Coração de Tinta [Resenha Literária]


Encerrada a leitura da trilogia “Mundo de Tinta” fiquei com aquela sensação angustiante que te faz perguntar: e agora? Como eu vou superar a ausência de todos aqueles personagens? Alguns livros fazem isso com a gente. 

Pra quem é viciado em leitura, a Trilogia do “Mundo de Tinta” apresenta uma proposta que muitos leitores aceitariam com imenso prazer:

Imagine ler “Crepúsculo” e ver Edward Cullen se materializar na sua sala, ou ler “Vampire Academy” e ganhar um Dimitri, talvez um Travis Madoxx de “Belo Desastre” ou mesmo um Christian Grey com quantos tons de cinza que você quiser que ele tenha, aparecer no tapete da sua sala! Para isso acontecer você só precisa conhecer o Mortimer e sua linda voz. 

É preciso muita atenção para entrar no mundo de tinta, porque não é um livro fácil de ler, é daqueles em que é preciso concentração para digerir lentamente cada palavra, cada emoção, cada detalhe, cada momento mágico. 


Em “Coração de Tinta”, primeiro livro da trilogia, conhecemos Mo, como Meggie, sua filha costuma chamá-lo, um encadernador de livros que cria sozinho a filha e está sempre se mudando, até que um dia é encontrado pelo velho amigo Dedo Empoeirado que vai avisá-lo que Capricórnio quer o “livro” e vai fazer de tudo para tê-lo.

O livro “Coração de Tinta” é aquele que há dez anos Mo leu em voz alta e descobriu que sua voz permitia que os personagens saíssem do livro, mas que para um sair outro tinha que entrar. E assim, sua esposa Theresa é levada para dentro do livro enquanto o malvado Capricórnio e seus comparsas são soltos no mundo real. Capricórnio quer o livro para tirar mais companheiros de dentro dele e destruí-lo para nunca mais voltar ao mundo de tinta. Já Dedo Empoeirado quer desesperadamente voltar para o livro porque não é feliz neste outro mundo. Tentado fugir de Capricórnio, Mo, Meggie e Dedo Empoeirado partem para a casa de Elinor, Tia de Theresa, uma senhora viciada e apaixonada por seus livros e que mora em sua mansão que é uma biblioteca com obras de todos os tipos e de todos os lugares do mundo.

Um detalhe que chama a atenção nos livros são os nomes: Mortimer, Língua Encantada, Mortola, Basta, Dedo Empoeirado, Fenoglio, Farid, Darius, Orfeu, Príncipe Negro, Bailarino das Nuvens, Pássaro Tisnado, Despina, Cabeça de Víbora e por ai vai. Poucos têm nomes “comuns”.

Mo não lê mais em voz alta, mas Capricórnio os sequestra para obrigá-lo a fazê-lo, com a finalidade de tirar tesouros dos livros e trazer o Sombra, o terrível monstro que devora pessoas no mundo de tinta e assim, um menino chamado Farid é “lido” do “Livro das Mil e uma Noites” e se torna amigo inseparável de Dedo Empoeirado. Juntos, eles lutam para acabar com Capricórnio e libertar inclusive o autor do “Coração de Tinta”, Sr. Fenoglio, que também está preso e que é o único que pode escrever as palavras certas para Mo ler e acabar com a tirania de Capricórnio e a maldade de seus comparsas. Porém, tentando mudar a história, Fenoglio acaba sendo enviado pra dentro do livro que ele mesmo escreveu onde vivem as Fadas Azuis, Homens de Vidro, Duendes, Elfos de fogo e vários seres encantados.

É um livro cheio de magia, surpresas e reviravoltas e eu me apaixonei por Mo, Maggie e seus amigos. Merece quatro Harry´s na classificação do “O Que Tem na Nossa Estante" porque o segundo livro eu achei melhor que o primeiro.

Dados da Obra

Livro: Coração de Tinta
Autora: Cornelia Funke
Editora Cia. Das Letras

Nota:


Marise
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Já tinha ouvido falar desse livro
    Parece ser muito bom

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar neste livro!

    ResponderExcluir
  3. Má, eu adorei a sua resenha! Muito completa, inclusive!

    Estou agora com vontade de ler o livro rsrsrsrsr

    Bjs Mi

    ResponderExcluir