Se as coisas fossem mães [Resenha Literária]

Foi há mais de 20 anos que deu o encontro, eu me lembro, os dias nunca vão me deixar esquecer... Há mais de 20 anos eu cruzei pela primeira vez com a Sylvia Orthof e o seu maravilhoso, lindo e enternecedor "Se as coisas fossem mães".


Eu fui honrada pela providencia por uma mãe fantástica, carinhosa, afetuosa e digna, de forma que um livro assim jamais deixaria de tocar meu coração infantil e enternecê-lo. Posteriormente me tornei educadora infantil, de forma que a grandeza da maternidade se tornou ainda mais latente aos meus olhos.

Sylvia Orthof expressa as características de todas as mães lançando mão de objetos concreto que cercam o universo infantil: é simples, inteligente, não é pedagogizante, não subestima a capacidade intelectiva das crianças e fica encantador casado com as ilustrações da Ana Raquel.

Pesquisando na net eu até consegui achar o texto da Sylvia aqui e não resisto a tentação de deixar um trechinho aqui:

"Se a lua fosse mãe, seria mãe das estrelas,
O céu seria sua casa, casa das estrelas belas.

Se a sereia fosse mãe, seria mãe dos peixinhos,
O mar seria um jardim e os barcos seus caminhos.

Se a casa fosse mãe, seria a mãe das janelas,
Conversaria com a lua sobre as crianças-estrelas,
Falaria de receitas, pastéis de vento, quindins,
Emprestaria a cozinha pra lua fazer pudins!

Se a terra fosse mãe, seria mãe das sementes,
pois mãe é tudo que abraça, acha graça e ama a gente."

Ah, me parece que também há uma peça baseada no livro, ou no minimo uma música bem fofinha:

                

Não acredito que "ser mãe" é a missão maior de todas as mulheres, mas tenho certeza que a maternidade tem qualquer coisa de divina em si, qualquer grandeza só compreendida por aquelas que enfrentam a difícil tarefa de educar um filhote de gente. Concordo amplamente com as palavras do Mario Quintana no poema "MÃE":

São três letras apenas,
As desse nome bendito:
Três letrinhas,nada mais...
E nelas cabe o infinito
E palavra tão pequena-confessam mesmo os ateus-
És do tamanho do céu
E apenas menor do que Deus!

E por concordar com ele, não poderia deixar de aproveitar a data de hoje para homenagear a Marise que é mãe e nos honra com sua presença, humor e afeto. Todos os dias nós te amamos Marise, esse dia só nos da o motivo para te dizer isso.

Feliz todos os dias a você e a todas as mães que nos visitam, leem e comentam!!!

Jaci (Pandora)
Compartilhe no Google Plus

Sobre Pandora

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Deve ser uma fofura. :)
    Beijos, Pandora.

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo e emocionante! #amei
    Feliz dias para as mamães de todos os dias <3
    Beijos

    Saleta de Leitura

    ResponderExcluir
  3. owwwww, Pandora, que emoção gostosa. Amei. Amei os versos, amei a música, amei cada letra que li e amei mais ainda esta homenagem que me tocou tanto, pelo carinho, pela amizade que veio pelos fios da internet e se tornou tão importante pra mim. Obrigada, obrigada, obrigada. Vocês meninas me mostraram um novo caminho onde mães, não mães, velhos e novos podem caminhar juntos. Obrigada por me deixarem participar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Má!! Nós te amamos!!! <3

      Bjs, Mi

      Excluir
    2. Nós é que te agradecemos por topar blogar conosco Marise!!! A gente te ama!!! <3

      Excluir
  4. Ah, que vontade de fiquei de ler esse livro <3 rs Parece ser muito fofo!
    Feliz dia das mães à todas as mães leitoras <3
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Devo presumir que Marise seja uma das autoras do blog, não? Feliz dia das mães atrasada (pois é). Mas, sabe, todos os dias são delas. <3. Ah, acho que nunca li algo com essa temática [nem mesmo um infantil]. Seria interessante topar com um desses.

    ResponderExcluir
  6. Ah, eu lembro desse livro. Já cruzou uma vez comigo, é muito lindo. E o poema de Mário Quintana é impossível de não deixar gravado na memória.

    Lucas - Carpe Liber
    http://livrosecontos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa que lindo! Como na minha infância não tive ninguém que me incentivasse a leitura (ainda não pq meus pais faleceram quando eu era bem novinha), então desconheço a maioria das obras infantis. Mas amei sua resenha, me deu até vontade de achar este livro e compra-lo pra mim!

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir