Dos teatros para as telonas (Parte II)


Outro dia fiz um post com três musicais que foram para os cinemas. Aqui vão mais três.

Opa, pera, o primeiro da lista fez o caminho contrário. Depois de fazer sucesso como longa, virou peça de teatro.




Moulin Rouge

Sinopse: Christian é um jovem escritor que possui um dom para a poesia e que enfrenta seu pai para poder se mudar para o bairro boêmio de Montmartre, em Paris. Lá ele recebe o apoio de Henri de Toulouse-Latrec, que o ajuda a participar da vida social e cultural do local, que gira em torno do Moulin Rouge, uma boate que possui um mundo próprio de sexo, drogas, adrenalina e Can-Can. Ao visitar o local, Christian logo se apaixona por Satine, a mais bela cortesã de Paris e estrela maior do Moulin Rouge.

Com Nicole Kidman e Ewan McGregor nos papeis principais, Moulin Rouge fez o caminho contrário da temática desse post, mas eu não pude resistir a colocá-lo aqui. Ele marcou história já que foi o primeiro musical a ser indicado ao Oscar após 23 anos. O longa é de 2001 e, de acordo com a Wikipédia, é inspirado em três óperas (ou seja, ele não foge taaanto assim do tema do post). Bom, já que começou com o cinema, vamos primeiro a ele, depois ao teatro (como a maioria dos vídeos teatrais é do espetáculo completo, peguei um de estudantes de ensino médio, mas já tá valendo, certo?)

No cinema



No teatro (versão escolar 2012)




Hair

Sinopse: Claude, um jovem do Oklahoma que foi recrutado para a guerra do Vietnã, é "adotado" em Nova York por um grupo de hippies comandados por Berger, que como seus amigos tem conceitos nada convencionais sobre o comportamento social e tenta convencê-lo dos absurdos da atual sociedade. Lá Claude também se apaixona por Sheila, uma jovem proveniente de uma rica família.

Vamos voltar ao nosso caminho original: dos palcos para os cinemas. Hair também já teve post exclusivo aqui no blog e é, na minha opinião, um dos mais importantes musicais já feitos. Sua história é fantástica e seu espírito hippie chama a atenção de qualquer um. As primeiras adaptações nos palcos foram no fim da década de 60, mas o filme só foi lançado em 1979. Na época, teve adaptação no Brasil também, a qual foi censurada pela ditadura.

No teatro (apresentação especial do elenco de 2009 no Tony Awards)



No cinema




A Noviça Rebelde

Sinopse: No final da década de 1930, na Áustria, quando o pesadelo nazista estava prestes a se instaurar no país, uma noviça que vive em um convento mas não consegue seguir as rígidas normas de conduta das religiosas, vai trabalhar como governanta na casa do capitão Von Trapp, que tem sete filhos, viúvo e os educa como se fizessem parte de um regimento. Sua chegada modifica drasticamente o padrão da família, trazendo alegria novamente ao lar da família Von Trapp e conquistando o carinho e o respeito das crianças. Mas ela termina se apaixonando pelo capitão, que está comprometido com uma rica baronesa. 

Esse é outro musical que tem uma ambientação política importante. Baseado em fatos reais, o musical é baseado em um filme alemão de 56. A estreia nos palcos foi em 59 e o filme, que teve no papel central Julie Andrews, é de 1965. A adaptação cinematográfica é realmente longa (praticamente três horas) e definitivamente não é o mais empolgante dos musicais que trouxe aqui, mas sem dúvida tem seu valor.

No teatro (adaptação de 2011)


No cinema



E ai, o que acharam? Se souberem de mais musicais adaptados pro cinema, avisem. De repente rola um terceiro post!


De novo, as sinopses são do AdoroCinema
Compartilhe no Google Plus

Sobre Ana Seerig

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. detesto a desafinação de moulin rouge. gosto muito de noviça rebelde. por incrível que pareça nunca vi hair. passa no telecine cult, mas ainda não me animei em ver. beijos, pedrita

    ResponderExcluir
  2. Olá!!

    Não assisti a nenhum, embora já tenha ouvido falar de A Noviça Rebelde (quem nunca?).. rsrsrsrs

    Achei interessante a história por detrás desses musicais...

    Até mais

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana!
    Nunca vi Hair, mas amo os outros dois filmes.
    Eu adoro musicais, mês passado fui para São Paulo assistir Mudança de Hábito, é muito legal! Esse também é um que era filme e virou peça.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, muito bom este post. Dos filmes citados, assisti a todos mas no teatro, o único que vi foi Hair. A noviça rebelde, é sem dúvida, o meu favorito. As músicas são belíssimas embora que as de Hair tambem o são. Enfim, parabéns pelo post.

    Sou Alberto Valença do blog Verdades de um Ser e colaborador do Meu pequeno vício. Criei agora outro blog sobre viagens. Se puder passar por lá irei gostar muito.

    Verdadesdevum Ser
    Meu pequeno vício
    O seu companheiro de viagem

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, sou eu de novo. Só depois li o seu 'desafio' para que nós, leitores, lhe informemos mais musicais que conheçamos. Se você quiser, dá pra você fazer não só mais um post mas, uns 5 ou 6.
    Vou citar só os mais famosos e melhores. O primeiro é 'Amor sublime amor' (West side story) que já teve várias versões no cinema. É uma peça de Shakespeare. O segundo é um filme belíssimo de Norman Jewison, 'Um violinista no telhado' com música de Jerry Bock e John Williams e o terceiro é 'O fantasma da ópera' mas, existem dezenas de outros. Não posso deixar de mencionar também My fair lady.

    Sou Alberto Valença do blog Verdades de um Ser e colaborador do Meu pequeno vício. Criei agora outro blog sobre viagens.

    Verdadesdevum Ser
    Meu pequeno vício
    O seu companheiro de viagem

    ResponderExcluir