica e, além de tudo, a letra é belíssima.
Os Bertussi nasceram no interior de Caxias do Sul, especificamente no distrito de Criúva, que na época pertencia a São Francisco de Paula (eis a razão da dupla ter uma canção chamada "São Francisco é terra boa" - o que é meio irônico se a gente for pensar que os criuvenses viraram a região do avesso pra fazerem parte de Caxias, enfim). Honeyde, dez anos mais velho que Adelar, foi autodidata e começou a tocar acordeon aos 10 anos. Adelar aprendeu também sozinho, com o instrumento do irmão, enquanto ele não estava em casa. Honeyde foi o precursor em colocar letra em músicas tradicionalistas e se apresentava em muitos bailes da região. Quanto teve um sério problema de saúde, Adelar o substituiu nos compromissos que tinha e, desde então, começaram a tocar juntos.
Lançaram juntos 6 LP's e, creiam ou não, Honeyde fez sucesso antes na região sudeste, onde participou de um programa de rádio e impressionou um importante convidado com uma canção pedida por ele, do que no sul. A dupla esteve junta entre os anos 50 e 60, depois se separaram. Como sou mais chegada no Honeyde, devo registrar que ele lançou mais uns dois discos belíssimos em sua carreira solo, antes de falecer num acidente de carro. Adelar ainda está vivo, enquanto seu filho Gilney lidera o grupo Os Bertussi. Os acordeonistas citam sempre que os irmãos foram também precursores no fato de dois acordeonistas tocarem juntos, o que, dizem eles, não é tão simples.
 Mas o post é pra música. A razão de eu querer trazê-la aqui é que o linguajar dela não é complicado para pessoas fora do RS como, aliás, a maioria das canções da dupla. Além disso, ela pode muito bem se encaixar em diferentes culturas e épocas, afinal, é a história de um viajante. Vejam:

Oh de casa!
Os Bertussi
Venho vindo de longe e muito tenho que andar
Por isso peço, patrão*, um lugar para pousar
Chegue seu moço o apeie, puxe o pingo** pro galpão
Neste rancho de gaúcho tem pousada e chimarrão
Oh de casa, oh de casa
Quanta alegria se sente quando alguém nos recebe
Oh de casa, oh de casa
E no dia seguinte a jornada prossegue
Mas quando se dá um oh de casa, na estância do bem-querer***
E só o eco responde, fazendo a gente sofrer
Sem rumo quase cansado, se sai sem ter direção
É o oh de casa mais triste na estrada da ilusão
Oh de casa, oh de casa
Só o eco responde, fazendo a gente penar
Oh de casa, oh de casa
E na estrada da vida a gente tem que pousar
Na estância lá de São Pedro, de joelho e chapéu na mão
Vou dar o último oh de casa, com respeito e devoção
Peço ao patrão do céu que de mim tenha piedade
Me arranje qualquer cantinho no rancho da eternidade
Oh de casa, oh de casa
Peço, patrão do céu, um cantinho pra mim
Oh de casa, oh de casa
Essa tropeada da vida, um dia chega a seu fim  
*A palavra "patrão" era usada como uma forma respeitosa de
falar com o dono de uma fazenda, especialmente se fosse desconhecida.
**Pingo: cavalo
***Estância do bem-querer: a casa da amada, no caso.
 E então, o que me dizem? Música aprovada? Posso postar mais música gaúcha por aqui?
Da gaúcha em solo alemão,
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Bom dia!
    Ane, acho suas postagens bem interessantes. Não fazia ideia da existência dessa musica, muito menos da existência desses irmãos. Gosto bastante de conhecer sobre esse 'Brasilzão'...

    Beijinhos,
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  2. Interessante como a diferença entre as regiões estão em tantas coisas, inclusive na música. Não conhecia, gostei.

    ResponderExcluir
  3. Como boa gaúcha, música aprovadíssima! E muito conhecida :)

    ResponderExcluir
  4. O Brasil e suas regionalidades, =D

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir