O Feiticeiro de Terramar [Resenha Literária]


O Feiticeiro de Terramar é o primeiro volume da série que se chama Ciclo Terramar e foi publicado originalmente em 1968, pela escritora norte-americana Ursula Kroeber Le Guin. A autora já escreveu romances, ensaios, poesia e literatura infantil, destacando-se na fantasia e na ficção cientifica. Foi ganhadora de diversos prêmios da literatura. Comecei minha resenha falando um pouco dela porque me considero uma leitora jovem, não conhecia a escritora e nem suas obras. Comprei o livro numa promoção boa da Arqueiro e por já ter ouvindo falar muito bem dele.

Nesse primeiro volume podemos acompanhar o início da jornada de um dos maiores feiticeiros que já existiu em Terramar. A ilha de Gont é uma região famosa por seus feiticeiros e é também a terra onde nasceu o nosso protagonista. Duny perdeu a mãe, quando tinha um ano de idade e passou a morar com o pai. O protagonista também tinha seis irmãos, só que esses irmãos eram muito mais velhos e, uma a um, foram saindo de casa, já que o pai deles era um homem irritável e taciturno, por isso não havia ninguém para criar o garoto com carinho. 


Duny foi crescendo sendo um selvagem, barulhento, orgulhoso e de gênio forte. Certa vez quando ele tinha sete anos, ele ouviu sua tia, uma irmã de sua falecida mãe, dizer umas palavras. No outro dia, ele as repetiu mesmo não sabendo o significado delas e causou uma maior confusão. Sua tia percebeu que ele tinha poderes e que ele acabaria se tornando um feiticeiro, por isso tentou lhe ensinar tudo que sabia, pois era uma bruxa. No entanto, o menino era muito vaidoso e no início usava magia sem se importar com as consequências. Duny adorava o poder e o conhecimento que as artes mágicas lhe dava. Uma vez quando tinha doze anos, as aldeias começaram a ser atacadas por um povo voraz, de pele branca, cabelos louros, que gostava de ver sangue e sentir o cheiro de cidades em chamas. E para evitar que sua aldeia fosse atacada, o protagonista recorre a magia, produzindo algo tão forte que salvou a todos. Só que o uso de tanta magia lhe cobrou um preço, deixando-o debilitado, cego e confuso. Nem sua tia conseguiu lhe curar.

A história do rapaz que controlou o nevoeiro e espantou os guerreiros com uma confusão de sombras foi contada por todo lugar. Uns dias depois que Duny salvou aldeia, um mago muito importante e famoso, chamado Ogion, chega na aldeia, salvando o menino e levando-o para ser seu aprendiz. Como seu mestre,o mago lhe deu o que seria seu verdadeiro nome. Então Duny passou a ser chamado de Ged, pois na história do livro, dar nomes as coisas e a seres era um costume extremamente importante e o significado do nome era ainda mais. Ged se tornou um adolescente arrogante, sem dar muita importância para que o seu mestre falava, uma vez que ele queria mesmo era aprender de tudo e ser melhor em tudo. Certo dia Ged fez um feitiço e liberou uma sombra maléfica. Ogion dispensou a sombra, mas a partir desse momento Ged teve escolher para qual escola ir.


Depois de sua escolha, Ged começa sua jornada para se tornar o grande feiticeiro chamado Gavião. O protagonista parte para a ilha de Roke onde fica uma das duas escolas de magia. Ged faz amigos e também inimigos, mas o seu maior objetivo é ser o melhor e o favorito dos mestres. Preso na rivalidade e na ambição, Ged acaba fazendo um feitiço que libera de vez a “sombra” e quase lhe custa sua vida. Depois desse episódio, Ged mudou totalmente sua personalidade, se tornou mais humilde e se arrependeu de suas tolices. 

Teve várias coisas que me encantaram em O Feiticeiro de Terramar, primeiro, foi que o protagonista nunca quis salvar o mundo ou seu povo, Ged é egoísta e pensa só em si e o livro não se trata de uma luta entre povos ou de poder, se trata de uma jornada e descobertas pessoais. E depois de cometer vários erros foi que o protagonista aprendeu a lição. Ged não é um personagem ruim, é apenas um jovem que quer atenção e provar o seu valor. Também o que me chamou a atenção foi a escrita da autora, não é uma narrativa cansativa e ao mesmo tempo ela nos traz um cenário tão rico em conteúdo que fiquei pasma. Quando peguei o livro em mãos, pensei: moleza, vou ler rápido, já que é um livro médio em questão de páginas, mas me enganei redondamente. No quesito conteúdo ele é um GIGANTE.


Quero compartilhar uma descoberta enorme que eu fiz ao ler o posfácio da autora, já que li o início do livro com uma rapidez e nem saquei alguns detalhes. Ged (Gavião) é negro, assim como seu povo e a grande maioria dos feiticeiros de sua terra. Logo no primeiro capítulo ele descreve os guerreiros que atacaram a terra de seu povo, mas em nenhum momento ele se descreve. E como uma tola não percebi isso, mas no posfácio Ursula explica que também poucos leitores percebem isso e seus motivos para não ter falado disso abertamente. Imaginem que nos anos 60 já era um preconceito enorme ser uma escritora mulher, mais ainda escrevendo sobre um feiticeiro negro como protagonista de sua história. Dessa forma, quando terminei o posfácio, voltei ao início do livro e pude compreender a genialidade dessa mulher. Aguardo ansiosamente a continuação, pude conferir a capa do segundo livro e ela está linda.

FICHA TÉCNICA

Livro: O Feiticeiro de Terramar (Ciclo de Terramar- Volume I) 
Autora: Ursula K. Le Guin 
Onde Comprar: Amazon

Ariane de Freitas
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

13 comentários:

  1. Oie, tudo bom?
    Amei a proposta do livro, adoro essa vibe fantasia, e sem dúvidas leria esse livro, Já vou adicionar no skoob. Eu adoro quando os protagonistas fogem um pouco dessa de "bom moço" hahaha

    Beijos,
    Paixão Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ariane! Eu já ouvi falar do livro mas como eu não sou muito fã de fantasia, eu sempre tendo a passar longe dessas histórias. Mas como você disse, a escrita da autora é leve e muito bem descritiva, então provavelmente me interessaria somente por isso. Amei as suas ressalvas sobre a obra, talvez eu leia!
    Beijo, https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ariane, tudo bom?
    Vou começar a ler essa semana, foi meu escolhido de Alta Fantasia para a maratona das Mulheres da Literatura. Me considero uma desonra por escrever ficção fantástica e nunca ter lido a rainha Úrsula, mas mudarei isso!
    Os maiores elogios que já vi ao universo criado por ela são sobre a riqueza de detalhes, e sobre desenvolvimento de personagens - duas coisas que basicamente me arrebatam em boas histórias. A resenha me deixou ainda mais ansiosa pra ler!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ariane!
    Adorei sua resenha.
    Menina, eu estava sendo enganada pelo tamanho do livro. Também fui nessa de achar que só porque é relativamente médio ia ser fácil a leitura. Bom saber que o tamanho do livro não influencia na qualidade da história.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza,
      Obrigada pelo elogio. Eu deixei faz tempo olhar o livro pelo tamanho e capa. Pois sempre quebro a cara, para minha sorte acabo gostando do livro.
      Bjs
      Ari

      Excluir
  5. Não conhecia o livro, mas gostei muito da resenha sobre ele, parece ser muito interessante.
    Beijos
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom? Eu não conhecia o livro, mas gostei das suas considerações sobre ele. Apesar de não ser um gênero que eu costume ler vou adicionar ele à minha listinha.Adorei sua resenha <3

    Beijos
    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  7. Oi Ariane,

    Estou meio que de olho nesse livro desde que a editora anunciou. Acredito que vou gostar bastante da história.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ariane.
    É muito difícil um livro de fantasia me agradar, gostei da sua resenha.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  9. Olá, Ariane.
    Gostei de ler sua opinião sobre o livro, já que acabei de comprar ele com um vale presente que ganhei hehe. Achei interessante o protagonista ser diferente dos que estamos acostumados a ver, e nem estou falando dele ser negro, coisa que ainda não tinha visto ainda em nenhuma resenha hehe. Espero gostar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sil
      Dar uma prioridade nele assim que chegar. Você vai ver a riqueza de conteúdo dele.
      Beijos

      Excluir
  10. Eu tenho muita vontade de ler essa série, e confesso que lendo sua resenha, só me deixou mais curiosa :D

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. * Estou aqui conhecendo este teu espaço virtual , Ariane !

    ResponderExcluir