Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban [Resenha Literária]


Quando chegamos a "Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban" já estamos bem acostumados ao mundo do Potter, aos personagens, a lógica que guia a coisa e como eu já li depois da adolescência adicionaria também que já sabemos mais ou menos como funciona a estrutura da narrativa de Rowling escolhida para essa saga: tudo está bem - Harry vai para a escola - surge um mistério - começa uma aventura - termina a aventura.

Já sacamos que tudo começa com Harry com os tios, acontece algum incidente, ele vai para a escola, se debate em algum mistério, vive uma grande aventura, acaba tudo bem. Mas eu imagino que quando os aborrecentes se depararam com Potter dessa vez devem ter se identificado pacas. Porque ele já começa meio revoltado, chutando o pau da barraca, desobedecendo a regras como não fazer feitiços fora da escola e fugindo.

Posteriormente ele descobre que um prisioneiro fugiu de Askaban (a prisão impenetrável dos magos) e  para completar esse prisioneiro é Sirius Black, alguém que fez parte dos incidentes que levaram o pai e a mãe de Harry a morte. À parte desse momento, eu gosto especialmente desse livro porque nele Harry conhece um pouco mais sobre seu pai e os amigos dele. Aliás, um dos professores é Remo Lupin, um fofo, amigo do pai dele, que possui um mistério a ser descoberto, claro, que como sempre é Hermione quem descobre. #AmoMuito

No mais, destaco a figura de Severo Snape, um dos personagens mais rabugentos da literatura e também um dos meus preferidos para toda a vida. Ele cobra muito de Harry, nos deixando na duvida o tempo todo; afinal "qual é a dele?", é do bem ou do mal?

Ah, outra coisa legal nesse livro é que no final dele Harry ganha o maior presente que uma criança órfão de pai e mãe educada junto a parentes que o detestam pode ganhar: um parente que o ama.

Pandora (Jaci)

Nota:

 + 

_______

P.S.: Essa resenha foi originalmente publicada na Saleta de Leitura, agradecemos a Irene por ter gentilmente cedido a republicação dela aqui.
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

14 comentários:

  1. Adorei a resenha principalmente porque é o meu livro preferido, e o é exatamente pelo presente que Harry recebeu, o parente que o ama. Acho que neste livro ele realmente começa a crescer e a história vai crescendo junto com ele. #AmoMuitoTambém.

    Beijos Pandorinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo amplamente com você Marise. Um presente que ama é o que mais uma criança sem amor sonha em ganhar.

      Excluir
  2. Adorei! Esse ano eu vou reler a série! Eu tenho que me dar isso de presente, reviver as aventuras, os mistérios, e acompanhar os personagens mais uma vez. A Rowlling construiu algo tão grande, tão consistente e tão apaixonante que não há como não se encantar - quem não curte não é desse mundo!

    Dois abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, que serie é essa cuja leitura chega a ser um presente, um auto-presente! O Harry sempre me impressiona!

      Espero que você leia mesmo Luciano, e lembre de falar sobre ela no .Livro, eu lindamente estaria lá para conferir.

      Cheros.

      Excluir
  3. O Harry sempre um menino tão sei lá...coitado eu tenho pena dele. Ainda não li nenhum livro, mas estou querendo começa a série.
    Beijos!
    Paloma Viricio-Monólogo de Julieta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paloma, eu mega indico. A série é linda! O Harry é um sobrevivente que consegue permanecer doce apesar das adversidades e no final obtêm seu final feliz. É uma história enternecedora. Eu não cresci com ele, mas sabe, morro de inveja de quem cresceu, ele foi o melhor amigo de muita gente.

      Vale mesmo a pena ler.

      Excluir
  4. Concordo com tudo que vc falou nessa resenha, eu realmente me identifiquei com a rebeldia do Harry nesses livro, estou atualmente relendo a série pela quinta vez e continuo amando!

    Beijos,
    Lara - whoisllara.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Misericórdia!!! 5ª vez? Lara eu tenho vontade de comprar a coleção, que não tenho e reler. Mas você arrasou, é fã mesmoooooooo!!! Poteriana!!!

      Excluir
  5. Na verdade. esse livro, pra mim, é o mais morno. Não há um livro dessa série que seja ruim, mas o prisioneiro de Azkaban não é muito aterrorizante como os outros mistérios, é apenas um mau entendido que as pessoas alimentaram e aumentaram. acho que essa trama apenas foi necessária para introduzir algumas informações sobre a vida do harry, e fazer o personagem se sentir mais amado, tanto pelo surgimento do padrinho quanto pela revelação dos últimos momentos de Lilian, que foram trágicos pelo amor que ela tinha ao filho. Eu acho que é nele que o harry constroi sua identidade, e no quinto ela é terrivelmente abalada quando o referencial de seu pai é abalado pelas informações vistas na lembrança de Snape. Será que dei spoiler? Espero que não kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Aleskita mas quando eu li já não era adolescente, já cuidava de crianças, já era tia e já achava que toda criança precisa de uma casa. Minha empatia com o Harry pedia que ele tivesse família!!!!

      Excluir
  6. Olá!
    Adorei a sua resenha!
    Infelizmente, ainda não consegui ler Harry Potter, mas quero muito ler!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, leia, você corre o sério risco de se apaixonar pelo bruxinho!!!

      Excluir
  7. Amo Harry!
    Assisti esse filme nesse fds!
    Adorei ver ele por aqui!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Rizia, a gente ama o Harry ele é unanimidade entre as meninas do blog é nosso mascote!!!

      Excluir