Agnes Grey [Resenha Literária]


Quando eu li Jane Eyre, decidi que Charlotte Brontë era a minha irmã Brontë preferida, mas confesso que depois de ler Agnes Grey, Anne conquistou um lugar no meu coração.

Agnes é filha de um casal humilde que depois de enganados a situação financeira se torna ainda pior. Pensando nas suas irmãs e nos seus pais, Agnes resolve trabalhar como preceptora e assim não ser um fardo na família. Durante todo o livro acompanhamos a trajetória do trabalho da protagonista e depois seu doce envolvimento com o pároco da região, Edward Weston, além da sua relação com Rosalie Murray, uma moça frívola e egoísta, mas importante para ações da história.

Difícil falar de Agnes sem compará-la com Jane, já que é evidente as semelhanças entre as duas. Ambas colocam o trabalho como ponto principal da vida, não um casamento com um homem rico, e esperam que seus pupilos tenham a mesma moral que elas, mas no caso de Agnes é sempre uma decepção. Não só porque os Murray são fúteis e desobedientes, mas principalmente porque o filho dos Bloomfield chega a ser cruel com os bichos, o que nos leva aos maus tratos com os animais, algo pouco comentado em romances do século 19.



Tanto Jane quanto Agnes possuem características de protagonistas vitorianas: solitárias, isoladas e introspectivas. Aliás, Agnes Grey é muito mais introspectivo que Jane Eyre; não existe um mistério a ser resolvido ou um caso impossível de amor, mas sim uma severa crítica ao tratamento dados às preceptoras. Agnes é inclusive culpada pelo mal comportamento dos filhos dos seus patrões, mas também nos mostra um pouco de suas alegrias.

Toda a obra é narrada pela protagonista e assim só temos o ponto de vista de Agnes, que é uma pessoa religiosa e altruísta, daquelas que visitam os vizinhos com necessidade. E é dessa forma, inclusive, que ela se aproxima de Weston. 

Agnes não tem uma posição que a permita ser uma mulher forte, sendo incapaz de dizer não aos patrões, ainda que na casa dos Murray sua presença seja um pouco mais forte. Porém, vemos situações em que os filhos do casal usam e abusam da boa vontade da preceptora, querendo inclusive que ela não visite os pais para ficar com eles. Afinal, era costume os pais largarem toda a responsabilidade de seus filhos nas mãos dos criados. E vale destacar também que Agnes é completamente oprimida por Rosalie, uma dama extremamente manipuladora.


Agnes Grey é o primeiro romance Anne Brontë, publicado em 1847 e como é baseado na sua experiência como preceptora, é considerado uma biografia da autora, devido as muitas semelhanças entre Agnes e Anne. Claro que não importa a vida de Anne para entender a trama, mas saber que parte do enredo está conectado com a história pessoal da autora nos faz entender melhor o ponto de vista da protagonista, o que explica talvez o fato de Agnes ser uma personagem bastante realista.

Anne Brontë consegue nos envolver numa história sem grandes ações, mas com um enredo que nos prende pela forma como é contado e por ter uma crítica social forte e pautada por acontecimentos verossímeis. 


O livro é curto, a leitura é rápida, fácil e agradável. Sem contar a capa linda e a edição impecável da Martin Claret. Agora quero ler outros livros das irmãs Brontë!

FICHA TÉCNICA

Título: Agnes Grey
Autor: Anne Brontë

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

16 comentários:

  1. Eu não costumo ler livros de época, mas realmente eles tem feito muito sucesso ultimamente. No caso do livro que tu resenhou eu achei a capa muito linda e gostei bastante do enredo. Fiquei com vontade de conhecer melhor essa história sim.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2016/11/top-7-novidades-da-semana_25.html

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito das irmãs Brönte, li há algum tempo Agnes Grey e tenho estado sempre paquerando as edições da Martin que são lindíssimas.

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto muito das irmãs Brönte, li há algum tempo Agnes Grey e tenho estado sempre paquerando as edições da Martin que são lindíssimas.

    ResponderExcluir
  4. Aiii, eu amo histórias assim. Nunca li nada das irmãs, mas conheço Jane Eyre pela série e filme. Preciso conhecer Agnes Grey. Já gostei!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Adorei a capa do livro! A estória parece ser boa, fiquei interessada. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu babo por esses livros!!! Amei a resenha, sério. Você me deixou apaixonada por ele. Quero muito conhecer a escrita das duas irmãs. Vamos ver se a black friday ajuda. Bjos ♥️

    Blog Literário 2

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mi.
    Eu fico completamente apaixonada por essas capas de romances de época. Infelizmente eu ainda não li nenhum clássico, mas eu tenho certos probleminhas quando o personagem é introspectivo e reservado demais, porém, o fato da autora abordar o tratamento que as preceptoras levam é algo bastante a ser comentado e pesquisa.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  8. Achei o livro lindo e fiquei encantada com essas capas, mas admito que não curtiria muito a leitura por não ser meu gênero preferido. Ainda assim, adorei sua resenha, suas fotos também ficaram lindas!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Preciso me aprofundar mais nos classicos, nunca li esse liro, então ja sei por onde começar kkkkk
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Mi! Tudo bem?
    Quero ler! Já não é a primeira vez que vejo alguém elogiando esse livro... Preciso adquirir ele para ler logo.
    Parece ser tão bom.
    Amei a resenha... :)
    Beijos,
    Keth.
    Blog: www.parbataibooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oieee!!
    Tenho amada ler romances de época!
    Orgulho e Preconceito foi minha última leitura e eu AMEI <3
    Não conhecia esses aí, mas já me interessei ♥
    E que livro MARAVILHOSO você tem da Jane. 3 em 1 ♥
    Eu comprei Razão e Sensibilidade hoje na Black!

    Bom final de semana
    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  12. Oi Mi,
    Tive uma melhor experiência com as Bronte do que com Jane Austen, com isso, vou arriscar ler esse livro.
    Não que seja preciso escolher uma ou outra, mas 'O Morro Dos Ventos Uivantes' foi uma leitura muito mais proveitosa do que 'Orgulho e Preconceito', mas é claro que eu amo os enredos!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Michele

    Adorei ler uma resenha sobre um clássico.
    E por ser curto, chama mais a atenção de uma atarefada como eu.
    Parabéns pela resenha, vou colocar este livro na minha lista.

    Beijos
    Alana Marques
    colecionadoresdelivross.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Mi, preciso muito ler as irmãs Brontë.

    ResponderExcluir
  15. Olá Mi,
    Ainda não conhecia esse livro, mas a história parece ser bem interessante. Gostei de saber que a protagonista tem um pouco da autora e acho que isso engrandece muito a obra. Legal saber que a leitura é rápida, pois não é um livro que, num primeiro momento, me causaria essa impressão.
    Claro que vou anotar a dica.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  16. Adoro livros que retratam uma época. Acho que já li esse de Agnes, mas livro bom merece ser relido. Tenho um péssimo hábito esqueço o nome dos livros. Mas não esqueço a estória. Bjs

    ResponderExcluir