A Garota do Calendário: Fevereiro [Resenha Literária]


Antes de falar sobre Fevereiro, um pequeno comentário sobre a série e o machismo. Às vezes a gente diz que é feminista, erguemos a bandeira, a causa, dizemos nosso corpo, nossas regras, mas chamamos a rival de vaca, de puta, torcemos o nariz pra quando uma mulher transa sem amor, mas damos um pequeno sorriso quando o homem é mulherengo. Daí eu me pergunto o quão feminista somos? E A garota do calendário: janeiro me fez pensar um pouco sobre isso e o quanto podemos ser às vezes hipócritas, machistas e eu me incluo nisso, porque muitas vezes eu me pego criticando coisas que publicamente (no facebook, por exemplo) eu rapidamente defendo. Acontece, e muito, mas se policiar faz parte da vida de quem quer largar preconceitos. 

Muita gente criticou a superficialidade de A Garota do calendário, mas gosta de romance água com açúcar, ou do fato de terem 12 livros, mas Game of Thrones é infinito e ninguém liga! Poxa, simplesmente não curtiram a história, não se empolgaram, acho super compreensível. O que me decepciona é o preconceito pelo gênero romance erótico, quando nunca leram algum, ou por uma protagonista que tem pleno domínio do seu corpo. 

Mia é daquelas: se eu quero transar e receber é problema meu, se quero transar e não receber é problema meu também. Adoro uma protagonista sem frescura! Por Deus, toda mocinha precisa de um homem pra salvar a vida delas? Mia não precisa de ninguém, ela resolve por conta própria! Agora, se você não gosta do gênero, tudo bem, super entendo, ninguém é obrigado a gostar do que a maioria gosta mesmo! Tem tanta coisa que todo mundo gosta, menos eu! No entanto, não gostar é uma coisa, julgar sem ler é outra. E se você gosta do gênero, precisa ter em mente que A garota do calendário é diferente, foge do padrão porque como eu disse Mia não tem um príncipe encantado e não se guarda virginalmente para ele. Nem diz aquelas célebres frases de romances de banca: “faz tempo que não transo, vai devagar” ou “tive poucos homens, sou inexperiente”, em uma clara tentativa de nos dizer “sou quase virgem” (risos). Como se ser virgem ou inexperiente fosse algum mérito. Mia não é assim, ponto para a autora! 


E o mais irônico de tudo é que o sexo não me parece ser exatamente o ponto forte ou principal do livro, mas sim a apresentação dos personagens. Conhecer com quem Mia se relaciona é que me parece estar em primeiro plano e mesmo que em Fevereiro a coisa tenha ficado mais no sexo e menos na história, eu realmente já li romances de época bem mais picantes! Aliás, quem já leu Maya Banks e Megan Maxwell precisa de muita, muita cena ousada para se sentir chocada nessa vida!

E quem leu Janeiro vai ter uma surpresa com Fevereiro, porque Mia segue como acompanhante de luxo e dessa vez conhece um artista francês. Mia tem relações sexuais com Alec que quer ensiná-la a amar si mesma, a ter uma boa autoestima, a se sentir bonita, interessante e ter certeza de que merece o melhor na vida. Alec também ensina Mia a amar sem se comprometer. Não achei Alec vulgar, a forma como ele ama Mia é quase artística, extremamente sensual. A única coisa que não gostei foi a falta de cenários, já que eles ficam na casa do Alec o tempo todo. 

Wes aparece algumas vezes ao mandar mensagens para Mia, mostrando o que os dois viveram em Janeiro foi mais do que sexo ou trabalho. Wes continua sendo um grande amigo para Mia e isso fica claro nas conversas dos personagens. E também fica claro que a protagonista não está no melhor momento da vida para ter um relacionamento sério, Mia está focada no seu trabalho e por isso segue em Março para Chicago! 


A garota do calendário: Fevereiro é uma leitura rápida, simples, nada complexa, mas gostei da narrativa de Audrey Carlan  que está repleta de sensualidade. Mia ainda não encontrou o momento para viver um grande amor e, sinceramente, nem sei se ele encontrará, porém, ainda assim, quero continuar acompanhando esse romance sem muito romance, esse hot sem ser tão hot!

Dados do Livro:

Título: A Garota do Calendário: Fevereiro
Título Original: Calendar Girl: February
Autora: Audrey Carlan
Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

20 comentários:

  1. Que lindeza de resenha e indicação! Que personagem maravilhosa! Fiquei encantada pela força feminista que a Mia carrega e pelo tanto, consequentemente, de lições maravilhosas que podemos a partir dela abstrair. Adorei a genuinidade do romance, sendo construído não com os julgamentos prévios e até feitos para nós mesmos, nos 'medindo para nos encaixar nos padrões alheios' e 'impressionar'. Desconstruções fundamentais ocorrem na obra e já pude sentir tanto disso nessa resenha detalhada, esclarecedora e incentivadora! Adorei as temáticas de base e o tanto de entrelinhas críticas que a obra já deixa em seus pilares. Sem dúvidas, lerei! Adorei a elaboração e as minúcias apresentadas.

    www.semquases.com

    ResponderExcluir
  2. Eu simplesmente amei a sua resenha!
    Até que enfim alguém pra dizer umas verdades. Eu conheço gente que fica criticando esse gênero dizendo ser uma coisa forçada e "coisa de gente tarada". Eu simplesmente fico com raiva porque é um gênero que eu gosto.
    A Garota do Calendário é um livro que eu estou doido para ler, não faltam ótimas criticas sobre ele dizendo ser um livro curto e bom de se ler. Acho que vou ainda ler a série nesse ano.
    Abração,

    Vinicius
    omeninoeolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não tinha pensado nesse ponto que você levantou e julguei sim o livro, e olha que eu leio bastante romances eróticos. Não sei se por as histórias serem sempre "mais do mesmo", ou porque algumas resenhas passaram a impressão de que essa série é basicamente sexo, algo me fez criar aquele pré-conceito. Talvez o fato de 12 livros me parecer muito, ou de a personagem se apaixonar por ~12 caras dentro de um ano, sei lá. Acho que deve ser uma leitura encarada com a mente aberta mesmo, sem julgamentos.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Michele.
    Estou vendo tanto sobre A Garota do Calendário que estou quase me rendendo a leitura. E sua resenha me deixou ainda mais curiosa para lê-lo. Também não gosto de personagens com muito mimimi, pra mim, os livros com mulheres fortes são sempre os melhores.

    Beijos
    Jéssica
    Blog Reviewing

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mi!
    Eu estou realmente louca para ler essa série, mas acho que vou esperar a editora terminar de lançar pra ver se consigo o dinheiro e compro a coleção de uma só vez! Adorei a resenha <3
    Beijos!
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
  6. Ooie! Ainda não li este volume mas pretendo fazer em breve. Achei a história do primeiro livro bem interessante, o que me incomodou foram alguns pontos especificos mas eu acho que as coisas vão mudando com o passados livros.
    Beijos
    Estilhaçando LivrosCantar em Verso

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi,
    Essa e ua série que quero conferir e tirar minhas próprias conclusões.
    Acho que vou acabar gostando sim.
    Já está na lista.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  8. Esses livros estão bombando, adorei a resenha, beijocas, Joyce.
    https://pedagogaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Michele!
    Eu sou a que reclamou da quantidade de livros HAHAHA
    E não, não leio Game of Thrones, pois os livros não me interessam. Eu desisti da série de TV na 3ª temporada porque não aguentava mais ver gente morrendo.
    Enfim, depois da "bronca" no começo da resenha (que eu achei justa!), acabei ficando com vontade de ler essa série, se é que isso faz algum sentido! Achei legal o fato da Mia ser uma personagem forte, também estou cansada de mulheres que precisam ser salvas.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soraaaaa eu juro por Deus que não foi pra vc, juro pela minha mãe! Foi só uma observação que vi de muitas pessoas rsrsrsrsrs

      Bjs, Mi

      Excluir
  10. Oiii Mi

    Adorarei sua opinião. Realmente existe um tabu pra algumas pessoas quando se fala no gênero erótico. Por muito tempo eu não me identificava com o gênero, na verdade, não chega nem a ser um dos meus gêneros favoritos, porém já li sim, e uma das minhas autoras preferidas escreve chick lit´s adultos e eu amo os livros dela! Eu não me considero feminista mesmo. Nem machista. Acho que a partir do momento em que criamos rótulos, nos obrigamos a seguir certas normas que honestamente não acho completamente certas, pois existe um equilibrio pra tudo.
    A personagem forte da Mia me chama a atenção, mas a história em si não desperta a minha curiosidade... do mesmo jeito que Game of Thrones tb não desperta. Aliás entre Game of Thrones e Garota do Calendário, acho que prefiro Garota do Calendário já que Game of Thrones me dá a impressão de ser excessivamente longa e ... chata (minha opinião).
    Dá preguiça pensar que Garota do Calendário trará 12 livros, não nego. Mas se a editora publica eles rapidinho, fica melhor. O dificil é lidar com a espera mesmo

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aliceeee, ao menos em A garota do calendário o povo não morre, acho.... rsrsrsrsrsr

      Excluir
  11. Eu estou curiosa quanto a esses livros. Achei muito legal a ideia de fazer um livro por mês e quero ler logo.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  12. Oi Michele,
    Talvez essa simplicidade que me incomode. Eu queria entender a protagonista, queria ver a complexidade de sentimentos que uma garota como ela deveria sentir. Para ela, ser acompanhante de luxo é fácil, só tem benefícios. O ato de fazer sexo com vários me incomoda da mesma forma como um homem mulherengo me incomodaria, afinal, eu gosto de sentir o que o personagem sente e vejo a forma como isso nos é apresentado... de maneira fria e impessoal... não consigo me envolver. Uma pena, porque a premissa é incrível!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente tem sua simplicidade, nisso eu concordo com vc. Acho que é normal às vezes não se conectar com os protagonistas, acontece rs

      bjs, Mi

      Excluir
  13. Bah, esta Mia é mesmo uma personagem sem frescura, isto por um lado é bom na literatura já que na maioria dos livros a gente só essas garotas se fazendo de difícil e de inocente e tals, isto cansa as vezes... Ainda não consegui começar a leitura da série, mas tenho que correr contra o tempo...

    Bj, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Uau, eu amei a sua resenha! Faz tempo que não vejo algo tão verdadeiro. Eu vi uma crítica enorme sobre esse livro, dizendo que a Mia parecia uma "puta" e blá blá blá, me fez ficar receosa. Mas eu amo livros hots, amo o fato dos personagens se entregam sem pedir nada em troca. Eu sou assim, desapegada do romance e gosto muito que a autora nos trás esse viés. Quem não gosta, não leia!
    Beijos! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? Bom, eu não critico quem lê nenhum tipo de gênero literário, só passo longe dos livros com o gênero mesmo, rs. Não leio a série porque acredito que não iria gostar das cenas de sexo, mas acho a estória super boa e tal, criativa. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certa Larissa, é horrível ler o que a gente não gosta!

      Bjs, Mi

      Excluir
  16. Oi Mi!!!
    Curto muito romances eróticos e não tenho vergonha apesar dos meus 66 anos de idade. Olha que sou de uma época de muitos tabus e preconceitos, mas nada disso me impediu de gostar de sexo e saber aproveitar e viver tantas histórias e A Garota do Calendário traz uma mulher de bem com a vida apesar de tudo porque passou. Mia não tem frescuras, pudores, sabe o que quer e segue em frente procurando tirar proveito e aprendizado a cada passo que dá em sua vida. Já li até o mês de abril e a cada mês uma lição de vida.
    Maravilhosa resenha!!!
    Beijos
    Saleta de Leitura

    ResponderExcluir