Cadeira de Balanço [Resenha Literária]


Livro: Cadeira de Balanço
Autor: Nivaldo Joaquim
Editora: Quartica Premium

Quando o Nivaldo propôs parceria ao blog eu pedi para a prefeita para ler esse livro porque o titulo me fez lembrar de Voinha Rita e de Tia Didi, duas pessoas com as quais eu costumava conversar em minha infância, enquanto elas estavam sentadas em uma cadeira de balanço. Sinceramente, foi um pedido muito acertado o meu, o livro do Nivaldo tem tudo haver com minhas lembranças.

Em "Cadeira de Balanço" vamos testemunhar o encontro de Michel Strass, um viajante solitário montado em seu cavalo Bragado, com a Luz, uma senhora idosa sentada em uma cadeira de balanço junto com muitas memórias. Desse encontro, entre esses personagens, vai sair uma conversa muito longa na qual a Luz vai contar ao Michel várias histórias de várias meninas/mulheres espalhadas pelo mundo.

A principio, como boa feminista que sou, quando me deparei com a proposta do livro fiquei com medo, afinal, um homem falando sobre trajetórias de mulheres algumas vezes sofridas.... Hummm... Isso podia dar em um texto para lá de machista, para lá de preconceituoso, para lá de intragável!!! Mas, o Nivaldo me surpreendeu muitoooooo nesse sentido.

Nivaldo Joaquim é um autor que não está aqui para julgar e condenar ninguém com suas histórias. Ele fala sobre a trajetórias de meninas que se tornam mulheres por meio de lutas e sofrimentos, cometem erros e sofrem as consequências e por fim, superam suas adversidades. O autor nos premia com histórias de vida muito reais contadas sem crueldade ou machismo.

As mulheres que Nivaldo apresenta são fortes, determinadas e quando caem dão a volta por cima e seguem vivendo suas vidas, obtendo suas vitórias e seu texto traz algo de muito positivo ao leitor. Para quem gosta de histórias de vida é um livro que não decepciona.

Dou a ele três Harrys, pois é apenas o segundo livro do autor e, apesar de ter gostado da leitura, para ser honesta tenho de dizer que o autor ainda tem alguma coisa a crescer na narrativa. Não sei bem explicar o porquê, mas sinto que o Nivaldo ainda não chegou naquela maturidade narrativa na qual o autor consegue escrever sem ter nem mesmo uma palavra/frase ou paragrafo sobrando no texto. Quando ele chegar lá, e eu espero que chegue, suas histórias serão bem mais que excelentes, porque a visão de mundo que ele tem é impar.

Para conhecer um pouco mais sobre o Nivaldo basta olhar os links:
www.nivajoaquim.blogspot.com.br
www.facebook.com/livrocadeiradebalanco
https://www.facebook.com/nivaldo.joaquim


Pandora (Jaci)
Compartilhe no Google Plus

Sobre Pandora

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Gostei de ler a resenha e conhecer também este autor. É bom quando a pessoa escreve um livro que consegue nos agradar, ainda mais trazendo histórias de vida, que nem sempre são fáceis de contar. E espero que a cada obra o autor consiga ir aprimorando mais seu dom de escrever, conquistando cada vez mais o público de leitores :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nanda. Venha conhecer um pouco mais do meu trabalho.
      www.nivajoaquim.blogspot.com.br
      www.facebook.com/livrocadeiradebalanco
      https://www.facebook.com/nivaldo.joaquim

      Excluir
  2. Cadeira de balanço me lembra meu bisavó. Ele já doentinho, sentado lá de pijama. Eu tinha receio de encostar na cadeira de balanço quando ele não estava nela, era como se ela fosse meio sagrada, rsrs. Quando ele morreu, eu tomei coragem e sentei na cadeira, mas foi tão triste, eu tinha uns 7 anos, parecia que não havia mais sentido naquela cadeira.

    É bom ver autores homens conseguindo contar histórias de personagens femininas sem recair em clichês e estereótipos, o que infelizmente ainda é recorrente. O que deveria ser óbvio (mulheres podem ser personagens tão complexos quanto homens), parece que alguns autores desconhecem, e/ou fingem que não existe. Fico feliz com novos autores rompendo essa lógica sexista.

    Abraços!

    Fran

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fran. Cadeira de Balanço não quer saber como as mulheres foram parar em tais situações, mas sim mostrar que é possível sair de lá.
      www.nivajoaquim.blogspot.com.br
      www.facebook.com/livrocadeiradebalanco
      https://www.facebook.com/nivaldo.joaquim

      Excluir
  3. Respostas
    1. Hummm. Deveria mesmo. rs.rs
      Quer conhecer um pouco mais do Cadeira de Balanço?
      www.nivajoaquim.blogspot.com.br
      www.facebook.com/livrocadeiradebalanco
      https://www.facebook.com/nivaldo.joaquim

      Excluir
  4. Jaci, você é sempre ótima comentando sobre as coisas que você viu, ouviu ou leu. Adoro as suas resenhas.
    É ótimo quando a gente lê e não se decepciona com os conceitos passados no livro.
    É muito bom saber que a maioria da nova geração de escritores alcançaram essa maturidade não no sentido de escrita, mas de visão de mundo mesmo. Para se criar boas estórias, é óbvio que o escritor precisa ter um bom leque de conhecimento acerca de uma porção de coisas. E, sobretudo, não só ter esse leque, mas saber se posicionar por meio de palavras, sem ferir ninguém e deixando um boa impressão em quem o leu.

    Um superabraço, Pandora!


    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Érica. O mundo já está cheio de cobranças e julgamentos. Precisamos é tentar apontar um rumo, encontrar soluções e não ficar colocando o dedo na ferida de quem já sofreu as consequências de seus problemas e escolhas. Obrigado pelo comentário. Abraço

      Excluir