Como parar o tempo [Resenha Literária]



Como parar o tempo é um romance de Matt Haig e que teve os direitos comprados pelo ator Benedict Cumberbatch e se chamou atenção dele, chamou a minha também!

Tom Hazard aparenta ser um homem de quarenta anos bem conservado, mas por causa de uma estranha condição está vivo há séculos! Tom nasceu em 1581, mas não é imortal, na verdade, é uma pessoa que envelhece muito lentamente, uma condição que nem mesmo ele entende o motivo. O protagonista testemunha muita coisa na sua vida e no passado sofreu com a caça às bruxas, numa sociedade em que teme e julga tudo aquilo que não entende, algo que apesar dos tempos modernos ainda é bastante presente. Ao conhecer uma sociedade que ajuda pessoas como ele, o protagonista muda de identidade a cada 8 anos e como regra não pode nunca se apaixonar por ninguém. O mundo não deve saber que pessoas como Tom existem.


Entretanto, Tom está cansado das mudanças, mas ainda assim volta para Inglaterra para ser professor de história, ninguém melhor do que ele para a profissão. Com a ajuda de Hendrich, o personagem ganha um nova vida, mas ao conhecer Camille, a professora de francês, Tom começa a repensar na vida e na importância de não estar só.

O livro apesar do tom de ficção não apresenta de fato viagens no tempo, Tom volta ao passado, mas em suas memórias contando sobre sua vida e a narrativa é intercalada entre o presente e o passado. Confesso que fiquei bem mais interessada no passado, a forma como a mãe de Tom morre, como ele se apaixona pela primeira vez, tem uma filha, conhece Shakespeare, tudo é bastante envolvente. E no presente vamos descobrindo que a sociedade de Hendrich não é algo tão bom quanto aparenta e Tom vai precisar enfrentar seus antigos medos se quiser viver um grande amor de novo.

A narrativa de Matt Haig é super fluida, fácil e quando a gente menos percebe já terminou de ler o livro, a tensão da história está mais nos momentos do passado de Tom do que no presente, exceto no plot final em que leitor se depara com algumas surpresas. A trama que envolve o desaparecimento de Marion e a tentativa de Tom de salvar um antigo amigo nos traz um final emocionante, ainda que a história do vilão se resolva de uma maneira muito fácil.


Tom tem uma carga emocional bem forte, o que deixa a narrativa sensível e por vezes reflexiva. Não deve ser fácil viver mais que as pessoas que você ama, ver os outros partindo enquanto você fica, mas o livro nos mostra que a vida é feita de momentos que infelizmente não são eternizados, a não ser por nossas memórias. A complexidade da existência humana é um tema que foi bem abordado na obra, e a humanidade e seus medos é o ponto forte da trama.

Tom é um personagem com camadas profundas e suas frases são tocantes em alguns momentos. Apesar de ser uma incógnita boa parte do livro, é fácil compreender os medos de Hendrich. Mulheres foram queimadas na fogueira, homens julgados e torturados e por séculos o personagem viu a humanidade de maneira cíclica cometer os mesmos erros. E numa época em que a ignorância ganha cada vez mais força, é possível entender que Hendrich acredite que a idade média esteja batendo na nossa porta de novo. 


Como parar o tempo não tem como foco a ficção e nem mesmo o amor romântico, embora eu tenha achado linda a história de Tom e Rose, o livro é mais uma mistura de vários gêneros, numa narrativa prazerosa e que me prendeu até o final e espero que Benedict Cumberbatch faça uma boa adaptação dele.

FICHA TÉCNICA

Título: Como parar o tempo
Autor: Matt Haig
Onde Comprar: Amazon

 

 Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Eu já queria esse livro, agora então, eu preciso dele!

    ResponderExcluir
  2. Uma excelente resenha, achei bem interessante :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro, mas achei a capa muito fofa e o enredo bem interessante e criativo. Eu adoraria ler.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2017/11/resenha-do-livro-nao-se-apega-nao.html

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mi!
    Eitchan que o Benedito curtiu, eu vou curtir também. Será se rola mesmo uma adaptação? Vamos torcer.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mi

    Que legal esse enredo! Essa é a primeira resenha que leio sobre o livro e fiquei bem interessada, já pensou sofrer dessa mesma condição? Espero que o Benedict trabalhe bem esse enredo na adaptação.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Uma excelente pedida para eu sair da zona de conforto. Certamente vai agradar muita gente.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Poderia envolver mais a questão de voltar no tempo, que é uma coisa que eu me interesso bastante. Mas ainda assim achei legal a proposta do livro.
    Além disso, a capa é linda! *-*

    beijos
    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raissa, é que voltar no tempo realmente não é a proposta do livro, mas ainda assim é bem interessante a história do Tom.

      Bjs, Mi

      Excluir
  8. Oi Michele,
    Voltei. No inicio eu lembre daquele filme A Incrível História de Adeline, embora os enredos sejam bem diferentes. Deve ser horrível mesmo ter que participar e testemunhas as piores atrocidades do homem ao longo da história e junto a isso estar sozinho. Não conhecia o livro, mas vou anotar a dica. Parabéns pela resenha.
    bjs.
    Pri.
    http://nastuaspaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir