A guerra dos sexos [Resenha do filme]

Conferimos a cabine de imprensa de A guerra dos sexos.

Entre as décadas de 1960 e 1970, com o avanço do uso dos anticoncepcionais e a discussão sobre igualdade de sexo, o feminismo começa a se consolidar enquanto movimento político. E no esporte um grande nome se destaca na luta pelos direitos iguais das mulheres: Billie Jean King, uma das melhores tenistas e atletas femininas de todos os tempos. Com certeza é possível ter um filme só com a carreira e vida pessoal dela, mas em A Guerra dos sexos temos um recorte da vida de King, num momento muito importante da sua vida pessoal, profissional e na batalha contra o sexismo no esporte.

Revoltada por não receber o que os homens ganhavam, Billie Jean King (Emma Stone) com a ajuda de Gladys Heldman (Sarah Silverman) cria uma nova liga, com torneio de tênis feminino, levando as principais tenistas com elas, o que, obviamente, gerou um enorme incômodo e sendo a tenista número 1 do tênis feminino, causa um grande impacto no esporte. No entanto, o longa vai mostrando paralelamente a isso o outro protagonista desta história: Bobby Riggs (Steve Carell), um ex-campeão em Wimbledon agora com 55 anos, viciado em apostas, desesperado para ganhar dinheiro e voltar aos holofotes. Depois de ver seu casamento se destruindo por conta de seu vício, Riggs tenta convencer King a jogar contra ele, mas a tenista se recusa, acreditando que o jogo seria apenas mais uma das palhaçadas de Riggs. Porém, sua rival, Margaret Court (Jessica McNamee), aceita o desafio e perde, fazendo com que King mude de ideia e aceite a Batalha dos Sexos na quadra em defesa dos direitos femininos.


O longa vai mostrar todos os motivos que levam King e Riggs até a famosa partida, fazendo um percurso bem detalhado da vida dos dois, mostrando principalmente a vida pessoal dos protagonistas. Riggs e seu problema com apostas, King com o descobrimento da sua homossexualidade ao conhecer Marilyn Barnett (Andrea Riseborough). Ainda casada, King vai compreendendo aos pouco os seus sentimentos por Marilyn e isso de certa forma afeta também seu desempenho nos jogos. Com um narrativa precisa, temos todos os questionamentos que King passa, o apoio e a falta dele para suas decisões, seus medos e anseios e neste ponto destaque para Larry King (Austin Stowell), um homem coerente, compreensível e que apoiou a esposa em todos os momentos.

E se por um lado temos Larry e seu respeito em relação à mulher, do outro temos Jack Kramer (Bill Pullman) como a representação máxima do machismo da época, condescendente com as mulheres, hipócrita, um dos maiores apoiadores do fanfarrão Bobby Riggs! E é bem evidente que Riggs não era mais do que um palhaço que um dia foi um excelente tenista. Por anos sustentado por sua esposa, Riggs utiliza de frases de efeito do machismo para provocar, mas King, mais esperta, não o leva a sério, tanto que às vezes até ri das piadas de Riggs, já com Kramer o tom da protagonista é completamente diferente.


Dois incríveis jogadores de tênis em lados opostos num batalha que marcou a história e o movimento feminista. E se não bastasse a trama completamente envolvente, temos atuações incríveis. Emma Stone está excelente no papel de King e acho que a sua atuação é infinitamente superior do que foi em La La Land - Cantando estações e está impossível desassociar Carell de Riggs, estão idênticos em todos os sentidos, acho que não havia ator melhor para o papel.

Enfim, A guerra dos sexos é um longa pertinente, atual, com excelentes atuações, uma ambientação perfeita da década de 70 e recria de um modo muito bem feito todo o clima da época, antes e durante o famoso jogo da Batalha dos sexos. Vale muito a pena conferir.

Trailer:


FICHA TÉCNICA

Título: A guerra dos sexos
Título Original: Battle of the Sexes
Diretores: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Data de Lançamento no Brasil: 19 de outubro de 2017

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. fiquei sabendo dessa estreia ontem! adoro esses dois, com certeza quero mt ver o filme

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Gostei, ainda não tinha visto quero assistir.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse filme, mas eu amei o enredo. É uma história bem interessante e que vale a pena assistir sim.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2017/10/resenha-do-filme-meus-15-anos.html

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mi!
    Já tinha visto o trailer desse filme algum tempo atrás e achava até que já tinha sido lançado. Boa dica.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi Michele,
    Ainda não conhecia o filme, mas gostei por se tratar e uma história real. Dica anotada!!!

    *bye*
    Marla Almeida
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/



    ResponderExcluir
  6. Olá Mi! Tudo bem?
    Nossa, não tinha nem ideia desse filme.. Mas achei muito interessante, toda essa luta pela representação das mulheres, parece ótimo! E gostei de ver a Emma pegando um papel mais sério ^^
    beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. OOi, ainda não conhecia o filme, mas fiquei um pouco curiosa em saber como termina.
    Adorei a dica
    Beijos boa semana
    bellapagina.blogspot.com.br
    Instagram: Bella Página

    ResponderExcluir