Transformers: O último cavaleiro [Resenha do Filme]


Transformers: O último cavaleiro chega em seu quinto filme da franquia, dez anos depois do primeiro, com muitas, muitas explosões, drama e mais explosões!

O longa começa mostrando o primeiro Transformers em contato com humano na época do Rei Arthur e o que era considerado magia e lenda na verdade foi uma enorme ajuda de um alienígena. Séculos depois, Optimus Prime está ausente e cada vez mais chegam Transformers na Terra, causando uma imensa desconfiança nos humanos que travam uma verdadeira guerra com os robôs Autobots. Cade Yeager (Mark Wahlberg), Bumblebee, um lorde inglês (Sir Anthony Hopkins) e uma professora da Universidade de Oxford (Laura Haddock), precisam unir forças para recuperar o cajado de Merlin e assim proteger a Terra da destruição que será a união do universo de Transformers e a Terra, objetivo de Quintessa (Gemma Chan).


A trama é repleta de ação, tanto que que confesso que alguns momentos fiquei tonta com tantos tiros, porradas e bombas! Michael Bay consegue criar um perfeito ambiente de guerra e mundo apocalítico. Os cenários, a movimentação das câmeras e trilha sonora, tudo perfeitamente alinhados e se não fossem os robôs gigantes no meio do caminho, certamente o longa se passaria por um filme de guerra como qualquer outro bem produzido. E esse lado da guerra e do fim do mundo dá o tom mais dramático a trama. No entanto, o longa peca pelos excessos: excesso de cenas desnecessárias, excesso de duração, excesso de ação e de explosões. Inclusive, a intenção de deixar tudo mais dramático faz com que o enredo tenha pouco alívio cômico, mostrando que Transformes é um filme que d efato se leva muito a sério. 

Quanto aos personagens, Tenente-coronel William Lennox (Josh Duhamel) é raso, Vivien Wembley (Laura Haddock) não tem o carisma necessário, Isabella (Isabela Moner) parece meio perdida o tempo todo, mas o grande destaque mesmo é para Sir Edmund Burton de Anthony Hopkins, um personagem bem interessante na trama.


Muito provavelmente os fãs da franquia vão sentir certa nostalgia e ficar felizes com seus robôs Autobots em ação e apesar das ressalvas Transformers: O último cavaleiro não é excessivamente ruim, a trama que envolve Rei Arthur foi encaixada de uma maneira nada forçada, existe toda uma tensão em relação ao fim do mundo e os efeitos especiais na sala IMAX causam um grande impacto (inclusive quase fiquei surda com tantas explosões). No entanto, o longa que é excelente na parte técnica, poderia ter tido uma hora a menos de duração e teria sido executado de uma maneira mais ágil, mas deve agradar a quem adora ver tudo explodido o tempo todo.

Trailer:


FICHA TÉCNICA

Título: Transformers: O último cavaleiro
Título original: Transformers: The Last Knight
Direção: Michale Bay
Data de Lançamento: 20 de julho

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

10 comentários:

  1. Olá, Michele.
    Eu já vejo um excesso só de nunca mais terminar os filmes da franquia. Acho que já deu. O primeiro até que eu gostei, mas depois fui achando chato. Mas para quem é fã deve ser bom hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Só eu que não gosto de transformers né? hahahha. Fui tentar assistir o primeiro e fiquei num tédio só. Acho que não faz meu tipo...

    Beijoss,
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  3. Como também não adoro tantas explosões assim, talvez não gostae.. rsrs
    Já não estava animada para assistir... hehe

    Beijos.

    Jovensmaesblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente, não curto muito Transformers. :( Mas acho que meu irmão gosta e vou falar do filme pra ele!

    Beijo!
    CONTROVÉRSIAS.

    ResponderExcluir
  5. Oláááááááá Miiiiii
    Vou confessar que gostar mesmooooo só gostei do primeiro, os outros achei mais do mesmo, talvez o excesso de ação, uma coisa meio visual e o enredo fica aonde??? Sou chegada num papo cabeça kkkk
    Ah tb não entendo muito quem é quem no mundo dos robôs, acho fofo aquele amarelinho abelha <3
    Mas vou assistir quero ver essa pegada de que o Rei Arthur não é lenda nem magia, é ajuda alienígena (até rimou!)adorei essa sua frase guria <3
    Bjs Luli

    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mi, tudo bem?
    Eu nunca consegui gostar muito de Transformers :P Gostei um pouco do primeiro quando foi lançado (um pouco mesmooooo), mas depois que vieram os outros, abandonei de vez. Acho o filme confuso, muira robozaiada pra cá e pra lá hahhaha. Os fãs me odeiam por falar assim hahahha, mas né? Talvez se eu olhar com calma e de coração e mentes abertas, eu até curta, mas no momento, não estou para isso.
    E confesso que seus comentários sobre esse lançamento não ajudaram muito hahahah, odeio esses filmes muito longos que parecem que ficariam melhores com um tempo menor.
    Beijooooos
    http://www.profissaoescritor.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi,

    Não acompanho tão seriamente os filmes da franquia, mas gosto dos filmes.
    Preciso colocar esse na lista para ver.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi! Tudo bem?

    Particularmente nunca fui muito fã de transformers, ainda mais por ser um filme que não há atrativos visuais pra mim, independente de explosões e efeitos. Acho que o enredo em si também não me interessa, mas eu adorei sua resenha, talvez através dela por um pequeno impulso eu possa ir ver.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Michele,
    Eu ainda não conferi o primeiro filme dessa nova fase dos Transformers, mas acredito que irei gostar por conta da ação e das coisas explodido.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir