O homem que mudou o jogo (Moneyball) [Resenha do filme]


Este texto também foi publicado no blog Notas de Rodapé

Eu adoro filme com esporte e por isso não poderia de deixar de ver “O homem que mudou o jogo” (Moneyball), além disso, tem o Brad Pitt como protagonista e quem se recusar a vê-lo?

Billy Beane (Brad Pitt) é um ex-atleta que tem que encontrar e formar novos jogadores para o time de baseball Oakland Athletics, já que seus jogadores depois das temporadas acabam saindo para clubes mais ricos. Porém, Billy conhece o novato analista Peter Brand (Jonah Hill), que monta o grupo com base em suas estatísticas, isto é, dando mais enfoque ao grupo e não às habilidades individuais. A ideia parece ótima, mas o problema é conseguir convencer os diretores do clube que o novo sistema vai dar certo, já que as raposas velhas não acreditam em mudanças. 

O mais interessante no filme é questionar os milhões que os clubes gastam com um único jogador, algo que também acontece com frequência no futebol: clubes e mais clubes falidos preferem pagar milhões para um único jogador e menosprezam aqueles que são medianos, mas que ajudam o time a ganhar suas vitórias. No baseball acontece o mesmo, mas Peter, com seus cálculos, pensa de maneira diferente, pois para ele é possível ganhar sem ter uma folha de pagamento absurda! No entanto, confesso que quando eles começaram a procurar por jogadores cheios de lesões até eu pensei que as coisas não iriam funcionar, pois uma coisa é você contratar jogador mediano, outra é contratar jogadores lesionados, mas aprendi que no baseball, por conta das posições, tudo pode ser possível.

Billy Beane (Brad Pitt) e Peter Brand (Jonah Hill)

A tensão entre o novo e o velho perdura por toda a história e apesar de ser um clichê, isso torna bastante interessante quando Peter tem o aval de Billy. Peter é o personagem que mais me interessou, já que é formado em economia, uma área que não tem muito a ver com esporte, mas mostra um incrível respeito por Billy, que é o típico jogador que se aposentou, mas não consegue ficar fora do campo. Billy até tem uma trama secundária com sua esposa e filha, mas o que sustenta mesmo o filme é a formação da nova equipe e os cálculos de Peter, embora o passado do protagonista seja bastante interessante também. Afinal, qual grande jogador que nunca se iludiu com seus próprios talentos? 

Outro aspecto a ser notado é a crueldade dos esportes, já que para um brilhar outro tem que sair e no baseball parece que as coisas são bem piores do que no futebol, o jogador é demitido de uma hora para outra, às vezes pouco antes de uma partida. Cruel e desumano! 

Enfim, “O homem que mudou o jogo” é um excelente filme que mostra não só os bastidores do baseball, como a trajetória de um time que ninguém mais acreditava, baseados em fatos reais o filme me empolgou bastante!

Nota:




Michele Lima

Compartilhe no Google Plus

Sobre Michele Lima

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Oi, Filmes com o Brad Pitt sempre são bons, esse não deve ser diferente, confesso que deu vontade de assistir ele agora, pq gosto desse tipo de filme tbm *o*

    http://chadesaudade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo joia?
    Eu ainda não vi o filme, mas como é com o divo do Brad eu com toda a certeza vou ver hahaha, me parece ser um ótimo filme !!

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Michele!
    Eu não gosto de assistir nem de praticar esportes... Mas adoro filmes sobre o assunto, acredita?
    Já vi esse filme e também gostei!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir