Eclipse da Lua Azul [Resenha Literária]


Livro: Eclipse da Lua Azul.
Autoras: Debora Knittel e Érica Falcão
Editora: Solisluna

Hoje eu finalmente terminei de ler esse livro. Estava com certa pressa para postá-lo já que muitos se interessaram por ele através do meu último correio literário, mas estou estudando muito no momento e por isso não pude devorá-lo tão rápido quanto gostaria.

Deixando as desculpas para lá, o que posso dizer é que essa aventura me agradou bastante. Todos os pontos principais foram amarrados no final e as autoras mostraram um conhecimento vasto sobre esoterismo, pois falaram de anjos, seres das trevas, elfos e também dos elementais, coisa que antes eu nunca tinha lido em um romance. Ver minha cidade representada também foi um ponto alto na minha opinião, pois a forma como narraram tornou possível, ou melhor aceitável, que uma obra de ficção e fantasia se passasse no Brasil. Quer dizer, todos os livros desse gênero que pego para ler se passam nos EUA , na Europa ou num mundo paralelo baseado nessas localidades. Minha mente já estava acostumada a essa ambientação eurocêntrica (ou talvez nortecentrica?) e toda vez que eu lia algo cujo espaço fosse o Brasil parecia um pouco falso, o que não acontece com este livro, pois as autoras parecem ter pesquisado bastante o lado esotérico/espiritual e adequado ao folclore nacional, bem como a geografia da cidade do Rio de Janeiro e a fauna.

Quanto aos personagens, posso dizer que Celino me convenceu como anjo, porque somente um aturaria a falta de educação da Holly [risos]. Ele é calmo, um pouco inocente e desprendido totalmente, o oposto de seu par romântico, pois Holly é orgulhosa, mandona e um pouco egoísta. No entanto, também não dá para odiá-la, porque o pai dela foi totalmente ausente quase sua vida toda, o que criou na moça um medo danado de perder quem ela ama. Quem é que pode condenar isso? Principalmente nos dias de hoje, onde família não é mais sinônimo de porto seguro. Maiara e Kami também são personagens muito bons e bem delineados, mas Fascínio e Lavínia são vilões muito sem sal, mereciam um pouco mais de tratamento para realmente ameaçarem os planos dos mocinhos.

Apesar desse detalhe, eu posso dizer que foi uma boa leitura e me fez dar uma boa viajada. Tenho minhas dúvidas se haverá continuação. Na capa do livro tem um subtítulo “o mundo humano” e como a história fala de mundo angelical e elemental fica a dúvida se ela está mesmo encerrada, ou se devemos esperar por novas emoções. Só digo que se vier eu quero ler!


Um beijo!
Alê Lemos.
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário