Original Netflix: Frontier


A história se passa no século XVIII e tem como pano de fundo os confrontos por território para a exploração do comércio de peles na América do Norte. A empresa que detém o domínio legal para a exploração de grande parte do território, ou seja, autorização da coroa britânica, é a Hudson’s Bay Company (HBC), que tem como dirigente, Lorde Benton  (Alun Armstrong). 

Confesso que o primeiro incentivo para assistir a nova série foi a presença do ator Jason Momoa, que interpreta Declan Harp, um mestiço filho de mãe indígena e pai irlandês, em busca de vingança pela morte da mulher indígena e do filho. 


Após a morte do pai, Harp foi criado por Benton, que o e ensinou tudo sobre o comércio de peles e que por algum motivo, que só vamos descobrir no desenrolar da trama, o abandonou para criar sua própria empresa. No primeiro episódio apenas ficamos sabendo que Benton foi o responsável pela morte da família de Harp e que por isso, ele quer vingança. 

Paralelamente acompanhamos o jovem irlandês Michael Smyth (Landon Liboiron), tentando ganhar a vida em Londres, através de pequenos furtos, junto com um casal de irmãos. Em um destes roubos, as coisas se complicam, e tendo que se esconder no barco que tentou roubar, Michael acaba indo parar no Novo Mundo e chantageado por Lorde Benton, precisa ir atrás de Declan e descobrir sua localização e de seus homens. 


Até aqui parece que a série vai ser cheia de violência e nada mais. Mas então, eis que conhecemos as personagens femininas e vemos que não é bem assim. Destaque para Grace Emberly (Zoe Boyle), irlandesa e dona da taverna local, cujo maior comércio não é o de cerveja, mas sim o de informações. Diferente da forma como as mulheres são retratadas em filmes e séries nestes ambientes, Emberly, com a ajuda de Mary e Imogen, não utiliza do sexo como moeda de troca, mas sim, muita perspicácia. 

Sokanon (Jessica Matten) é a representação da mulher guerreira. Indígena e irmã da esposa falecida de Declan, ela é leal e sempre está ao seu lado, tanto no comércio, quanto na batalha. Outra mulher poderosa da série é a chefe do povo Cree do acampamento Lake Walker, povo indígena que domina um dos maiores territórios da região e rota do comércio de peles. 

Por fim, nos dois últimos episódios também temos um vislumbre de Elisabeth Carruthers, cujo marido foi assassinado devido a disputa por território. O que deu a entender é que sua representatividade será maior na segunda temporada, mas ela já chegou mostrando ao que veio ao não se deixar intimidar por homens que querem controlá-la e a sua herança. 


Frontier é uma produção original Netflix em colaboração com a Discovery Channel Canada. Sua primeira temporada tem apenas seis episódios, e não chega a ter conclusão de nenhuma das tramas, tanto que no final do episódio 6 eu olhei nas informações para ver se ainda não estava assistindo ao episódio 5. Porém, a segunda temporada já foi confirmada antes mesmo de a série ser transmitida, e por isso, espero que tudo seja resolvido na próxima, antes de novas tramas serem introduzidas. 

Apesar de a primeira temporada não ter sido concluída como o esperado, vou continuar acompanhando e sinceramente, torcendo mais pelas mulheres da série do que pelo próprio Declan, como foi no começo.

Luciane Leite
Compartilhe no Google Plus

Sobre Luciane Leite

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oi, Luciane!
    Já me recomendaram essa série (também por motivos de: Jason Momoa, hahaha)
    Que chato não ter conclusão no final da temporada! Quem assiste vai ficar por meses curiosa pra saber o desfecho até lançarem a próxima...

    Beijos,
    Giulia | 1livro1filme.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    nossa não conhecia a série, mas parece ser boa. Vou procurar aqui e colocar na lista :D
    bjos

    Blog Vanessa Sueroz
    Canal

    ResponderExcluir
  3. Estou com tantas séries pra assistir que NOSSA ... ainda estou vendo The Crown, mais vou anotar essa dica sua!

    http://desde-1991.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diz maratona The Crown, aliás, faço de todas as séries que gosto de cara, fiz de Frontier também. Só não terminei os seis episódios, porque comecei Frontier numa noite que na mesma noite tinha finalizado a leitura de O Hobbit.

      Excluir
  4. Ai que chato chegar no final da temporada e parecer que nada teve uma solução. Mas bom saber que já estão produzindo a segunda. Agora que voltei a assinar Netflix, quero aproveitar para assistir várias séries. Já coloquei essa na lista :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. eu me interessei e muito quando vi no netflix hahah especialmente porque chegou no meu email a indicação dessa série, butttttt o meu problema é a falta de tempo hahaha mesmo de férias quase não me sobra tempo pra dividir entre o blog, vida pessoal e séries que ja acompanho, então apenas observo os mortais que tem tempo pra isso hahaha..

    Curti o post, apesar de não poder opinar :(

    http://umagarotanadaencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi! Que bom que as mulheres na série foram retratadas com tamanha dignidade, fico feliz. Esta série eu não acompanho e por enquanto não pretendo assistir.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Tá na minha lista pra assistir, porque (confesso) sou apaixonada pelo Jason Momoa.
    Vou tentar assistir o mais rápido possível!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir