A Forma da Água [Resenha do Filme]


O mexicano Guillermo del Toro é um dos principais nomes das narrativas de fantasia e criaturas fantásticas, A Forma da Água traz uma homenagem ao universo dos monstros clássicos, e maior inspiração do diretor. É impossível não pensar no Monstro da Lagoa Negra.

Em seu novo conto, del Toro nos leva aos Estados Unidos durante a década de 1960, e ápice da Guerra Fria, logo na primeira cena o diretor mostra que está de volta e em grande estilo. Por meio de um narrador somos apresentados ao conto de fadas de Eliza (Sally Hawkins), uma faxineira muda e funcionária de um laboratório militar americano que conta com a ajuda de Zelda (Octavia Spencer), amiga e boca da personagem, dominando os momentos cômicos do filme.


Em casa Eliza possuí uma relação de pai e filha com seu vizinho Giles (Richard Jenkins), um artista frustrado com a idade e a vida contida que levou. Nos primeiros minutos acompanhamos a tediosa rotina de Eliza, até o dia em que trabalhando vê uma criatura aquática capturada para experimentos do governo, na busca de alguma vantagem na corrida espacial. Aos poucos a personagem passa a se enxergar naquele ser acorrentado e tratado como uma aberração, acompanhamos o desenvolvimento de um amor além das aparências, tão profundo ao ponto de arriscar sua vida para salvar a criatura das mãos de Strickland (Michael Shannon), um homem sádico e perturbado pela pressão da perfeição militar.

É impossível não citar a atuação, indicada ao Oscar, de Sally Hawkings como um dos pontos altos do filme, a atriz realizou um trabalho impressionante transmitindo os sentimentos mais profundos da personagem através de expressões faciais e linguagem de sinais. Michael Shannon também apresenta uma ótima atuação, levando o expectador a desejar o pior possível para seu personagem. Merece destaque também o trabalho de próteses e maquiagem que é excepcional, carregando grande parte da magia do filme, transformando a criatura em um ser tão real quanto o resto do elenco, conseguindo levar o expectador a desenvolver afeto pelo ser.


A fotografia também demonstra que todos os detalhes foram pensados, a água está presente ao longo da narrativa, e se torna um elemento chave, remetendo sempre ao ambiente aquático presente desde o pôster do filme, dando um toque especial, assim como a trilha sonora, se encaixando perfeitamente em cada situação apresentada.

Em uma obra visualmente incrível e apaixonante, o único ponto negativo foi a falta de aproveitamento de alguns personagens, como o Dr. Robert Hoffstetler (Michael Stuhlbarg), teve sua história aprofundada para ser levada a uma solução óbvia e mal resolvida, gastando tempo de tela que poderia ser mais bem aproveitado no romance de Eliza e a criatura.

A Forma da Água trouxe de volta o Guillermo del Toro de O Labirinto do Fauno, em uma obra impressionante, cheia de paixão e dedicação. É importante citar que este é um conto de fadas diferente, com sangue, garras e toda a violência que del Toro sempre garante.


No final das contas, o expectador é levado a questionar o quão monstruosos são os humanos em busca de poder, e no quão humanas são as criaturas julgadas como monstros. Longa chega agora dia primeiro de fevereiro, carregando o título de filme com mais indicações no Oscar de 2018, totalizando treze, entre elas melhor atriz, melhor filme e melhor diretor.

Trailer:


FICHA TÉCNICA

Título: A Forma da Água  
Título Original: The Shape of Water
Diretor: Guillermo del Toro
Data de lançamento no Brasil: 01 de fevereiro de 2018
Nota:5/5

*Conferimos o filme na cabine de imprensa.

Rafaela Alves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

13 comentários:

  1. Assisti ao trailer e não fiquei com vontade de ver o filme. Mas como todo ano assisto todos da categoria Melhor Filme do Oscar, vou me aventurar.
    Tenho certeza que vou me surpreender, apesar de não estar querendo muito assistir.
    Realmente, eu não tinha percebido que ela não fala um A no trailer. Não sabia que era muda a personagem.
    Como diz uma amiga minha, o Michael Shannon só faz papeis que nos dão vontade de arrastar a cara dele no asfalto, hahahaha.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oie, td bem?
    Estou bem curioso para ver esse filme!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  3. Oi, Rafa. Vi o trailer e fiquei meio sem entender sobre o que era o filme, ainda não tinha percebido que a protagonista era muda. Eu acho legal essas histórias onde a gente encontra um amor totalmente improvável, mas acho que não assistiria o filme. Mesmo assim estou torcendo para que ele ganhe alguma das categorias ao qual foi indicado.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Rafaela.
    Eu não sou tão fã desse gênero, mas estou com muita vontade de assistir esse filme. O enredo é muito atraente. O romance entre eles e o fato da protagonista ser muda chamam bastante a atenção.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Olá Rafaela! Tudo bem?
    Ameeei essa resenha! Estou doida para ver esse filme, então me deixou mais animada.
    Não assisti ao Labirinto do Fauno e não estou muito acostumada com esse gênero, então confesso que até tenho um receio de não gostar, mas acho que vou curtir pelo menos por causa das atuações né ^^
    beeijo

    https://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rafa!

    Particularmente eu não tenho muuuita vontade de assistir esse filme, mas tenho visto tantos elogios e resenhas positivas como a sua que tá me deixando curiosa pra conferir. Gostei muito do questionamento questionado que você citou, sobre humanos serem mais monstros do que os próprios monstros, então acho que o filme promete trazer uma história muito boa!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Menina, eu estou D-O-I-D-A pra ver esse filme. Só vejo coisas boas sobre ele. Dos indicados ao Oscar desse ano, com certeza é um dos mais aguardados por mim!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  8. "No final das contas, o espectador é levado a questionar o quão monstruosos são os humanos em busca de poder, e no quão humanas são as criaturas julgadas como monstros." Simplesmente amei e super concordo. Fiquei muito interessada :D

    https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Rafaela, eu ia assistir esse filme antes e descobri que tem o livro, daí resolvi ler o livro antes, mas assistirei o filme antes da premiação do oscar!
    Beijos <3

    Estante Clássica

    ResponderExcluir
  10. Eu também gostei desse filme. Por enquanto apenas esse e O Destino de Uma Nação foram dignos da indicação ao Oscar.
    Amei a resenha Rafaela!
    Beijinhos

    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
  11. Adorei A forma da água <3 Achei a fotografia lindíssima, mas a história é um tanto quanto clichê... E estão correndo boatos por aí que é um plagio o.O Mas não deixa de ser um ótimo filme!

    Beijão

    ResponderExcluir
  12. Rafaela, não conhecia esse filme, mas parece muito bom!
    Assistirei sem dúvida!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafa,
    Tenho visto muito esse filme por aí, mas não sabia do que se tratava fiquei feliz ao ler sua resenha para concluir que não quero assistir. Rs. Isso é um gosto bem particular meu infelizmente o outro filme desse diretor que eu não sabia ser O labirinto do fauno foi um dos piores filmes que eu já vi na vida sério? Isso opinião minha é claro.Esse parece seguir na mesma linha de fantasia e enredo, então vou deixar passar a dica.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir