Deixei você ir [Resenha Literária]


No dia 26 de novembro de 2012, Jacob Jordan foi atropelado por um carro no bairro de Fishponds. O motorista não parou e Jacob morreu nos braços da sua mãe.

Completamente abalada com o atropelamento de Jacob, Jenna Gray reúne poucas coisas em uma sacola, passa por cima das suas obras quebradas no chão e vai embora, sem saber exatamente aonde ir até que encontra um chalé perto de Penfach, no País de Gales. Ela encontra Bethan Morgan atrás de um balcão de uma loja onde fica o acampamento da cidade e ela a ajuda a entrar em contato com o proprietário do chalé, Lestyn, homem de poucas palavras que aluga o imóvel sem maiores perguntas.

Nos primeiros dias Jenna só fica deitada e deixa a dor fluir pelo seu corpo e sua alma. É Bethan quem a ajuda com roupas e mantas para amenizar o frio que ela sente no chalé desprovido de aquecimento. Lentamente ela vai voltando a tomar conta de sua vida, mas não permite que as pessoas se aproximem muito, mesmo quando a pessoa é Patrick, um veterinário que a ajudou com um cachorrinho que Jenna achou amarrado dentro de um saco e que levou até ele para salvá-lo e Jenna adota o filhote, mesmo acreditando que tudo que ela toca morre inevitavelmente.


Ray Stevens, chefe do Departamento de Investigação Criminal de Bristol fez tudo que podia para encontrar quem matou Jacob, ele e a detetive Kate continuaram a investigação mesmo quando mandaram encerrar o caso. Eles continuaram procurando por pistas que levassem ao assassino por conta própria, fora do horário de trabalho. Ray tem muito com que lidar, de um lado a forte atração que sente pela colega e detetive Kate, do outro lado há Mag e seu casamento de quinze anos que gerou dois filhos, e ele sabe que Mag está enfrentando problemas com Thomas e não sabe como apoiá-la ou mostrar a ela que ele está ali por eles. Ray e Kate ainda tentam encontrar a mãe de Jacob que está desaparecida, eles só sabem que ela ficou revoltada achando que a polícia não se interessou pela morte do seu filho e que a comunidade a culpava por não ter segurado a mão da criança impedindo-o assim de atravessar a rua correndo.

Um ano depois, quando Ray consegue autorização para fazer um apelo a possíveis testemunhas na mídia, ele consegue a descrição de um carro que pode ter causado a morte de Jacob e quando finalmente eles encontram o endereço de Jenna, tudo muda. Toda a história toma um rumo inesperado. Logo quando Jenna estava começando a acreditar que poderia ser feliz novamente tudo muda. 

O leitor é surpreendido por uma mudança radical na história, todo o enredo é alterado e vai em uma direção totalmente desconhecida. A segunda parte do livro expõe toda uma situação de agressão e crueldade.


Deixei você ir é o tipo de livro que eu gosto. É aquela leitura onde você acha que sabe o que está acontecendo, mas na verdade só vai saber mesmo quem é quem lá quase na última página. 

Eu sofri junto com a morte da criança, senti uma dor horrível pela mãe e depois sofri mais com tudo que a autora conta sobre a vida das pessoas envolvidas no atropelamento. Eu realmente não esperava que a história fizesse esta curva e mostrasse outro cenário tão horrível quanto matar uma criança e fugir. Me surpreendeu totalmente e me consumiu.

Para quem gosta de um bom livro policial cheio de reviravoltas este é “o” livro.

FICHA TÉCNICA

Título: Deixei você ir
Autora: Clare Mackintosh
Onde Comprar: Amazon


Marise Ferreira
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oi, Marise!
    Eu já estou sofrendo só de saber a morte dessa criança, imagina se eu for ler..
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá Marise!
    Nossa, eu olhava esse livro na livraria e achava que a história seria totalmente diferente.. Agora me deixou super interessada, eu gosto de livros policiais!! Mas deve ser meio triste também né..
    beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Essas histórias que mudam a perspectiva são bem interessantes.. você não sabe se ama ou odeia os personagens.. Não conhecia esse livro mas já gostei da premissa :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Caramba, eu AMO histórias assim! Não conhecia esse livro, mas já vou colocar na minha listinha de desejados!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha Marise. Curto bastante livros policiais e esse tem todos os elementos que eu admiro em um bom thriller. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marise. Tudo bem?
    Olha... é interessante quando você diz que a gente acha que sabe o que está acontecendo e a narrativa acaba nos levando por outro caminho. Esse tipo de narrativa me ganha. No entanto, esse enredo não me chamou muito a atenção, mesmo lendo sua resenha tão positiva.

    Xoxo, Di.
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marise. A ideia da história é bem interessante e até despertou em minha certa curiosidade, mas detesto personagens que se casam e ficam nessa de querer trair o cônjuge, eu não tenho psicológico pra isso haha mas gostei realmente da premissa.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
  8. Este livro passou a fazer parte da minha galeria de honra. Surpreendente!Uma trama excelentemente bem urdida e conduzida. A autora faz um bordado literário incrível.Fascinante!
    Abs,
    Calu

    ResponderExcluir