Menina Má [Resenha Literária]


Que tipo suspense psicológico de 1954 seria capaz de gerar uma sensação de terror em 2016? Menina Má. Mas antes é preciso compreender, mesmo que superficialmente, o médico para depois o monstro. William March criou um suspense psicológico de tal profundidade que surpreendeu aos críticos, vendeu mais de um milhão de exemplares, rendeu uma adaptação teatral com 322 apresentações e uma adaptação para o cinema, ao mesmo tempo em que foi amaldiçoado e recusado por editoras por seu conteúdo perturbador e inovador.

March foi o segundo filho de uma família com onze crianças, filho de pais extremamente religiosos que fizeram com que se sentisse depravado, March cresceu sem um completo desenvolvimento emocional, privava-se de envolvimentos amorosos ao mesmo tempo em que gostava de dissecar a sexualidade e perfis psicológicos de criminosos, alguns diziam que foi homossexual.

Há uma forte corrente que vê Menina Má como autobiográfico, alguns aspectos de March são sim refletidos na narrativa, o sobrenome Penmark, dado a personagem principal Rhoda reflete a obsessão tanto da garota quanto de March com caligrafia, assassinos citados na obra são influencias do gosto e estudo do autor de casos criminosos e até mesmo o nome da mais célebre assassina citada em sua narrativa carrega traços de March, Bessie foi uma garota que teria o rejeitado, entre outros fatos, colocando William March nas entranhas de sua obra.


Rhoda Penmark é uma garotinha de aproximadamente oito anos, autossuficiente, veste-se sozinha, trança seus cabelos e possui uma disciplina e educação que encanta aos vizinhos, professores e todos que cruzam seu caminho. Christine a mãe da garota, deve manter a casa e cuidar da filha enquanto seu marido, Kenneth, está afastado servindo ao exercito, uma família tradicional americana e um tanto sem graça, até que Christine começa a desconfiar de alguns dos atos de sua filha, a garota teria mesmo a inocência de uma criança, ou tudo só passa de um jogo dissimulado onde tem todos os seus movimentos calculados? Seria mera coincidência todos que possuem algo que Rhoda deseja sofrerem inexplicáveis acidentes? 

Christine conhece um amigo de sua vizinha, Reginald, homem que possui artigos sobre assassinos e conhecimento do assunto, sob o pretexto de estar escrevendo um livro, algo comum as donas de casa da época, Christine começa a estudar os casos, descobre algo omitido em seu passado, descobre que sua filha possui uma espécie de semente do mal, porém, a maldade seria algo fixo em nossos genes, ou apenas um traço de personalidade que pode se desenvolver ou não dependendo do ambiente em que vivemos?


A mãe se vê presa entre defender sua filha, sangue do seu sangue, ou proteger o resto da sociedade das ações da garota, que com o tempo pode se tornar a mais nova amada e odiada assassina que tem como único destino uma cadeira elétrica e as capas de jornais.

Menina Má se mostra uma leitura mais profunda do que pode ser visto a primeira vista, diversos assuntos que na época eram taxados como proibidos são tratados na narrativa, mesmo que de forma sutil, assassinos em série, homossexualidade e a paixão platônica e errada de um adulto por uma criança. Ao longo da leitura o leitor sente que está lendo um livro proibido, algo impuro, sente-se espiando por trás das cortinas a vida de Christine Penmark, compartilha suas angustias, seus medos, a grande decisão que deve tomar e sente junto com a personagem o incomodo que é olhar para Rhoda e saber do que aquele rostinho angelical é capaz.


Menina Má prova que o terror não é feito de banhos de sangue ou se torna ultrapassado com o tempo, é o tipo de livro que mesmo cinquenta anos depois de ter sido escrito irá te angustiar, envolver, sufocar e fazer com que sinta frio na espinha. Mais uma vez a Darkside mostrou excelência em desenterrar um clássico com todo o luxo que merece, a edição conta com capa dura, fita marca paginas e algumas ilustrações que complementam o capricho tido com a edição.


Dados do Livro:

Título: Menina Má
Título original: The Bad Seed
Autor: William March 
Editora: Darkside Books


Rafaela Alves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

25 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Primeiramente, que capa é essa, gente? Ah claro, DarkSide, hahaha! Essa editora arrasa demais, meu Deus. Bom, fiquei bastante curiosa para ler o livro. A estória parece ser ótima...

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rafaela.
    Desde que vi esse livro nos lançamentos fiquei muito interessada nele. Essa capa é demais, assim como todas as da editora e o enredo é muito interessante. Assim que aparecer alguma promoção eu vou comprar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Já passei diversas por esse livro em minhas andanças pelo site da DarSide e, mesmo sentindo curiosidade ao olhar essa capa, nunca me dignei a olhar a sinopse e que grande erro meu. Ao ler a sua resenha percebi o quanto fiquei curiosa com a história e Rhoda e como tudo termina. Muito curiosa mesmo! Quero saber como tudo se desenrola e o que Rhoda começa a se tornar *-*
    Resenha maravilhosa!
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Primeiramente, como a editora arrasa nas capas, né? Eu fico babando.
    Eu sou encantada por assuntos que tratam da psicopatia. Como as crianças normalmente são vistas como alguém "puro", é impossível desconfiar que nem todas são.
    Ainda não consegui ler esse livro. Já estou chorando pro meu namorado me dar de dia dos namorados, hahah.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  5. Oi! Com certeza um livro perturbador, li poucas histórias onde crianças são a personificação de algo ruim, mas foi mesmo a forma como o autor se colocou na obra que me deixou curiosa.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Essa capa: <3

    Ele entrou pro meu TOP 5 dos desejos do mês passado, mas ainda não sobrou grana pra comprar.
    O livro me atrai muito e sou dessas fãs de terror/suspense que aprecia muito mais o antigo do que o atual. Hoje em dia quanto mais sanguinário melhor, mas é como vc falou, banhos de sangue não são necessários. Prefiro mil vezes um bom e angustiante thriller psicológico.
    Espero gostar da leitura, tenho altas expectativas.

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Rafaela! Esse livro é perturbador e dá o que pensar. Estamos tão acostumados a ver as crianças como puras e inocentes, né?! Prefiro esse terror mais psicológico do que banhos de sangue.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  8. Estou vendo várias divulgações desse livro e estou SUPER curiosa pela leitura. Espero conseguir ler em breve! *_*

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Rafa!
    Eu não sabia nem do filme até a DarkSide fazer divulgação desse livro.
    Crianças psicopatas me assustam hahahhahah
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Olá Rafaela!
    Realmente só de ler sua resenha já fiquei traumatizada e confesso que não gosto de ler terror. É uma história que mantenho distância,que me assusta, mas respeito a beleza e excelência da obra editada pela Darkside.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. WOOOOW! Que resenha fantástica! Adoro histórias de terror e confesso que esse livro me chamou a atenção. Não conheço o filme, porém vou assistir!
    Beijos,
    Luana Agra - http://sector-12.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. QUE LIVRO LOUCO!!!

    É a primeira resenha que leio dele é fiquei curiosa aqui. Queria ler agora! Sem falar que DarkSide dá aquele gostinho a mais né? Vou procurar para ler.
    Valeu a dica!!!!

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  13. Oi
    eu não sou e ler terror, mas eu fiquei muito curiosa para ler esse e parece ser bem diferente. Primeira resenha que li dele e gostei parece ser legal mesmo fora que achei a capa muito linda e diferente.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi, Rafa!
    Acredita que estou lendo esse livro nesse momento! Nem li sua resenha com medo de conter spoilers hahaha mas estou adorando, a Christine já sabe que ela foi a culpada pelo assassinato mas ainda não sabe o que fazer a respeito - e suspeito que o Leroy será o próximo! Estou super ansiosa para terminar!

    Beijos,
    Giulia | www.1livro1filme.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ler a resenha sem medo, sempre tomo todo o cuidado para contar sobre a narrativa de forma superficial, sei o quanto as surpresas são importantes para manter o suspense, e a graça do livro, então não se preocupe. hahahaha

      Excluir
    2. Oi, Rafa!
      Terminei o livro! Nossa, fiquei sem fôlego no final, menina.
      Jamais imaginaria um final assim e ele me surpreendeu.
      O filme foi indicado a 4 Oscar's em 1954, deve ser muito bom, quero ver :)

      Beijos!

      Excluir
  15. ooi! Quero ler esse livro demais, adoro um suspense psicologico, esses são os que mais acabam me abalando e pior ainda quando envolve crianças. haha
    Beijos
    Estilhaçando Livros
    Tem sorteio no Cantar em Verso valendo box dos Jogos Vorazes.

    ResponderExcluir
  16. Olá. Tudo bem?
    Adorei sua resenha, foi a mais completa que já li até então. Adorei saber mais sobre a questão do autor e dos temas abordados. De fato, terror não é somente sangue e morte, acho que uma mente perturbada dá conta de impressionar o leitor de modo aterrorizante.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi! Tudo bem contigo?

    Geeeeeeeeeeente, socorro! Que resenha top! Já vi esse livro várias vezes na Submarino, porém é a primeira resenha que leio sobre ele e parece muito, muito perturbador mesmo. Nunca li um livro do gênero, mas esse parece merecer uma chance!

    Um beijo,
    Blog Doce Sabor dos Livros | Página no Facebook | Twitter |
    docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oie,
    já tinha visto o livro por ai, mas confesso que ele não me chama atenção

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  19. Rafaela
    Amei a resenha, principalmente pelo começo, onde você descreve um pouco da biografia do autor, mas que foi muito importante para o entendimento de sua obra. A resenha já me ganhou por aí e quero sim ler o livro, depois mais a frente, quando você conta a trama propriamente dita, acabou de me fisgar de vez, pois o drama vivido por essa mãe deve ser tocante, fora a capa, divina.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Sorteio dos 3 livros da Trilogia FUNÇÃO CEO de Tatiana Amaral

    ResponderExcluir
  20. Oi, Rafala, tudo bom?
    Terror, tanto sobrenatural como psicológico, é um dos
    meus gêneros favoritos e esse é um dos livros que eu
    mais quero comprar no momento. Eu nunca havia ouvido
    falar dele e o relançamento desse clássico pela Darkside
    foi ótimo pra "desenterrar" um livro que parece ser
    fantástico e muito envolvente, além de ter influenciado
    bastante, principalmente pelo rebuliço que a primeira
    publicação deve ter causado.

    Estou louca pra ler!!

    Beijinhos,
    Sala de Leitura

    ResponderExcluir
  21. Oi Rafaela,

    Tenho lido muito sobre esse livro e embora eu não goste de terror (medinho), to querendo ler. Fiz um amigo do serviço se interessar por ele para depois me emprestar. kkkkk Nunca li nada da Darkside, quem sabe esse não seja o primeiro!!

    Bjs, @dnisin
    www.sejacult.com.br

    ResponderExcluir
  22. Um livro com uma edição tão linda só poderia ter vindo da Darkside, né? Sou apaixonada por essa editora! Quero muito ler esse livro e já estou me preparando para o medo que vou sentir hahah

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Jesus cristo!
    Não tinha lido nada sobre esse livro, apesar de achar a edição incrível e já desejar por ser da Darkside *-*
    Não sabia que se tratava de um clássico, achei que fosse uma obra totalmente nova!
    Achei a premissa bem interessante. Gosto quando aspectos psicológicos são abordados assim. Fico pensando nas atitudes dessa criança e principalmente dessa mãe em relação a ela :S bacana esse questionamento sobre a "semente" ser cultivada de acordo com o meio em que se vive. Quero esse livro pra ontem!

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir