Talvez Seja Mentira [Resenha Literária]

"Talvez Seja Mentira" é mais um dos raros nomes na lista "No momento em que eu vi, percebi que precisava ter".

Não tenho muito isso. Se muito, acontece cinco vezes em um ano. Geralmente são livros.

A penúltima vez que tive foi no final do ano passado, lá para Setembro/Outubro, e foi um livro nacional, de um autor nordestino e de publicação independente.

Desnecessário dizer que é erótico, né?

Algo me conquistou. Os tons da capa, o traço, a sinopse, o fato de ele ser sanfonado... Eu precisava daquele livro. Talvez Seja Mentira é arte na melhor definição. Me apaixonei à primeira vista.

Novamente, tive certo trabalho para adquiri-lo (parece ser um padrão com as coisas que eu quero muito), mas depois de algum tempo mandando emails e mensagens aqui e ali, finalmente consegui comprar um exemplar com a Comic House, loja que fez a pré-venda do livro. Na verdade, eu não comprei um: comprei três. Um para mim, um para um amigo com quem eu tinha comentado e outro para minha orientadora e professora preferida (não me olhem assim, a tese de mestrado dela sobre erotismo em Cortázar).

A da direita se chama Death e a do meio, Brinco.
A da ponta eu não consegui descobrir, sorry.
O autor, Shiko, é  paraibano, e já é conhecido por seu trabalho que costuma envolver temas como pornografia, erotismo (não vou me complicar e dizer que considero que seja a distinção entre erotismo e pornografia, a verdade é que isto me parece mais complicado que separar duas faces de uma mesma moeda), religião e outros temas... Interessantes.

Alguns trabalhos que ele assina são O Azul Indiferente do Céu e Marginal, ambos da editora Marca de Fantasia, além de diversas artes de rua e outras ilustrações. Um nome recente e de grande repercussão é Piteco: Ingá (sim, aquele Piteco). Seu curriculo de ilustrações inclui também algumas releituras abismais.

Conheçam Chico Shiko.
O livro é especial de todas as formas!

Para começar, ele tem uma luva especial e feita com muito cuidado. As flores são incrivelmente bem feitas e intricadas. O livro é sanfonado e tem apenas duas páginas, frente e verso, que, quando abertas, totalizam um metro em sua extensão. Talvez a melhor coisa seja que você pode começar tanto por um lado quanto pelo outro, e há pistas que indicam que ambos são o ponto de partida, e seu entendimento da obra vai depender muito de qual você considera que seja.. O erotismo é bem pensado e artístico.

"Talvez ela nem se chame Flora. Muito menos Nana, como está no anúncio". O título, cruelmente sagaz, acaba se transformando num tapa na cara.

A história curta, a arte bem feita, a narrativa envolvente com "poucas palavras e muito amor" e a bela estrutura do livro definitivamente cria um livro que merece (e precisa) estar na estante de todos. Sem exceção.


Nota:


O início. Ou seria o meio? Talvez...
...Talvez seja mentira.

Rafael
Compartilhe no Google Plus

Sobre Rafael Castro

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oi Rafael, nossa adorei esse livro, bem diferente né? Mas chamou muito minha atenção, e sua resenha me deixou mais curiosa para conhecer mais dessa história. Espero ter a oportunidade de ler ele um dia :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kétrin!
      Desculpe a demora para responder, longo semestre.
      O livro é bem diferente sim, e é ótimo. Espero que você consiga ler!
      Bom final de semana!

      Excluir
  2. Oie,
    nossa não conhecia, mas achei bem diferente. E que trabalho conseguir um hein!

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Sim, deu bastante trabalho. Mas valeu à pena.
      Até breve, e desculpe por demorar a responder.

      Excluir
  3. Show! Muito interessante esse livro, quero muito ler. Parabéns pela resenha.. atiçou meus sentidos. kkk
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é ótimo.
      E acho que você disse exatamente o correto quanto a este livro: leia com todos os sentidos.

      Até breve, Paloma.
      Bons sonhos.

      Excluir
  4. O livro é lindo, mas não gosto muito de literatura erótica. Leria, é claro, pois amo ler, mas comprá-lo acho que não. O design dele é LINDO!

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito fã de livros ou HQs com conteúdo hot, mas esse me chamou a atenção. A arte parece ser incrível.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de março. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir