A Vida Privada das Árvores [Resenha Literária]



Hoje vou falar sobre uma leitura bem diferente que fiz, o livro "A Vida Privada das Árvores" do chileno Alejandro Zambra. - Nunca tinha lido nada de nenhum autor chileno. -  O curioso título revela o quão curiosa é esta obra, lançada no Brasil pela Cosac Naify. Conheci este livro por meio de uma vendedora muito simpática da Livraria Cultura, que me recomendou esse autor, quando lhe perguntei sobre "uma leitura diferente!".

Alejandro, que também é autor do livro Bonsai, - e aqui deixo um pequeno parêntesis: A vida privada das árvores é o segundo livro do autor, não li ainda Bonsai, que foi o primeiro, mas por comentários, entendi que apesar de não serem exatamente continuações, um traz muito do outro, deixando o leitor sugerindo possibilidades.

Bem, Alejandro faz uma narrativa bem amarrada e um tanto poética, sobre um professor de literatura - e escritor aos domingos -  Julián, a menina Daniela -  sua enteada -  e Verônica - sua esposa - que não volta para casa. Importante frisar isso: o livro não acaba enquanto Verônica não voltar para casa. Julián vai tecendo sua angustia pela espera de Verônica, imaginando mil possibilidades trágicas, além de lembrar de outras ocasiões de sua vida, enquanto "engana" a pequena Daniela, contando-lhe na cama, histórias que envolvem diálogos mais inusitados entre árvores, ao mesmo tempo em que percorre em sua mente como seria o seu mundo sem Verônica.

Confesso que a escrita de Alejandro é bastante envolvente, ele trabalha muito bem com as palavras, em um vai-e-vem, entre presente, passado e possíveis futuros, e que te faz ficar pensando no livro até quando você o fecha. O personagem Julián vai conversando com o leitor, de maneira tão envolvente, que acabamos nos tornando amigo dele, e torcendo para que Verônica chegue.

Nas próprias palavras de Julián, Alejandro transmite: "são quase cinco da manhã e o livro continua. O livro continua mesmo que o fechem" 

Contudo, apesar de possuir uma boa ótima narrativa, acredito que o autor poderia ter explorado mais o final da trama. Não estou dizendo que é um livro ruim, pelo contrário, vale muito a pena ser lido e ter na estante, mas poderia ter um final melhor. Por isso lhe dou o conceito de BOM. - Três Harrys. - Procurarei ler outras obras do Alejandro, inclusive Bonsai, e Formas de Voltar para Casa, novo livro do autor, todos pela Cosac, inclusive deixo aqui meus parabéns à editora, que presenteou-nos com um "aperitivo" do livro Bonsai, no final desta versão em ebook.

Abraços!

Dados do livro:
Titulo: A Vida Privada das Árvores
Autor: Alejandro Zambra
Editora: Cosaic Naify
96 pgs
Preços: R$14,90 a 27,00
E-book: R$ 14,00

Alexandre Melo
NOTA



Compartilhe no Google Plus

Sobre Alexandre Melo

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. deve ser incrível, bom saber pq a cosac me envia sempre promoções. eu gosto muito de ler obras brasileiras e de nossos países vizinhos. anotadíssimo. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Adorei a dica, apesar do final ser um pouco desapontador, mas julgamos sempre a obra em si, né mesmo? Fatos isolados não merecem ofuscar uma boa obra. Vou tentar o ler. Adoro os livros dessa editora.

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o primeiro livro que leio dessa editora, achei uma boa a escolha de um autor chileno, neste mercado tão americanizado e europeu. Concordo, o que vale é a obra em si. Obrigado pelo comentário.
      Abraços!

      Excluir
  3. Olá!!

    Achei o título bastante curioso. Não conheço nada de literatura latina para dizer que foi ou não uma blog escolha, mas pelo que você escreveu parece ser bastante com aquele livro para se ter na cabeceira e ler antes de dormir.

    Quem sabe ele não vai parar na minha estante?

    Até mais

    ResponderExcluir
  4. Eu leio muito sobre livros e escuto, muito mais do que escrevo sobre eles... e talvez muito mais do que leia... acredito que uma hora o livro chama a gente a leitura e a resenha ao comentário.

    Achei a narrativa de Zambra IMPECÁVEL em caps lock, ele envolve a gente, senti cada grama da aflição do personagem principal sem cometer excessos, aliás, diria que ele é consciencioso em relação a excessos... no final a gente fica querendo mais, no entanto, a genialidade da escrita dele está ai mesmo, no desejo por mais realmente não encerramos o romance ao fechar o livro, continuamos a pensar na história...

    Eu, ao menos me pego tomando uma xícara de café enquanto contemplo o céu e me pergunto sobre como todos eles encararam o sumiço de Verônica e para onde ela foi.... e o engraçado é que esse livro é sentimental, mas não sentimentaloide, eu daria 5 Harrys fácil.

    Obrigada Alexandre por fazer esse livro chegar até mim... Foi um presente e tanto!

    ResponderExcluir
  5. Na época que fiz a resenha, dei nota 3, foi o primeiro livro dele que havia lido, e estava acostumado com outro tipo de narativa, mas depois refazendo sua escrita na mente, e lendo outros livros dele, entendi melhor sua jogada, e subi meu conceito para 4, (pois sou exigente), tenho certeza que quando eu reler darei 5. Mas o "Formas de Voltar para Casa" é 5 já de primeira leitura! hahaha

    ResponderExcluir
  6. Acabei de ler este livro, e a única observação que fica pairando em meus pensamentos é sobre a importância relacional do título com seu enredo. Embora Há alguns trechos de narração nos quais o padrasto conta a história de duas árvores - um álamo e um baobá - entendo que o livro se propõe muito mais a um retrato estético e bucólico de um quadro dos pensamentos do que a uma vida privada das árvores propriamente dita. Talvez as árvores representem o padrasto e sua afiliada enraizados e solitários, ou representem metaforicamente sentimentos de solidão e esperança. Gostei muito mais dos sentimentos que foram despertados pelo escritor argentino Federico Axat quando li seu livro chamado “O Pântano das Borboletas”, embora o livro de Alejandro Zambra seja muito bom a seu modo.

    Ass: Pietro

    ResponderExcluir