Jogador Nº1 [Resenha do Filme]


Jogador Nº1, do diretor Steven Spielberg, é um longa baseado no livro homônimo de Ernest Cline e como boa fã da cultura pop nerd/geek, estava bem ansiosa pelo filme.

Ambientado em 2045, o mundo vive em colapso, em que as pessoas preferem viver num jogo de realidade virtual do que encarar a vida miserável que possuem. Neste contexto temos Wade (Tye Sheridan) que assim como todos está tentando vencer os desafios do falecido criador de OASIS (mundo que todos vivem virtualmente) para conseguir ser dono do jogo e consequentemente ficar bem rico. Fã de James Halliday (Mark Rylance), Wade vai seguindo as pistas pelo passado do criador do jogo e consegue obter a primeira chave dos três desafios, o que faz com o mundo e a empresa de Sorrento fiquem de olho nele.


Sorrento (Ben Mendelsohn) é um clássico vilão medíocre, sem muita inteligência, mas que usa do poder para conseguir o que quer. Com um time de pessoas capacitadas, ele tenta a todo custo vencer o desafio e comandar OASIS, mas como não consegue tenta subornar ou eliminar Wade e seus amigos. Art3mis (Olivia Cooke) é garota da moto de Akira, Aech (Lena Waithe) é o melhor amigo de Wade e ainda temos Daito (Win Morisak) e Sho (Philip Zhao), todos avatares do jogo e que só depois saberemos a verdadeira identidade de cada um. 

O romance entre Wade e Art3mis acontece muito rapidamente, os avatares são bem carismáticos. A garota é bem esperta e consegue desvendar o mistério da segunda chave e acaba ajudando bastante o grupo, já Wade se mostrou uma pessoa sem muita inteligência emocional, mas um grande conhecedor de OASIS.


Obviamente é bastante fácil detectar Steven Spielberg no longa. O enredo é uma mistura de jogos clássicos, modernos e uma vida em um mundo caótico. Em alguns momentos a vida real de Wade acaba ficando mais interessante que a do mundo virtual, mas as duas se cruzam inevitavelmente. A ambientação do jogo é incrível, e a realidade virtual vivida pelos personagens nos convence, nos remetendo a jogos mais modernos e também mais antigos. Objetos se movem em torno dos personagens, com bons efeitos especiais e boas jogadas de câmera. Nada do que eles vivem seria hoje considerado algo tão impossível num futuro distante e isso até deixou o longa com um toque cibernético mais real.

As referências são inúmeras, mas posso citar algumas que foram bem diretas: Jurassic Park, Godzilla, Alien, De volta para o futuro, O Iluminado (com uma excelente piada com Stephen King), Akira, Gundam, Mortal Kombat, Mario Kart, Atari, entre outros. O longa é basicamente um poço de referências à cultura nerd, usando disso para manter o espectador preso na trama, como uma espécie de brincadeira pra tentar pegar tudo que nos é dito. E como todo bom jogo, buscar Easter Eggs é sempre divertido. 


Jogador Nº1 pode apresentar vilões rasos, o avatar do protagonista é mais carismático do que o personagem fora do jogo e a trama até é previsível em alguns pontos. No entanto, o longa tem uma cenário incrível, excelente direção de arte e usa e abusa muito bem da metalinguagem para construir sensações nostálgicas ao mesmo tempo que insere as novas gerações que fizeram do vídeo game uma profissão. É uma aventura orgulhosamente nerd que vale a pena ser conferida.

Trailer:


FICHA TÉCNICA

Título: Jogador Nº1
Título Original: Ready Player One
Diretor: Steven Spielberg
Data de lançamento: 29 de março de 2018
Nota: 4/5

*conferimos o filme na cabine de imprensa
Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Oi Mi,
    Eu queria muito ver o filme ou ler o livro.
    Talvez só o filme, porque não é uma temática muito fácil para mim, mas é tão criativo que quero muito conhecer a obra.
    Beeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Quero muito ver o filme, mas to querendo ler o livro primeiro aí paciência pra lidar com minha lista de leitura infinita hahaha

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi, tudo bom?
    Eu fiquei bem curiosa com esse filme porque o Spielberg, mas acho que nem vou conferir no cinema - entre esse e Pacific Rim eu acabo escolhendo os robôs gigantes e monstros bizarros.
    Acho que vale bem a pena exatamente pelo visual e pelo CGI; não sei muito da história, então nem vou esperar graaaandes coisas do roteiro pra não decepcionar.
    Ótima resenha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Mi, como vai?
    Ainda não estava sabendo do filme. Gostei da premissa e pela sua resenha deve ser bem legal.
    Espero conseguir assistir em breve.
    Bjus
    Doces Letras

    ResponderExcluir
  5. Gostei da dica Mi. O filme me pareceu ser bem interessante, mesmo não fazendo muito o meu estilo. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mi!
    Menina, eu quero muito ver esse filme e apagar a péssima experiência que tive com o filme.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Meu namorado tá numa ansiedade que só. Vamos assistir hoje a noite.

    clebereldridge.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Por mais que já li grandes criticas positivas sobre o filme, ainda tenho um pouco de receio em assistir-lo mas continuo curiosa com o enredo rs, vai entender ?!
    Adorei a resenha.
    Beijos
    http://bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Mi!
    Quando eu era mais nova queria muito ler esse livro. Mas acabei perdendo o interesse e fiquei animada quando soube que ia sair uma adaptação dele pq, enfim, eu conheceria a história. E levando em consideração que o diretor é Spielberg, um de meus preferidos, tem mtas chances de eu gostar!
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir