De flores e Amores [Resenha Literária]


Autora: Ana maria Patrone;
Editora: Matrix,
Ano:2014.

Ana Maria Patrone nasceu no Uruguai e é professora de espanhol e francês. Ela mora no Brasil há 30 anos e já foi reconhecida no exterior por seus trabalhos literários. Na orelha do livro há uma piada sobre ela não ter ficado conhecida no Brasil há mais tempo, mas todos sabemos que para ter sucesso como escritor neste país é preciso ter sorte, além do talento que acredito que ela tenha.

Antes de ler o livro me passaram algumas sinopses sobre ele e a minha expectativa não era de me empolgar com as narrativas. Digo isso porque li que teria coisas mórbidas, mas qual foi meu espanto em descobrir que a única coisa sobre isso que tinha no livro era uma ida ao cemitério. Bom, não me pareceu nenhum pouco estranho uma mulher que perdeu a filha de 4 meses encontrar a paz ao visitar a cidade dos mortos [necrópole, como diriam os gregos]! Gente a morte está no cotidiano dos vivos! Nada mais natural do que passar desta vida para uma melhor, não é verdade? Ainda bem que não teve nada muito sanguinário...

Bom, passando para uma análise mais interpretativa, como faríamos na escola, o título já entrega um pouco sobre o tema dos contos. Todos os contos falam sobre o amor - inclusive o do cemitério, na minha opinião - amor à primeira vista, amor não correspondido, falta de amor, primeiro amor, amor que enlouquece, amor e ódio, entre outros tantos.

Com tudo isso, em alguns momentos Ana nos leva a suspirar e acreditar que há amores verdadeiros que são cálidos, que vem como um "coup de foudre" (na época que estudei francês estudei isso, é como se o amor viesse como um raio, de uma hora para outra, mas certeiro) e que duram a vida inteira. Em outras nos mostra como ficamos frágeis e usáveis por causa dele ou mesmo nos lembra que o amor tem tantas formas que é impossível defini-lo.

Em meio a romances, dramas, passionalidade e muita realidade (ou não, porque ela também fala da loucura e de amores imaginários), Patrone nos brinda com histórias apaixonantes que captam a psiquê de muitas mulheres, independente da sua nacionalidade.

Eu quase me esqueci! Já ía me despedindo da vossa ilustríssima companhia, querida leitora, mas há um detalhe importante no título que não mencionei: as flores! Bem, quando você for ler esse título vai reparar que vai tropeçar nelas em cada conto. Vai encontrá-las em várias espécies e condições narrativas, e por isso aconselho a prestar a atenção nelas para não perder o prazer afetivo que a autora nos brinda ao nos estimular o sentido do olfato.

Nota:




Um grande Beijo,

Alê Lemos!
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Faz tempo que não leio um livro de contos, este veio bem acalhar haha!

    David (http://daavidjsc.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  2. Com certeza a realidade sempre supera a ficção pelo simples fato de ter sido real.
    Já me identifiquei com o livro por ter histórias reais e por ser contos porque amo ler contos.
    A capa é linda,adoro capas de livros bem simples e delicadas.
    Beijos
    http://nadadecontodefadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É incrível quando nos emocionamos com uma história e ela é real, é possível e nos ensina tanto!
    Não li muita coisa que seja verídica, mas gostei da proposta desse livro.

    Beijos
    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  4. Que capa fofinha! Não conhecia e pela resenha aqui acho que vou gostar do livro ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. gosto de livro de contos, faz tempo desde que eu li algum ^^ achei a capa desse livro super fofinha.. acho que eu leria.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  6. Nunca tinha ouvido falar da escritora. E, nossa, sou nativa e ainda não escrevi um livro (olha, acho que não tenho vergonha cara. rs). Sim, eu imaginei que o livro fosse tratar das várias facetas do amor – o título e a capa são sugestivos... Nos shoujos mangás a gente vê muitas flores no fundo dos cenários. Geralmente, quando a personagem tem momentos introspectivos, pensando no objeto de sua afeição, lá estão as flores. Apenas não presto muita atenção pra reparar nas espécies.

    ResponderExcluir
  7. Sou apaixonada por livros de contos, fiquei bem curiosa por esse. Ele parece ser lindo e muito fofo!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a autoria, achei interessante seu livro, mesmo não tendo muito o costume de ler livros de contos, não sei, não consigo me adaptar bem na leitura deles.rs Mas acredito que um livro de contos sobre, em sua maioria, amor, seria uma boa leitura <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir