O pêndulo do Foucault [Resenha Literária]


Segunda resenha de Umberto Eco... eu sei, você deve está se perguntando: mas Ju quando você fará a resenha do “Em nome da rosa”? Aguardem... Enquanto isso, você vai lendo esse livro sensacional que no título relaciona dois Foucault: o filósofo francês Michel Foucault (isso mesmo, aquele que escreveu História da Sexualidade!) e Léon Foucault (o próprio! Físico que demonstrou que a rotação da Terra por intermédio de um pêndulo! Alerta de spolier: sim, agora você já sabe porque do título e não, não vou revelar o motivo do outro Foucault). 

O enredo se desenrola a partir de três amigos e editores Belbo, Diotallevi e Casaubon que após fazerem leituras sobre manuscritos ocultistas de teorias da conspiração resolvem por diversão desenvolver a sua própria teoria, chamado o plano. A brincadeira acaba sendo levada tão a sério que Belbo se torna alvo de uma sociedade secreta que acredita que ele conhece o caminho para acessar um tesouro perdido dos templários.

Como de costume, Eco opta por um enredo desenrolado em retrospectiva o contribui para tornar a trama ainda mais emocionante e complexa. O livro é aberto com Casaubon no museu próximo do fim do horário de funcionamento. É com as memórias de Casaubon que passamos a tomar conhecimento da narrativa que passa desde o momento em que Casaubon era um estudante em Milão e conhece Belbo. 


A peça chave é o livro escrito por Ardenti que relata a trajetória dos templários após a acusação de heresia pela monarquia francesa e a igreja católica. O texto aponta reuniões esporádicas e tentativas de dominação do mundo. Esse texto somado ao desaparecimento bastante suspeito de Ardenti, leva Casaubon a sair da Itália e a passar dois anos no Brasil. É no Brasil que Casaubon toma contato com espiritualidade local e conhece Amparo e é apontado por um homem como o místico Comte de Saint-Germain. 

Após o término com Amparo Casaubon retorna a Milão e retorna a trabalhar no mercado editorial, o que acaba por reprojetá-lo nesse ambiente de ocultismo e teorias conspiratórias. É nessa parte do livro que passamos a ter uma maior dimensão do que é “o plano” e os impactos psico-religiosos que ele instaura em Casaubon e seus amigos. Esse é um ponto interessante no livro, pois nos leva a refletir sobre os limites entre magia, religião e mito/história. O que torna a narrativa ainda mais instigante, pois além de ser um belíssimo romance histórico consegue projetar questões contemporâneas sobre razão e religiosidade. 


Espero que com isso vocês se animem para mais esse texto do Eco e aguardem que em breve cumprirei minha promessa e revelo se o filme conseguiu ser tão bom quanto o livro. 

Dados do Livro:

Título: O pêndulo do Foucault
Autor: Umberto Eco
Ano: 2016 (1988), 16ª edição

Bjs,
Ju
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

13 comentários:

  1. Oi Ju e Mi, suas lindas, tudo bem com vocês?
    Eu vi o filme Em nome da rosa na época em que eu estava na escola e simplesmente amei!!! Mas faz tanto tempo, que você até me deu saudades, acho que irei assistir novamente e finalmente ler o livro, que ganhei. Não sabia sobre essa outra história do autor, mas pelo visto é tão emocionante quanto. Já pensou, ser perseguido por um plano que não passava de brincadeira? Fiquei até com medo, risos... Não vejo a hora ler. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Tenho muita vontade de ler o autor desde o filme O nome da rosa, mas são tantas resenhas dizendo o quanto são livros difíceis e densos que acabo desanimando, sua resenha me deixou bem curiosa, amo romances históricos.
    Em breve darei uma chance a algum livro dele.

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  3. Oie Ju =)

    Li muito Umberto Eco na época da faculdade, e mesmo as obras dele sendo um pouco complexas, confesso que gosto da escrita do autor.
    Espero ter a oportunidade de ler O Pendulo do Foucault em breve.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ju!
    Nunca li nada do Umberto Eco, acredita? Mas tenho vontade.
    Ele parece ser um escritor ousado, interessante e que faz você pensar sobre o que ele apresenta. Ao menos é essa a impressão que tenho dele.
    Espero poder ler em breve esta obra. Parece ser boa.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nada desse autor, mas sua resenha foi ótima. Amei <3
    Parabéns pelo blog, já estou seguindo para poder acompanhar as novidades

    www.papomoleca.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi
    nunca li nada, parece ser um livro interessante, mas a leitura deve ser um pouco mais lenta. Se o livro o nome da rosa for do filme que estou pensando o filme é bom.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Aaaai como falávamos em Focault na faculdade... era uma pressão em cima deste nome...hehe.
    Ainda não tinha visto este livro e infelizmente nunca li nada do autor, apesar de sempre ver o pessoal elogiando muito. E tem filme também? Agora me senti uma atrasada mesmo, kkk.

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ju!

    Gosto bastante dos livros do Eco, tanto dos teóricos quanto os de ficção. Faz tempo que quero ler "O pêndulo do Foucault", pois deve ser uma ótima leitura - sua resenha reforçou essa ideia e me deixou ainda mais curiosa. Fiquei intrigada para saber mais sobre os elementos que movem a história.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju! Do autor li O Nome da Rosa e achei um livro maravilhoso, gostei muito da proposta deste e fiquei bem curiosa sobre a trama. Vou ler com certeza.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Acho que esta foi a tua melhor resenha Ju! beijos!

    ResponderExcluir
  11. Nunca li Umberto Eco, mas já ouvi relatos sobre as histórias que ele escreve... E pelo jeito esse parece ser mais uma das que vale a pena serem lidas.. kkkk

    ResponderExcluir
  12. Olá, Ju.
    Li recentemente o trabalho e também resenhei.
    Apesar de o livro ser bem denso, é interessante e envolvente. Além disso, nos faz pensar, o que é maravilhoso.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  13. Ocultismo e teorias conspiratórias, agora você falou minha língua! hahaha. Umberto Eco é um verdadeiro clássico, e era de se esperar que este fosse um grande romance (a começar pelo número de edições publicadas!). Sua resenha foi muito bem escrita, parabéns!

    Um beijo!
    Débora
    http://amorlivronico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir