Elantris [Resenha Literária]


Elantris, livro de estreia de Brandon Sanderson no gênero de fantasia, é uma obra repleta de simbologia, que trata especialmente do comportamento humano, apesar de usar de seres mágicos, os elantrinos. A história principal se passa em um país chamado Arelon, cuja antiga capital se chama Elantris, local onde habitavam seres humanos comuns que tocados pela magia, passavam a ter diversas habilidades, entre elas a de cura e de produzir alimentos sem a necessidade de plantio, entre outras. Estes seres não usavam estes poderes apenas em benefício próprio, mas de todos que buscavam por seu auxílio, sendo considerados semideuses na terra. 

Até que um belo dia, dez anos atrás uma maldição tocou a todos os elantrinos. Ao invés de se tornarem seres de luz, com os cabelos brancos brilhantes e a pele de um tom quase prateado, e poderes de cura espetaculares, os elantrinos passaram a viver em agonia constante, pois além de perderem seus poderes de cura, sua pele tomou a aparência de pessoas leprosas e enrugadas, além de nenhum machucado jamais se curar. A cidade antes esplendorosa, passou a ser imunda, tomada por um lodo inexplicável. 

A sociedade de Arelon e de todo o Opelon que antes veneravam estes seres, passaram a excluí-los totalmente da sociedade, não importando se fossem filhos, pais, irmãos, ou amigos. Assim como acontecia anteriormente, a maldição não escolhe a pessoa por sua posição social, e neste cenário vamos conhecer o príncipe Raoden, filho do rei Iadon, que assim como outros afetados acordou para saber que se tornara um elantrino. Mesmo sendo o príncipe herdeiro, ele é enviado a Elantris com nada mais que um cesto de alimentos. 


Os elantrinos sofrem de um fome sem fim, e neste cenário se erguem gangues que atacam e roubam os novos chegados. Atacado e perseguido, Raoden acaba sendo resgatado por Galladon, de um reino próximo chamado Duladel. Um detalhe importante é que a maldição ou benção, afeta apenas os habitantes de Arelon, mas Duladel é um reino mestiço e de alguma forma, alguns de seus cidadãos também podem ser afetados. Galladon passa então a ser protetor do príncipe e o apresenta as regras de Elantris se este quiser sobreviver, mas o rapaz não era um conformista em sua vida como príncipe herdeiro e essa vontade de corrigir as injustiças o segue em sua vida como elantrino. 

Enquanto inicialmente Galladon deseja cuidar de sua própria vida, Raoden logo começa a ajudar a novos e antigos moradores da cidade e tenta imediatamente buscar uma nova forma de vida que não seja resmungar por suas dores ou fugir dos membros das gangues. Os dois passam então a resgatar os novos moradores antes que as gangues os roubem e machuquem, e passamos a perceber que tipo de pessoa o príncipe é e a admirá-lo, ainda mais quando somos apresentados a Sarene, sua noiva que ele não chegou a conhecer, e que devido ao acordo nupcial, passa a ser sua esposa quando Raoden foi declarado morto. 

Sarene é uma força a ser considerada, não fisicamente, mas por suas habilidades políticas, com seu reino natal Teod em perigo, ameaçado pelo reino religioso de Fjorden, ela tomou a iniciativa de propor casamento ao príncipe. A aliança dos dois seria benéfica para ambos os reinos e ao conhecermos outro personagem central desta história, o sacerdote Hrathen, vamos entender que o medo do domínio de Fjorden é muito real. 


Hrathen é um representante da religião Shu-Derethi, enquanto que os reinos de Arelon e Teod são predominantemente Shu-Dorathi, ambas derivadas de uma religião central, mas tem práticas bastante diversas, tendo a religião Derethi se incorporado ao Estado, ou seja, o líder religioso da religião também governa o reino de Fjorden, e segundo a crença deles, todos devem ser convertidos e se submeterem ao Sagrado Jadeth. Com uma mistura de fanatismo e junto com outro sacerdote, Dilaf, a missão é converter o povo em até três meses, ou os exércitos marcharam sobre Arelon.

Os capítulos são narrados de forma intercalada pelo ponto de vista de três personagens, Raoden, Sarene e Hrathen, e embora as três histórias tenham focos diferentes no começo, elas acabam convergindo no final. 

Os elantrinos, liderados por Raoden, nos mostram como a esperança está dentro de nós, mas só esperança não é suficiente em situações de extrema necessidade, é necessário ter atitude. Já Sarene e seu grupo de nobres nos mostram que ter aliados é importante, pois por mais astuta e de boa vontade que uma pessoa seja, nós não vivemos sozinhos e precisamos uns dos outros se quisermos realizar mudanças mais profundas, especialmente no nível de seus planos. Já Hrathen e Dilaf nos mostram a importância da religião, tanto para o bem quanto para o mal, mas ainda mais primordial, que devemos buscar conhecimento dentro de nossas crenças, não apenas seguir aos outros. 

Apesar de ser um livro de fantasia com muitas reviravoltas, Elantris é um livro completo que não deixa nenhuma ponta solta. Os caminhos percorridos por Raoden para descobrir o que aconteceu com a magia de Elantris são complexos, com muitas nuances, mas a criação de mundo foi feita de forma tão cuidadosa que nenhum detalhe foi esquecido, o que é muito importante, especialmente por não se tratar apenas de magia, mas da busca do homem por conhecimento. 


Para quem gosta de histórias com uma trama política bem engendrada, Sarene e Hrathen não deixam nada a desejar, principalmente para quem gosta deste misto de política e religião. Os dois têm alguns confrontos magníficos que vão fazer com que torçamos ainda mais por Sarene, mas entender também as motivações do sacerdote. 

Apesar de praticamente não se verem durante todo o livro, Sarene e Raoden formam um casal que passamos a torcer aos poucos, especialmente por suas personalidades altruístas, mas também porque merecem algo diferente daquilo que aparentemente foi reservado para eles. 

Elantris tem todos os elementos anunciados pela editora, fantasia, mistério, romance, humor, disputa religiosa e política, o que me deixou bastante satisfeita, pois eu acabei esperando ver tudo isso mesmo. É muito bom quando o livro é comercializado pelo aquilo que ele é, e este detalhe é muito importante para mim. A escrita do autor é fluida e apesar de quase seiscentas páginas, este aspecto não deixa se tornar uma leitura cansativa. Vou seguir lendo outras obras de Brandon Sanderson e se ele melhorou após escrever seu primeiro livro de fantasia, certamente que coisas boas são esperadas.

FICHA TÉCNICA

Título: Elantris
Autor: Brandon Sanderson
Onde Comprar: Amazon

 

Luciane Leite
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Oi Luciane!
    Tenho muita vontade de conhecer os livros desse autor! Gostei da resenha, vou procurar esse livro.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Apesar de ser um gênero literário que eu não goste muito, eu super daria uma chance pra ele, porque fiquei um pouco curiosa heheh.

    Beijos,
    Meise.
    Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Sou apaixonada por livros que envolvem política e ficção além de todos os outros elementos que você citou. Quanto mais deles, mas bem feita para mim se torna a história.
    A capa e sinopse não chamaram a atenção, mas sua resenha o fez.
    Parabéns.

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luciane!
    Eu vi pouco sobre esse livro, mas se é fantasia eu aceito aahhahhaha Fiquei com medo do tamanho dele, não vou mentir, mas bom saber que ele não deixa pontas soltas.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  5. Conhecia o autor apenas de nome, nunca li nada dele e essa história apesar de interessante, não é muito o meu género, mas foi excelente resenha! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  6. Oie
    Achei o enredo do livro interessante, mas não me despertou o interesse. Eu curto fantasia, mas não são todas que me chamam atenção. Ainda sim adorei sua resenha e saber sua opinião sobre a obra.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, Luciane.
    Quando vi que tinha resenha do livro aqui vim conferir. Eu amei esse livro. Ele é um exemplo de que uma boa história pode sim ser escrita em um livro único. Como você disse, não fica nenhuma ponta solta e olha que a história é enorme. Eu amei esse livro e quero ler outros livros do autor.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Oi Luciane!
    Elantris também foi o primeiro livro do Sanderson que li e gostei demais. Acho um ótimo exemplo de livro único bem feito,com começo, meio e fim satisfatórios. Amei a criatividade do autor.
    Já li todos os outros livros do autor que foram publicados no Brasil, e te garanto que vale a pena!
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
  9. Este foi o primeiro livro que li do autor e me apaixonei, agora leio tudo dele que é lançado no Brasil, virei fã de carteirinha. E o melhor que este livro mesmo sendo único é bem completo. uma obra imperdível.
    abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com.br

    ResponderExcluir