Jesus histórico. Uma brevíssima introdução [Resenha Literária]


Sinopse (skoob): Este livro procura mostrar como Jesus de Nazaré, o homem que viveu há dois mil anos, um personagem histórico, pode ser estudado e conhecido. Não se busca, aqui, abranger o cristianismo, a religião que se originou, de alguma forma, do homem de Nazaré, a não ser na medida em que a confissão cristã influiu na pesquisa sobre o Jesus Histórico. Nossa meta é mostrar o que se sabe e quais as discussões, por parte dos estudiosos, sobre a vida de Jesus
Livro: Jesus histórico. Uma brevíssima introdução.
Autor: André Chevitarese e Pedro Paulo Funari
Editora: Klíne


Olá, pessoal!

Sou Juliana e historiadora de carreira. E pretendo estar postando resenhas de livros na área de história. Mas, por gostar de várias coisas: literatura, cinema, música, jogos etc. Não estranhem caso eu fuja de vez em quando da temática. (risos) Minha experiência com blogs é um tanto limitada. Já que só tive um blog de importância na adolescência. [risos]

Para minha primeira postagem escolhi o livro Jesus histórico. Uma brevíssima introdução Os motivos para escolha são:

1) Adoro o tema e pesquiso sobre isso;

2) É um ótimo livro para quem está interessado em aprender sobre o assunto. Os autores são um dos maiores especialistas sore o assunto no país.

Agora sem demoras vamos ao tema da postagem.

O livro busca apresentar as principais temáticas sobre a busca pelo Jesus Histórico. Busca esta que data do
século XVIII com o avento do Iluminismo. A busca pelo Jesus Histórico esteve por muito tempo restrito ao campo religioso ou das experiências religiosas. No ambiente acadêmico o campo é recente. Ainda mais no Brasil. Temos apenas quinze a vinte anos de pesquisa em universidades ou grupos de pesquisa laico.

O livro está dividido em nove capítulos. O primeiro capítulo, busca apresentar o porque se estudar Jesus. E motivos estes não faltam, já que é a personagem de maior destaque no mundo Ocidental. E os desdobramentos do seu movimento tiveram grandes impactos em nós ocidentais.

O segundo capítulo é para falar sobre os meios para se estudar este Jesus. Os autores dividem em três grandes blocos. São eles:

- Neotestamentária: fruto da construção de memória sobre o movimento que se desdobrou pós-Jesus. Seriam os vinte sete livros que conformam o chamado Novo Testamento. Pode-se agrupá-los em quatro categorias: evangelhos (tendo destaque para os relatos da vida de Jesus), livro ‘histórico’, epístolas ou cartas e profético. Os autores aproveitam este ponto para abrir uma discussão sobre memória. Afirmando que memória é um elemento que esquece, relembra e interpola. Por isto é importante à reflexão destes relatos que são escritos muito a posteriori aos eventos. Criando-se assim, camadas e camadas de questões e reflexões destas comunidades que registraram escritos sobre Jesus e seu movimento;

- Arqueológica: contribui para reconstruir e confirmar alguns personagens e circunstâncias mencionadas na documentação neotestamentária. E mais do que isso, são úteis para ampliar os estudos sobre a mesma. Possibilitando perceber e questionar aspectos que muitas das vezes se encontram limitados pela fonte escrita. Pode-se citar:

1. Gamla e Jodefat: aldeias judaicas do tempo de Jesus;
2. Massada e Qumram e a resistência judaica à ocupação romana;
3. A inscrição do prefeito Pôncio Pilatos.

- Outras fontes literárias: Flávio Josefo e Evangelho de Tomé estão entre elas. Este bloco refere-se a toda e qualquer documentação que fale sobre a personagem ou o seu movimento e que não pertença à documentação neotestamentária. Estas fontes contribuem para uma maior dimensão deste movimento, principalmente no que diz respeito às diferentes tradições que se conformam. Ou melhor, esta documentação contribui para a percepção de que este movimento já nasce pluralizado.

O terceiro capítulo fala sobre a vida de Jesus. O mais interessante é ver que a maioria das histórias ou relatos sobre as curas e/ou milagres de Jesus e a história sobre a sua infância são fruto de debates entre os grupos cristãos e indivíduos de fora das comunidades que se formavam. Um outro ponto interessante nessa parte é que o movimento Jesus seria apenas mais um dos vários que surgem na Palestina. Já que o contexto político, social e econômico era favorável. Além disso, os autores sinalizam que o movimento de Jesus, nasce do movimento de João Batista.

Os capítulos seguintes (do quatro ao nove) são voltados para as fases da busca pelo Jesus Histórico. Comumente estabelecesse quatro fases. A primeira é sobre as biografias de Jesus. Seguida a essa fase, houve um período em que acreditou-se que não era possível se chegar ao Jesus Histórico por meio das fontes. A segunda foi no contexto da Segunda Guerra Mundial. Onde Jesus passa a ser interpretado a partir do tempo em que se fala e pensa. Quem abre essa linha é um autor chamado Käseman.

A terceira fase nasce com o Jesus Seminar (ou Seminário de Jesus). Grupo que tinha inicialmente a intenção de examinar cada fragmento das tradições atreladas a Jesus. Com o tempo o trabalho passou abarcar o estudo sobre as atitudes e ações atribuídas a Jesus. O livro finaliza apresentando as novas tendências sobre o estudo. Entre elas estão: o interesse de se ter uma compreensão racional de Jesus (dentre eles está Bento XVI), o caráter judaico de Jesus e emprego crescente da documentação arqueológica (Charlesworth é um exemplo nesse campo) e o caráter social de Jesus (Hosley é um dos principais especialistas no assunto).

Bem, é isso pessoal. Espero que esta resenha chame a atenção de vocês e se interessem por ler o livro que realmente é muito bom.

Até a próxima!
Bjs,


Juliana Cavalcanti
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

15 comentários:

  1. Eu li o livro do André sobre Cristianismos. Ajudou muito na hora de fazer um trabalho. Ele usa muitos tipos de fontes para cruzar com as fontes textuais. Não vou falar muito para não rasgar seda descaradamente do nosso orientador kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Juliana Cavalcanti10 de outubro de 2013 21:59

    Aleska, o livro Cristianismos realmente é muito bom. E sua principal marca é lançar o conceito cristianismos. Aliás pretendo falar sobre ele também. rs

    ResponderExcluir
  3. Olá Juliana! Com toda a certeza você foi muito feliz na estréia do seu blog, fazendo uma resenha do livro Jesus histórico. Parabéns! Sucesso (oooppsss! uma concorrente de peso na área, melhor abrir os olhos....)rrrsss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana Cavalcanti11 de outubro de 2013 14:54

      Olá, Humberto! Agradeço o reconhecimento. Mas imagina. Aqui é só um cantinho a mais para divulgação da área.
      Abs

      Excluir
  4. Minha querida juliana! Está ótimo a resenha. Linguagem totalmente acessível. E galerinha pode comprar o livro pela editora Kline que além de barato e como diz o título uma brevíssima introdução para os interessados ou leigos. Parabéns Ju é até as próximas...hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana Cavalcanti11 de outubro de 2013 15:11

      Robério, querido,
      muito obrigada! A resenha realmente foi um desafio para mim. E o reconhecimento é realmente muito importante. E é verdade o livro além de ser bom é barato. rs

      Excluir
  5. É interessante e fascinante o fato de que a história de Jesus nunca perde o brilho e a paixão das pessoas sendo estudada até hoje. Excelente post. Ele me fez lembrar do Livro "Cavalo de Tróia" de J.J. Benitez que apesar de ser ficção parece um registro vivo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana Cavalcanti11 de outubro de 2013 23:12

      Marise,
      o tema realmente é fascinante. Quanto mais estudo mais me interesso. rs
      Mas quando a esta autora. Infelizmente não a conheço. Vou pesquisar.

      Excluir
  6. Espero que o professor não peça como trabalho ou forma de avaliação uma resenha desse livro porque o que vai ter de aluno alma de gato copiando a sua resenha com pequenas trocas de palavras não vai ser brincadeira não viu Ju!

    No mais seja bem vinda, espero que você goste de está entre nós... e Jesus, bem ele é o homem que orienta a contagem do tempo no ocidente... Nossa história é contada com Antes e Depois de Cristo, ele é central, estudar a sua existência e a forma como ela foi sendo assimilada pelo mundo é central para compreender nosso presente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pandora! Obrigada! Disso eu tenho noção. Coisas de estudante. rsrs

      Excluir
  7. Juliana querida, sabe onde encontro pra comprar o livro? Não acho na net e o site da editora não completa a compra...

    ResponderExcluir
  8. Olá! O site é o melhor meio. Por isso peço que você tente mais uma vez.
    http://www.klineeditora.com/
    Em mas caso o problema persista entre em contato com o e-mail da editora:
    vendas@klineeditora.com
    contato@klineeditora.com

    Há a opção ainda de vc comprar diretamente conosco nos lançamentos e palestas que o grupo promove. Haverá um lançamento dia 04/12. Onde estarão a venda todos os livros da editora.
    Qualquer dúvida entre em contato comigo.
    Abs,
    Juliana

    ResponderExcluir
  9. Juliana, Você teria alguma recomendação (já que estuda religiões) de livro para estudar o judaísmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana Cavalcanti14 de maio de 2014 13:54

      Alexadre Pedrosa, existem alguns bons livros em português sobre o assunto. De cara lhe recomendo o livro do André Chevitarese: "Cristianismo, judaísmo e helenismo" (que inclusive está para sair o volume 2 esse ano). A editora Loyola também tem algumas publicações interessantes, entre elas: "Lei de Moisés" (E. Otto), "História da literatura do Antigo Testamento" (K. Chimid) e "Israel nos tempos dos persas" (E. Gestenber). Por fim, recomendo a leitura dos textos de Karen Armstrong. Autora que estuda o judaísmo, o cristianismo e o islamismo.
      Abs,
      Juliana

      Excluir