A Fogueira [Resenha Literária]


A Fogueira é a estreia literária da atriz e produtora Krysten Ritter, conhecida atualmente por interpretar a super-heroína Jessica Jones na série de mesmo nome da Netflix. Publicado no Brasil pelo selo Fábrica 231 da Editora Rocco, o thriller traz como protagonista Abby Williams, uma jovem advogada que saiu da pequena cidade de Barrens, Indiana, em busca de um novo recomeço e dez anos depois acredita que tenha conhecido, mas ao buscar a verdade sobre acontecimentos atuais, ela vai descobrir o quanto o passado ainda é importante.

Trabalhando como advogada especializada em direito ambiental, a protagonista volta a sua cidade natal para investigar as operações da empresa Optimal Plastics, principal empregadora da cidade, além de financiar diversos projetos sociais. O que torna tudo mais pessoal, é que há dez anos, quando Abby ainda era uma estudante do ensino médio, a empresa esteve implicada em um escândalo envolvendo a contaminação de quatro das mais populares adolescentes da escola, sendo a principal afetada, Kaycee Mitchell, antiga amiga de infância dela.


Apesar de ter sido enviada a cidade para investigar as atividades atuais da empresa, a advogada se vê mais uma vez obcecada em resolver o mistério do passado, uma vez que não se conforma com a resposta dada na época, a de que se tratava de crianças tentando chamar a atenção, ao mesmo tempo em que descobre novos dados sobre “O Jogo”, uma aparentemente brincadeira de crianças, que levou a sérias consequências, incluindo o suicídio de uma adolescente que foi alvo durante o último ano delas no ensino médio. 

Abby passa a maior parte do livro focada mais em descobrir o que aconteceu de verdade com Kaycee do que em expor a Optimal, o que leva até mesmo seus colegas envolvidos na investigação a duvidarem de suas motivações, e em certo ponto até da sanidade dela. Mesmo enquanto construía uma carreira em Chicago, a protagonista nunca deixou sua fixação na história de Kaycee de lado, especialmente pela antiga melhor amiga ter desaparecido depois do final do ensino médio, aparentemente para fugir da perseguição por causa da história da contaminação. 

É difícil falar da trajetória de Abby em Barrens, porque qualquer detalhe pode ser considerado um spoiler, uma vez que tudo que parece não é nesta cidade. Porém, uma coisa que fica bem óbvia no desenrolar da trama é que os amigos podem ser os piores inimigos que uma pessoa pode ter, quando existe dinheiro envolvido e nenhum pouco de caráter. 


Em diversos momentos eu achei que tinha desvendado o que tinha realmente acontecido com Kaycee e o que se passava na Barrens atual, mas realmente errei feio na maioria das vezes. Ponto para Krysten como autora, pois odeio suspenses em que tudo é entregue de bandeja. Mas nem isso foi suficiente para salvar A Fogueira para mim, nem mesmo o fato de eu ser MEGA fã de dela como atriz, não apenas por sua interpretação como Jessica Jones, mas principalmente pela série Não confie na P----do Apartamento 23 (Don’t trust the bitch in apartment 23), que infelizmente foi cancelada com apenas duas temporadas).

A verdade é que a obsessão de Abby por Kaycee muitas vezes parecia ser o foco da história, e eu quis ler o livro pela expectativa de um suspense com uma protagonista feminina, com uma trama obscura, que apesar de existir, ficou em segundo plano na maior parte do livro. É um livro ruim? Até o momento a crítica e autores famosos do gênero apoiam bastante a estreia de Krysten, mas para mim foi um livro desconexo, que não me agradou como leitora de thrillers, apesar de uma escrita agradável de se ler. 


Além da trama não ter me agradado, um fato muito chato com relação a edição brasileira tirou mais um pontinhos, três páginas impressas pela metade, ou seja, faltando uma parte da história, uma inclusive numa parte crucial. Enviei mensagem via rede social para a editora em janeiro, e até o momento não tive retorno. Comprei o livro em pré-venda, então, mesmo que não tenha custado os olhos da cara, não foi um produto barato.

FICHA TÉCNICA

Título: A Fogueira
Autora:  Krysten Ritter
Nota: 2/5
Onde Comprar: Amazon

 

Luciane Leite
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oii Lu, tudo bem? Eu amo suspense, mas não sei se iria gostar desse livro, justamente por não focar tanto no suspense. Menina e que coisa mais chata isso sobre a edição vim faltando partes.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Luciane, tudo bem?
    Menina, não sabia que essa atriz era escritora, to descobrindo tantos atores que estão nesse mundo. O livro tinha tudo pra dar certo, mas que pena que te decepcionou. Pelo menos de primeira comecei pensando que seria um daqueles thrillers maravilhosos, mas infelizmente não, e ainda tem esse erro da editora, afs, muito ruim perder história e ainda não ter um retorno a respeito.
    Beijos
    https://eusouumpoucodecadalivroqueli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que ruim ter faltado página!! Absurdo, mandou pra loja onde comprou? Eu mandaria! Nunca li esse tipo de livro apesar de amar suspense acredita? Que pena que esse não te agradou muito!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Luciane, como vai?
    Te confesso que desconhecia a existência do livro e também da série. Nem mesmo sei quem é a autora. Mas para mim o que me chamou mais atenção foi o fato do foco do livro não ser sobre o suspense do desaparecimento da amiga dela. É frustrante quando lemos algo que nos deixa com este sentimento que ficou faltando algo para ser bom. Quanto à Editora, um absurdo eles não terem dado retorno até agora. Você deveria tentar resolver com a loja que comprou e de repente colocar no Reclame Aqui, costuma dar bons resultados.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Luciane, tudo bom?
    Eu fiquei bastante curiosa com a premissa desse livro, mas o fato de a autora não ser uma autora desde sempre me deixa com um pé atrás. Difícil sair coisa boa.
    Gosto bastante de thriller, mas vou acabar deixando esse pra beeeeeem depois - um futuro longínquo - já que, pelo jeito, realmente não é tudo isso :/

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá!! Tudo bem?
    Parece ser até um livro legal, mas com esses negócios desconexos fica realmente uma coisa muito chata, como se tivesse faltando algo. Que horrível isso com o lance das páginas pela metade, imagino como deve ter sido péssimo esses cortes na leitura. Espero que te mandem outro exemplar.

    Beijos!
    Dear Masen

    ResponderExcluir
  7. Oi
    legal não sabia que era escrito pela atriz de Jessica Jones, até parece ser interessante, mas pena que não te agradou muito, espero que a editora resolva esse problema das páginas.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu!

    Não conhecia esse livro e fiquei decepcionada em saber dos problema da edição.
    Só por isso já me desmotiva à leitura, porque sei que vou ficar pensando, a cada página que viro, se vai surgir esse problema no meu livro também.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir