Peter Pan [Resenha Literária]


Peter Pan foi escrito por J.M Barrie em 1953, sendo uma obra clássica que já havia lido quando adolescente e tive a oportunidade e reler agora na nova edição da Martin Claret.

Lembro que uma das coisas que mais me chamou atenção era que Peter não era exatamente um herói, às vezes nem mesmo simpático. Totalmente ao contrário da figura que eu tanto amava dos desenhos animados e que me fazia deixar a janela do quarto aberta, na esperança de que ele aparecesse. Peter é uma criança que não cresceu, que gosta de viver aventuras, que tem uma memória terrível, é irresponsável, egocêntrico e carente.

Oras Peter Pan me suscitava pena por viver em sua bolha (a Terra do Nunca), sem ter pais, usando a agressividade como uma forma de reprimir sua carência, oras me suscitava simpatia justamente por conseguir viver na sua bolha, sem encarar as responsabilidades, oras antipatia por sempre pensar em si mesmo e querer ser o centro das atenções, mesmo que isso pudesse fazer mal a outra pessoa e por fim, incredulidade, nunca vi uma criança ter tanta falta de memória! Aliás, o esquecimento é um ponto importante nessa história. Peter parecer sofrer no final, mas esquece da semana da faxina, se esquece de quem matou, bem como o narrador parece não se importar de se lembrar também dos mortos.


E falando do narrador, o livro é narrado em terceira pessoa por alguém que não só conhece a história, como conversa com o leitor constantemente, antecipando os fatos ou atiçando nossa curiosidade.

A capacidade de Peter de não se preocupar pelos problemas que arruma sempre me deixou bastante inquieta, mesmo porque o protagonista não é um personagem raso, aliás, ninguém na obra é, a começar pela Sra. Darling, descrita como uma mulher doce, mãe amável, mas que nem o Napoleão conseguiria tirar um beijo dela. Também, temos o Sr. Darling, um homem que teve que fazer muitas contas pra saber se conseguiria criar os filhos.

Wendy é a menina-mãe e a figura da irmã responsável que se remete a mãe do autor, J. M Barrie, Margareth, que depois de órfã assumiu o papel de mãe do irmão caçula. E vale lembrar que na obra Margareth é o nome da neta de Wendy.


É interessante notar que Peter leva Wendy para a Terra do Nunca para ser mãe dele, o que me faz lembrar que muitos homens agem assim com suas esposas. Entretanto, assim como a Sra. Darling, a filha é bastante perspicaz, inclusive para tomar iniciativa sempre no que diz respeito a Peter Pan. Claro que estamos falando de um romance leve, ingênuo, afinal, são crianças.

Já a Sininho representa outro arquétipo de mulher, diferente de Wendy, com seu amor leal e quase cego. A fadinha é independente, é forte, não precisa ser protegida, mas está constantemente tentando agradar a Peter Pan, nem que para isso ela tenha que ser a vilã. Ao contrário de Wendy, que é mais frágil, sem nenhum poder, mas não deixa que Peter atrapalhe suas opiniões e valores.

Pra quem não conhece a clássica história, Wendy, João e Miguel são levados a Terra do Nunca, Wendy para ser mãe dos meninos perdidos e os dois irmãos acabam entrando nessa aventura. Temos piratas, índios, fadas e sereias que nos dão medo. Uma obra repleta de aventuras em que o faz de conta reina no universo criado pelo autor.


Além de toda a questão de lidar com o crescimento e fase adulta, temos também toda a ambiguidade entre os beijos de Wendy, o desejo de Peter em ter uma mãe e o simbolismo da sua luta com Capitão Gancho que nas peças de teatro tradicionalmente é protagonizado pelo mesmo ator que faz o pai de Wendy, uma vez que o Sr. Draling é a representação da fase adulta e toda sua amargura também.

Todo o universo criado pelo autor é de um realismo fantástico incrível. Não só a Terra do Nunca que sabiamente é descrita de maneiras diferentes na imaginação das crianças, mas que não deixa em nada a desejar quando eles a encontram de fato. A Londres de Barrie também é fantástica, é um lugar em que cadelas são babás e que as mães organizam os pensamentos dos filhos enquanto eles dormem.

J.M. Barrie constrói uma narrativa repleta de aventuras, mas com analogias bem interessantes. Crianças podem ser fofas, mas também podem ser cruéis, principalmente se vivem sem nenhum tipo de orientação familiar e o autor explora bastante esse tema na figura de Peter Pan, que se recusa a crescer não importa o quanto maravilhosa possa ser sua mãe.


E para quem acha que estamos lidando com mais uma simples edição de Peter Pan, não se enganem, a obra está belíssima, com ilustrações coloridas de Weberson Santiago, com tons que combinam com as aventuras narradas e notas de rodapé com informações que nos levam além do clássico. 

Poderia dizer que é uma edição para colecionadores, fãs da obra, como eu, mas a verdade é que a edição também pode ser trabalhada em sala de aula, já que os apêndices de notas da Luciana Duenha Dimitrov sugerem reflexões que poderiam ser usadas por professores, pais ou até mesmo por nós simples leitores, já que Peter Pan sem dúvida é um livro para se divertir e refletir não importa a idade.


FICHA TÉCNICA

Título: Peter Pan
Autor: J.M. Barrie 
Onde Comprar: Amazon


Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

15 comentários:

  1. Oi, Mi!
    Confesso que Peter Pan nunca foi uma das minhas histórias favoritas. E que raiva eu tinha da Sininho: super poderosa, mas sempre seguindo esse menino chato hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Amei sua resenha, vc fez uma análise muito boa. Ano passado eu fiz um trabalho sobre esta história e li várias versões deste livro, e fiz uma análise profunda sobre. Tem muita coisa por tras deste livro, muitos significados.
    Esta versão está linda.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gosto do livro é bonito e apelativo. :) O engraçado é que já vi mil variantes do Peter Pan na televisão, quer em séries, filmes, desenhos animados mas nunca o li em livro. Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  4. Nossa, menina! Que livro BONITO <33333 Apaixonei nas ilustrações *.* Quando eu era menor, minha mãe vivia comprando livrinhos ilustrados assim para mim. Acho lindo! Mesmo tendo várias versões, é sempre bom e diferente os livros. Cada um é uma aventura rsrs Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  5. Ah, como eu amo Peter! ♥

    Li uma versão comentada da editora Leya e adorei todas as curiosidades!

    Abraços...

    http://submundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Mi, tudo bem!!
    Conheço Peter Pan, por conta do desenho da Disney, e também já vi alguns filmes com o personagem. Gostei da sua resenha e fiquei curiosa para conhecer o livro.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Meu Deus que edição maravilhosa, quero muito. E essa história.. muito amor, não tem o que falar :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Michele.
    Peter Pan é uma das minhas histórias da vida, esta edição eu não tinha visto. Está linda s2

    www.papuff.com

    ResponderExcluir
  9. Oi! As edições da Martin claret são lindas. Nunca gostei de Peter pan. Mas é um livro cheio de mistérios e significados. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  10. Oi, Michele.
    O único contato que tive com Peter Pan foi com aquele filme da sessão da tarde, que por sinal eu gosto bastante.
    Desde que vi essa edição da Martin Claret, eu fiquei doido para adquirir a obra. A história é bem bacana e a edição deixa ela mais interessante.

    Abraço!
    https://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Mi! Eu conheço a história apenas pelo desenho e pelo filme, o livro nunca li e acredito que muitos detalhes tenham sido perdidos na adaptação. Está aí uma leitura que preciso fazer.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Oláá! tudo bem??
    eu adoro a história do peter pan e acho que realmente há muito coisa que podemos aprender nela! fiquei bem interessada nesse livro, para ver toda essa construção e analogias! ^^
    beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie Xará ;)
    Me encantei com o livro e sua resenha,
    confesso que fiquei com vontade de ler.
    E gosto de livros assim cheio de detalhes
    e as personalidades dos personagens bem
    trabalhadas.
    Vim agradecer e retribuir sua visita.
    Bjos
    https://raposinha-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que saudades dessa história tão incrível.
    Lembro que, assim como você, sonhava com o dia que o Peter Pan juntamente com a Sininho iria me buscar e me levar para a Terra do Nunca.
    Infelizmente isso nunca aconteceu e agora adulta, lendo essa resenha, senti uma saudade imensa dessa época tão ingênua e doce.
    A edição está lindíssima, a capa é maravilhosa e as ilustrações também!
    Um livro realmente adorável assim como sua resenha!

    Um beijão

    Livros em Contexto

    ResponderExcluir
  15. Muito boa a resenha. Eu tenho um livro há anos (edição de bolso, de luxo da Zahar) e até o momento ainda não o li (falta tempo, vontade e um monte de coisa).
    Mas é bacana ver como o livro é descrito. A última vez que eu tive contato com Peter Pan foi quando assisti a última releitura que fizeram, Pan que estreou por aqui em 2015.

    ResponderExcluir