Quando a vida escolhe [Resenha Literária]


Livro: Quando a vida escolhe
Autor espiritual: Lucius
Autor carnal: Zibia Gasparetto
Editora: Vida e Consciência.

Quem acompanhava o podcast das Meninas dos Livros sabe que comecei a ler com romances espíritas. Este e o "Morro das ilusões" são os meus favoritos dessa literatura tão peculiar.

Não sei se você já leu um romance espírita, mas normalmente eles apresentam uma discussão sobre questões morais. Pode parecer um pouco chato para quem não conhece, mas acho que é um ótimo remédio para quando estamos precisando de um conselho tipo "tapa na cara" para acordar para a vida. Normalmente se eu quero um esculacho eu peço para a Tita Hart lá no facebook, mas na ausência da amiga um bom livro espírita resolve.

Você não precisa aceitar a Lei da encarnação como verdade, ou a mediunidade de Luciana. É só reparar nos conselhos que ela dá que terá um bom aproveitamento da leitura. É realmente impressionante entender que o sentimento de culpa é algo egoísta, porque é uma desculpa para não correr atrás dos próprios erros.

Mas enfim, o enredo narra o encontro de Luciana com seu pai, José Luis no cemitério. Ambos desconheciam a existência do outro e foram unidos no túmulo de Suzanne, a ex noiva de José que deu a luz à Luciana quando o noivo preferiu casar com uma moça rica do Rio de Janeiro. Os dois se conhecem e o pai pede perdão à filha, resolvendo lhe dar do bom e do melhor dali por diante. Luciana, porém, não aceita ser reconhecida legalmente para não constranger os irmãos e a esposa de seu pai.

José Luis, porém, era um homem infeliz e desiludido. Sabia que o dinheiro não tinha lhe trazido a felicidade que esperava, mas se achava incapaz de conquistar o amor da sua família depois de tantos anos vivendo só de aparências. Luciana, porém lhe faz ver que sempre há tempo para reaprender a amar, e resolve ajudar o pai, começando por sua irmã caçula: Maria Lúcia ( também pensei em faroeste caboclo quando li esse nome). Essa menina sofria de uma timidez aguda (chorava quando alguém lhe perguntava alguma coisa simples) e um complexo de inferioridade extremo, mas com um pouquinho de didática ela desabrocha para o mundo.

Luciana ainda consegue melhorar a vida do irmão e da madrasta, assim como de seu pai. Não direi como, só afirmo que se você precisar de uma voz enérgica se consulte com Luciana que vale a pena! A escrita não é muito elaborada, e em alguns pontos é bem repetitiva, mas vale para ajudar a pensar quando se está triste ou quando precisamos de um empurrãozinho na direção certa. Eu recomendo!

Alê Lemos

Nota:

Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Oiii

    Eu já li vários livros da autora, mas tem tantos anos que nem me lembro mais de cada historia, quando vc lê vários da Zibia acho meio enjoativo pq todo livro tem os mesmos ensinamentos e tal. Este eu acho que nunca li rs.
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. Ler todos os livros da Zibia não é muito bom não. Eu li vários dela durante um tempo, mas enjoei. Só continuo gostando desse e do morro das ilusões. Talvez por terem marcado época.

      Excluir
  2. Não sou fã desse tipo de livro, mesmo sabendo que muitas pessoas amam, eles não chamam a minha atenção.




    Beijos,
    Lara - whoisllara.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normal. Eu tb passo longe de livros de terror ou suspense.

      Excluir
  3. Também gosto de livros espiritas e ainda não tinha lido esse. Concordo com vc não é preciso acreditar para tirar lições preciosas para a vida. Até porque quantos livros que a gente nem leria e acaba lendo e gostando?? As pessoas só tem que deixar a mente aberta.

    Beijos
    http://www.partesdeumdiario.com/

    ResponderExcluir