Ouse Crescer [Resenha Literária]


Acabo de terminar a leitura de Ouse Crescer e tudo o que posso dizer é que abençoo Tara Mohr por ter escrito esse livro. O sentimento que tenho pós-livro é de intenso agradecimento e certeza de que me conheço cada vez mais (e sei para onde estou indo).

Apesar de ter lido o release que a editora enviou eu não tinha noção de muitas coisas, a primeira é que não se trata de um livro de autoajuda, é um livro de couching. É claro que muita gente acha que é tudo a mesma coisa, mas pra mim autoajuda passa a seguinte mensagem: “Filha, olha como a tua vida é miserável! Olha essa merda que tu fez aqui e aquela do ano passado. O que você está fazendo com a tua vida?” já o couching é assim: “Oi moça! Eu tenho reparado no teu potencial e não entendo porque você está aí papando mosca. Vamos descobrir o que você quer da vida?” Em outras palavras, o primeiro te enterra mais no sofrimento e o segundo foca no teu amor próprio.


A segunda coisa é que se trata de um livro voltado para mulheres, com uma pegada feminista forte que dá uns belos chacoalhões na gente. Descobri que muitos comportamentos sabotadores que tenho tem explicações machistas, pois uma mulher sabe ler as emoções das pessoas em volta e as regras não ditas e isso pode prejudicá-la se for feito em excesso. Ri muito quando a autora diz que as mulheres se preparam mais para falar em público/ publicar um artigo etc do que os homens que usam mais o improviso e costumam se dar melhor que nós. Eu sempre estudei demais e na hora de falar era uma m#@$%. Houve até uma situação na faculdade em que fiz um trabalho de grupo e meu parceiro nem ler o texto tinha lido, mas tirou uma nota bem melhor que a minha (detalhe, repetiu tudo o que eu disse, mas fez parecer mais interessante). Foi um verdadeiro choque descobrir que o perfeccionismo era meu inimigo.

O mais importante nessa questão é que esse perfeccionismo, essa cobrança demasiada é um mecanismo compensatório que se ativa quando o objetivo é uma obrigação e não uma satisfação. Se fosse algo que a mulher fizesse porque tem amor ao processo (mais que ao resultado) ela não se auto infligiria a disciplina para concretizá-la. Ela teria prazer ao fazê-lo. Uma vez entendido isso Tara nos ensina a descobrir nosso real objetivo, aliás “chamado” e nos faz entender também qual é o melhor tipo de motivação, pois quando nos obrigamos a fazer algo pelo medo do fracasso a tendência é ou ele não sair bom ou você acabar com a própria saúde (essa segunda parte aconteceu comigo comecei a ter crises de enxaqueca).


Gostei muito de conhecer e aprender a lidar com a minha censora interior e entender que crítica e elogio são subjetivos e não devemos nos apegar a essas coisas. Ajuda a ter mais autoconfiança no nosso trabalho, sabe? É claro que é preciso ter em mente que sempre haverá algo para ser aprendido, mas não podemos deixar essa consciência atrapalhar o nosso fazer de agora. Não é porque não sabemos tudo, que não podemos fazer um bom trabalho dentro das nossas limitações.

Super recomendo a todos que quiserem mudar seus maus hábitos de vida ou que estejam querendo mudar de carreira sem saber como. Eu ainda vou reler fazendo os exercícios do diário. É muita informação para ser digerida e posta em prática de uma hora para outra. Até logo pessoal!

FICHA TÉCNICA

Título: Ouse Crescer
Autora: Tara Mohr
Editora Sextante
Onde Comprar: Amazon
Alê Lemos


PS: Essa é a ultima resenha que escrevo para a Estante, porém provavelmente não vai ser a última a ser publicada, mas gostaria aproveitar para me despedir de vocês. Foi muito bom participar desse blog e vê-lo crescer para se tornar esse “gigante” da internet. A experiência com parcerias foi muito legal e vou levar dois ótimos livros para o resto da vida comigo, que foi esse de hoje e o Eu sou as escolhas que faço. Saio hoje não por problemas com outros integrantes, mas porque estou tentando começar uma “carreira solo” na minha página do FB, chamada “A menina das ideias”, pois Tara Mohr me ajudou a ver que preciso ser escritora com urgência. Meus sinceros agradecimentos ao público, aos colunistas e as editoras Pandora e Michele que há 3 anos e meio que conviveram comigo e me deram essa oportunidade de crescer. Até logo!
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

14 comentários:

  1. Oi! Que legal o fato de não ser um autoajuda que mas parece destrutivo. Esse novo jeito de ajudar as pessoas tem dado certo, quero muito fazer um curso. E sei bem o que é estudar a beça e na hora quem leva a melhor é aquele amigo que leu tudo rapidamente. Bjos ♥️

    Click Literário 

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Não costumo muito ler livros deste gênero, mas às vezes o assunto me chama atenção, fiquei com vontade de ler.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alê!
    Primeiro, adorei a distinção que você fez entre autoajuda e couching, é bem por aí mesmo. Eu não costumo ler livros assim, talvez por imediatamente olhar para essas capas e pensar em autoajuda... Mas gostei muito da sua resenha, acho que tudo o que é para fazer a gente pensar, repensar e melhorar nossa vida é válido.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  4. Oi Alê!
    Não conhecia esse livro, parecesse ser fantástico!
    Quanto a sua mudança boa sorte e sucesso.
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Alê, tudo bem?
    Nossa, você se entregou completamente a esse livro. E com isso eu acabei entrando nele também. Não sabia que poderia aprender tanto. Acho que nós mulheres somos assim mesma, nos pensamos muito, analisamos muito, pois queremos dar o nosso melhor. E esquecemos que às vezes, se jogar poderia ser a melhor saída. Que pena que está deixando o blog, mas boa sorte, sucesso na carreira de escirtora, que com certeza é promissora.
    Adorei a resenha.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Alê!
    Infelizmente esse livro não faz meu estilo... Mas é bom saber se ele é voltado para mulheres.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Gente, que coisa mais linda! Espero que você tenha sucesso nessa nova fase da sua vida, acredito que nós leitores e a equipe sentirá muitas saudades de você, mas sempre terão sua amizade, claro.
    Em relação ao livro, eu nunca ouvi falar e confesso que não faz bem meu estilo, mas você gostou tanto que é impossível não querer lê-lo.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  8. Me identifico muito com o movimento feminista e por isso, eu sinto que eu vou amar esse livro.
    Mil beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2017/01/top-8-novidades-da-semana.html

    ResponderExcluir
  9. Oi, Alê!
    Fico feliz que essa história tem te agradado, com certeza vou adiciona-lo a minha listinha. Desejo muito sucesso pra você nessa nova fase, e que consiga vencer todos os desafios que você vai encontrar <3
    Beijos!
    Borboletas de Papel | fanpage - twitter - instagram

    ResponderExcluir
  10. Esse não é o tipo de livro que eu costumo ler, mas gostei bastante da resenha, parece ser bem interessante. Fiquei curiosa para lê-lo.
    Beijos
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  11. Que bacana, adoro esse livros "motivacionais" que nos fazem crescer interiormente :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  12. Aaah Aleska, nem preciso dizer o quanto gosto de você. A sua leitura de Ouse Crescer foi algo que acompanhei de perto e a resenha fez jus ao livro. Parabéns e sucesso amiga.

    ResponderExcluir
  13. Oi Alê, tudo bem?
    Em primeiro lugar, muito sucesso em sua nova caminhada! Espero que consiga realizar seus planos da melhor forma.
    Eu não costumo ler livros de auto-ajuda ou mesmo no estilo desse, mas sua resenha me deixou curiosa. Por isso vou anotar sua dica e quem sabe um dia desses resolvo conferir.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  14. Hey! Muito sucesso, seja aqui ou em sua página. É ótimo quando um livro nos dá um chacoalhão desse jeito, né? Queremos mudar tudo pra ontem hahaha
    Gostei demais do fato de abordar o feminismo e que você tenha refletido sobre seus pensamentos machistas e tal. Pra mim ainda é um livro de autoajuda haha mas curti a explicação que você deu.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir