Gessinger além de Engenheiros [Música]


Humberto Gessinger é, provavelmente, o músico gaúcho que mais conquistou fãs fora do Rio Grande do Sul. Na década de 80, a Engenheiros do Hawaii foi a banda que colocou o RS no mapa musical nacional e até hoje o grupo tem fãs fieis, Gessinger tem fãs fieis. Só que por mais fieis que sejam, acho que ainda alguma coisa escapa ao público nacional e, por vezes, até ao público gaúcho. 

Já digo de primeira que não sou dessas fãs fieis do Gessinger (apesar de ter sido um tanto dramática pra convencer meu pai a me levar até a livraria onde ele autografaria "Meu pequeno gremista" e de, depois disso, ter encarado mais duas vezes filas enormes para fotos e autógrafos - uma acompanhando uma amiga que queria uma foto, outra pra pegar um autógrafo pra uma amiga), mas sou, sem dúvida, sua admiradora. Sou das que para pra ler e assistir suas entrevistas e das que sempre se alegra quando, ouvindo outros músicos, se alegra ao perceber a voz do "último cabeludo de Porto Alegre". E é justamente essa minha intenção nesse post: apresentar as parcerias gaúchas do HG. 

Bom, a parceria mais conhecida é, sem dúvida, a dupla chamada Pouca Vogal. O problema é que além-RS poucos sabem quem é o cara que canta com o Gessinger, enquanto aqui ele é altamente reconhecido, tanto que a parceria foi aplaudida e elogiada de primeira, vista como algo natural. Bom, o outro cara é Duca Leindecker, vocalista e compositor da Cidadão Quem, uma das bandas mais importantes do cenário gaúcho. Movida pela indignação com esse desconhecimento geral, acabei fazendo um post, anos atrás, sobre a Cidadão Quem. Adivinhem? Grande parte das músicas que vocês creditam ao Pouca Vogal é, na verdade, da Cidadão. Pesquisem, ouçam, admirem. 

Mas voltemos a falar em Gessinger. A parceria entre ele e Leindecker começou quando os dois compuseram a primeira música juntos - então para um CD do Cidadão: A força do silêncio. Um texto legal sobre os dois está AQUI. E como o post é musical, vamos ouvir os dois cantando juntos a primeira composição da dupla:


Agora uma das minhas maiores alegrias com o Gessinger: a parceria com Julio Reny. Desgraçadamente muitos não conhecem Reny, mas ele é um dos mestres do rock gaúcho e tem um violão modelo Elvis Presley. Entre as coisas que aguardo ansiosamente são a biografia e o DVD do Reny. Se vocês forem no 4shared, encontrarão toda a discografia dele, incluindo A primavera do gato amarelo, no qual está a belíssima parceria entre Reny e Gessinger. 


E a mais recente é com Bebeto Alves, uma das maiores referências quando o assunto é milonga (um ritmo gaúcho - aqui entendendo-se o adjetivo "gaúcho" em toda sua amplitude, ou seja, RS, Uruguai e Argentina) e recentemente foi feito um filme sobre a trajetória dele (o qual eu estou morrendo de vontade de ver). Eu também poderia dizer que o Bebeto é pai da Mel Lisboa (que está encarnando Rita Lee no musical que eu estou desesperada pra ver), mas eu realmente demorei anos pra descobrir isso - e depois mais um bom tempo pra assimilar a informação. A verdade é que Bebeto Alves foi responsável por boa parte da trilha sonora da minha infância - especialmente em jogos de baralho com meu tio, e foi ouvindo o novo CD dele que tive a ideia pra esse post (depois de semanas sem posts musicais meus aqui). A faixa-título do fantástico Milonga Orientao é justamente a parceria entre Bebeto e Gessinger, mas sugiro que todo o álbum seja ouvido atentamente. 




Vejam o quanto se pode descobrir sobre a música gaúcha seguindo os passos do seu grande ícone nacional! Mas para os fãs fieis de Gessinger não teve ter sido uma grande surpresa, já que ele tocou pelo país de bombacha durante muito tempo e regravou Herdeiro do pampa pobre, uma música do tradicionalista Gaúcho da Fronteira. Ou seja, sua identificação com a cultura e a música gaúcha sempre foi e se mantêm forte, e isso é talvez uma das receitas do seu sucesso: a mistura de raízes e gêneros. 

Pra encerrar, o vídeo mais conhecido desse post: Engenheiros do Hawaii contando com a participação de Renato Borghetti, um gaiteiro de primeira e mundialmente conhecido:


Até a próxima, 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Ana Seerig

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Eu amo engenheiros! É uma das bandas que mais me fascinam! Também conheço muito pouco o trabalho dlee além do engenheiros...
    Amei o post.
    Bjs...

    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que alegria a minha de reconhecer todos os esses nomes do post! Obrigada por ter me apresentado um pouco do Rio Grande do Sul nesses anos todos que nos conhecemos. A partir das bandas que me apresentou, cheguei a outras e a outras e a outras.
    Engenheiros já conhecia, mas essas parcerias só vim conhecer bem depois. Há um tempinho considerável conheço a Pouca Vogal. É uma baita parceria do Duca com o Gessinger. Eles mandam muito bem juntos. Adoro o álbum acústico do Cidadão Quem, no Theatro São Pedro.
    Essa parceria com o Reny também é ótima. Lembro que há algum tempo você me mostrou esse vídeo e eu até falei que tinha adorado a música.
    O Bebeto Alves conhecia de nome apenas, por você falar dele, mas não lembro de ter ouvido antes alguma música dele. Você sabe que gosto muito de milonga, né? Muito aprovada a parceria.

    Ah! Adoro Refrão de Bolero! ;)

    Ótimo post, gaúcha!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir