Tal mãe, tal filha [Resenha do Filme]

Conferimos a Cabine de Imprensa de Tal mãe, tal filha.

Às vezes nada melhor do que ver um filme francês que te deixa com um enorme sorriso no rosto quando acaba e aquela sensação de ter passado um bom tempo no cinema, vendo um longa leve, divertido e com uma trama que sai um pouco da mesmice de sempre.

Avril (Camille Cottin) é uma mulher de 30 anos que trabalha fabricando perfumes e mora com sua mãe e o marido. Desde o princípio é bem evidente que mãe e filha são opostos. Enquanto Avril é organizada e responsável, Mado (Juliette Binoche) é desorganizada, dependente da filha e inconsequente. E a relação das duas que já era complicada, fica mais ainda quando Avril engravida e Mado não aceita bem a situação em dividir o seu quarto com seu neto, inclusive demonstrando um certo ciúme. E tudo só fica pior quando a própria Mado engravida! 


Existe uma inversão bem divertida de papéis em que Mado parece a filha que não aceita bem um irmão e Avril a mãe de uma adolescente grávida que se recusa a abortar e quer ter seu filho. Avril não sabe que seu pai e sua mãe tiveram uma recaída e passa a julgar a mãe e Mado não consegue explicar muito bem a situação para a própria filha.

Durante todo o longa vamos acompanhando o relacionamento das duas com cenas bem engraçadas principalmente as que envolve Mado que no início parece uma mãe egoísta e egocêntrica, mas que depois vai se mostrando a mulher madura que precisa ser para ajudar a filha grávida e se tornar mãe novamente. Além do relacionamento da mãe e da filha, ainda temos Marc (Lambert Wilson) pai de Avril e do bebê de Mado, responsável pela parte mais romântica do longa, já que o casal se divorcia pela ausência dele durante o casamento uma vez que sua profissão estava sempre acima de tudo. 


O longa tem situação às vezes nonsense que consegue nos fazer dar boas risadas, os ginecologistas escolhidos pelas duas mulheres conseguem ser bem malucos, cada um a seu modo e a família do marido de Avril é bem insuportável. Situações que envolvem mulheres grávidas, seus hormônios e até mesmo a mudança no olfato são apresentadas, mostrando o lado belo e por vezes difíceis de uma gravidez.

Mado tem todo o carisma da sempre excelente Juliette Binoche que se mostra muita bem no papel mais cômico e propositalmente, ou não, parece mais nova que a filha Avril, vivida por Camille Cottin. E vale destacar que as mulheres do filme carregam toda a trama sendo os personagens masculinos os coadjuvantes.


O roteiro consegue mostrar bem a evolução dos personagens no enredo, dosando muito bem a comédia, o romance e o drama. A crise do relacionamento entre mãe e filha é envolvente, divertida e também uma história que emociona por sua leveza e simplicidade. Tal mãe, tal filha é sem dúvida um ótimo filme para ser conferido.

Trailer:

FICHA TÉCNICA

Título:Tal mãe, tal filha
Título Original: Telle Mère, Telle Fille
Diretora: Noémie Saglio
Data de Lançamento 20 de julho de 2017

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

11 comentários:

  1. Boa noite,

    Não conhecia o filme e pela sua resenha creio que realmente seja um belo filme, gosto do gênero, ótima dica e resenha...bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse filme parece ser muito bom! Amo comédias assim, ainda mais com as protagonistas femininas e o assunto é mãe e filha! Deve ser maravilhoso de se assistir!

    Beijão,
    Querida Cretina

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom? Eu não conhecia o filme, mas pela sua resenha me pareceu ser ótimo, eu adoro filmes descontraídos que nos fazem dar boas risadas. Vou procurá-lo para eu assistir, ótima resenha<3

    Beijos
    https://resenhaatual.blogspot.com.br/2017/07/resenha-esqueca-o-amanha-pintip-duun.html

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Amei a indicação, eu adoro filmes assim! Parece ser bem engraçado e histórias de mãe e filha sempre são minhas favoritas.
    Ótima dica, beijos!
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  5. Oie Michele =)

    Não conhecia o filme, mas ele me pareceu uma boa opção para um final de semana preguiçoso. Dica anotada e o bom que essa é o tipo de filme que minha mãe curte também ^^

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  6. Oi
    sempre indicando filmes bons, achei interessante pois envolve premissa de mãe e filha, mostra uma dinâmica familiar, acho isso bem legal.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mi. Eu tento e tento gostar dos filmes franceses mas eu acho tão sem graça, meu Deus... não sei se o problema é comigo ou se eu ainda não consegui apreciar esses filmes, mas sempre dou meia volta quando escuto um "francês" no caminho.
    Beijo!
    http://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Adorei a dica de filme, parece ser bem legal e divertido.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Michele,
    Pelo título eu imaginei uma trama totalmente diferente, mas ainda sim gostei da proposta, já que por sua resenha o filme parece ser bem divertido.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Mi,
    Ainda não conhecia o filme, na verdade, eu estou bem por fora dos lançamentos.
    Nem Homem Aranha eu vi! HAHAHAAH
    Aliás, como os ingressos de cinema estão caros, vou esperar entrar na linda Netflix ou no Now, rs.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oii Mi!!
    Eu já tinha ouvido falar desse filme, mas nunca nem tinha visto o trailer, ultimamente tenho assistido e acompanhado poucos lançamentos de filmes. Acreditando que seja uma comedia gostosa de assistir, eu não estou muito no clima, ando preferindo os dramas em tudo (livros/filmes/séries).

    Beijinhos!!
    Amanhecer Literário

    ResponderExcluir