O dia em que decidi fazer uma leitura às cegas [Devaneios]

Estamos acostumados a, antes de ler qualquer livro, procurar saber mais sobre ele (claro que não é via de regra). Seja sinopse, seja resenha, vídeo, ou até mesmo pela orelha da capa dele, o fato é: sempre procuramos saber algo a mais sobre o livro antes de ler, muitas vezes por medo de perder tempo com um livro chato...

Certo, isso é um ponto positivo, pois ninguém quer perder seu precioso tempo com um livro terrível de ruim... Mas com essa atitude, deixamos de ter surpresas com uma leitura boa... E por isso que tentei algo diferente nas minhas últimas viagens literárias: tentei fazê-las às cegas! Não, não vendei os olhos para ler! E também não estou falando de áudio-book... Falo de ler sem saber absolutamente nada acerca da obra.

Somando isso ao conselho de amiga de sempre Jaci, deixei-me ser fisgado por um livro entre muitos à venda na livraria do Kobo. Comecei a ler a amostra, apenas parei para inserir os dados do cartão para comprar, pois eu adorei o "Caderno de um Ausente" e tinha que ler ele completo.

Sscrito pelo brasileiro João Anzanello Carrascoza, da Cosaic Naify, "Caderno de um Ausente" é um livro maravilhoso, me prendeu em cada página. Um livro que comecei a ler sem saber nada sobre ele, e quando digo nada é NADA, a não ser o título.

A primeira vez que tive experiencia parecida foi com o Príncipe da Névoa, de Zafón. E foi uma ótima leitura, cheia de suspense, com surpresas, com empolgação... sem spoilers! rsrsrs

Com essas duas situações, entendi que a leitura ficava mais gostosa quando não sabíamos nada sobre a obra... até ler ela, claro.

Após terminar os livros, segui para internet para ler resenhas, artigos, saber mais do autor, etc. Ou seja, andei pelo caminho inverso do que estava acostumado a fazer, e não me arrependi. Posso dizer que foram experiências diferentes, mas igualmente cheias de surpresa.

Não, não estou dizendo que ler resenhas de livros é algo ruim (até por que este espaço aqui é também para isso) mas existem situações em que mudamos a rotina e temos agradáveis surpresas. Inclusive algumas editoras já estão adotando essa filosofia: as sinopses são genéricas, não falam muito (e as vezes absolutamente nada sobre o enredo do livro), além disso, algumas editoras passaram do inicio para o final do livro aqueles pequenos artigos, ou comentários em que alguma personalidade disserta sobre a obra. Acho muito válido, pois começamos o livro com a mente limpa e sem a menor ideia do que vamos encontrar nas próximas páginas.

Não sei se você também segue essa filosofia da "leitura às cegas" mas deixo aqui nesse breve devaneio minha impressão sobre essa experiência. Eu adorei! Se ainda não tentou, vamos? 

Alexandre Melo

Compartilhe no Google Plus

Sobre Alexandre Melo

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Alexandre, sempre que possível evito sinopses, acho que elas mais estragam a experiência que facilitam qualquer coisa, até mesmo resenhas não gosto muito de ler se já sei que também quero ler o livro. É muito bom quando o livro nos surpreende, quando sabemos muito pouco e ele nos entrega tanto. Claro que pelo meio do caminho tem as derrapadas, mas sempre é possível partir pra uma próxima leitura.

    Dois abraços ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!!

    Fazer isso é extremamente bom. Você lê um livro sem esperar nada por ele... ou seja, que venham as surpresas. Tecnicamente, estou fazendo isso com a minha atual leitura (via kobo também) de Melancia. Eu só conhecia por razões de comentários, "leia, o livro é ótimo, você vai gostar", sem saber nada da história, narrativa e tals. E sabe? estou adorando!! <3

    Até mais

    ResponderExcluir
  3. Olá! Sou do tipo de leitora que julga pela capa, então acabo lendo as cegas, pois só vejo a estética e compro, sei que muita gente não concorda com essa filosofia, mas eu penso que se nem a editora se deu ao trabalho de fazer algo bonito, por que eu deveria ler?

    http://www.whoisllara.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Alexandre!
    Como eu faço a divulgação dos lançamentos das editoras parceiras no blog, e até mesmo para escolher os livros que irei resenhar dentro dessas parcerias, acabo sendo "obrigada" a ler as sinopses dos livros. Mas quando o lançamento é de um autor que eu já conheço, nem leio a sinopse, me jogo de cabeça na leitura. Mas nunca tive uma experiência totalmente às cegas como essa, deve ser interessante.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  5. Agradeço os comentários! É sempre bom poder somar minhas experiências às vossas! E para quem ainda não tentou uma aventura dessas, faça o teste e conta pra gente depois! ;) Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Hoje em dia é muito fácil conseguir informações sobre os livros que iremos ler. Sou do tempo que ia na biblioteca durante o intervalo das aulas. Era quinze minutos para comer e trocar o livro na biblioteca. Então ia pelo nome do livro, pelo nome do autor. Nem pela capa dava para ir porque antigamente tinha umas capas horrorosas nos livros hehe. Mas hoje em dia procuro ler as resenhas e as sinopses antes de ler os livros. Só as sinopses dos livros da Arqueiro que não leio, porque eles contam a história toda na sinopse.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir