Cartas de amor aos mortos [Resenha Literária]


Esse livro foi uma indicação de uma amiga, então eu iniciei a leitura com muita confiança e qual foi a minha surpresa ao descobrir que era um romance epistolar?

Cartas de amor aos mortos é narrado do começo ao fim em forma de cartas e conta a história de Laurel, uma adolescente que está passando por uma fase ruim na família e na vida ao perder sua irmã mais velha.

As cartas de Laurel começam por causa de um trabalho passado por sua professora: escrever uma carta para alguém que já morreu. Mas ao invés de escrever para a irmã morta, Laurel se pega abrindo uma carta para ninguém menos que Kurt Cobain. E ela acaba se abrindo tanto com o vocalista do Nirvana que cometeu suicídio tantos anos antes que resolve escrever mais sobre tudo e para outras pessoas mortas tão famosas quanto ele: Heath Ledger, Amy Winehouse, Janis Joplin e assim por diante.

Carta por carta, Laurel fala sobre a mudança brusca de escola, a mãe ausente, o pai distante e o buraco que a irmã deixou na vida de todos que a cercavam.

Ava Dellaira tem uma escrita suave e triste, como um dia de chuva. Não sei bem qual foi a razão, mas associei o livro com o inverno e lê-lo me deixou extremamente sensível – principalmente por ter o tema central a perda de um ente querido próximo.

Só que um certo ponto do livro – mais ou menos pela metade dele – eu estava me arrastando terrivelmente. Ele é um livro denso e a personagem principal tem um certo bloqueio sobre o assunto da irmã, então o mistério do livro (descobrir como a irmã de Laurel morreu) se arrasta carta por carta e coisas mais cotidianas da vida dela são mostradas – como o primeiro namorado, as novas melhores amigas. Ah, sim. As amigas.

Algo que eu realmente gostei dentro do livro foi como a autora colocou a personagem exatamente dentro da idade de autodescoberta, a violência contra a mulher e a omissão da família sobre isso e a homofobia dentro dos lares quando se trata de filhos LGBT.

A teia que Ava constrói ao redor da vida de Laurel com simples cartas guardadas dentro de um caderno de escola se mostra uma história convincente, delicada e sensata sobre sermos humanos, amarmos e perdemos.

O final fechou a história de certa forma, o que me fez suspirar aliviada por finalmente saber o que aconteceu, mas ainda assim existe um confronto com o leitor, que foi deixado de propósito pela autora. Então, para alguns pode ser uma coisa e para outros algo extremamente diferente. A própria Ava disse que queria que os leitores pensassem sobre e refletissem e chegassem a uma conclusão sobre o que aconteceu com a irmã de Laurel.


Foi uma experiência interessante ler Cartas de amor aos mortos, principalmente por ser um romance epistolar – mas eu realmente decidi que esse tipo de narrativa não é a minha favorita e se eu puder evitar livro assim no futuro (em forma de cartas), eu irei.

FICHA TÉCNICA

Título: Cartas de amor aos mortos 
Autora: Ava Dellaira
Onde Comprar: Amazon

Adrielli Almeida
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

15 comentários:

  1. Oi Adrielli,
    Eu li esse livro há alguns anos atrás e confesso que vários diálogos e até a temática em si me marcou demais. A leitura não foi tão boa, mas como me marcou é impossível não sorrir ao ler essa resenha. Eu sofri, mas a lembrança é boa.
    Fiquei com vontade de reler só pela abordagem dos temas.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi! Eu nunca li livros no estilo, então não sei opinar ao certo, mas já haviam me indicado ele antes e sua resenha também me fez sentir vontade de lê-lo.

    Beijo!
    www.controversos.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Adrielli!
    Eu até tinha esse livro, mas acabei passando pra frente. Tenho certeza que é uma leitura que iria mexer comigo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada nesse estilo, com cartas, mas confesso que me senti tocada só de ler sua resenha, então acho que daria sim uma chance ao livro.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Adri, tudo bem?
    Não sou muito fã de finais abertos haha! Prefiro quando sei exatamente o que aconteceu, porque caso contrário fico ansiosa. :P
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oii!
    Não li ainda nenhum livro escrito em formato de cartas e acho que também não vou curtir muito rs
    Quando lançou esse livro fiquei bem curiosa, mas para ser sincera não sei se leria agora :/

    bjs
    https://blogperdidanasnuvens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Adrielli
    Já li romances epistolar e gostei bastante, apesar de achar que tudo é muito lento demais para acontecer. Eu já pensei em ler essa obra mas perdi a vontade porque achei que a personagem era sofrível demais, personagens muito densas não me chamam atenção, na verdade parecem que trazem uma carga pesada demais para a história, coisa que não gosto. Fiquei com vontade de saber como a irmã da moça morreu, quem sabe um dia eu não descubra.
    beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá Adrielli!
    É uma leitura diferente mesmo, tive experiência com alguns livros e no começo estranhei.
    Agora consigo ler com mais facilidade, e esse foi um livro que gostei muito.
    Beijos!

    Feliz Páscoa 🐰

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    O livro me soa lindamente triste. E eu curto narrativas que envolvem cartas.
    Eu sou bem curiosa pra lê-lo, ainda mais pelas correspondências com as personalidades. Fiquei curiosa com a forma que a autora desenvolveu.

    até mais,
    FELIZ PÁSCOA =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  10. Oi Adielli,
    Já li algumas resenhas sobre esse livro, e apesar das suas ressalvas tenho curiosidade de descobrir, como a autora desenvolve a trama em cartas.
    Feliz Páscoa!!

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, Adrielli.
    Eu já li muitos livros em forma de diário, que gosto muito, mas em formas de cartas não lembro de ter lido. Mas não é nem esse meu problema com esse livro. Sei lá, a história não me atrai. Por isso eu não leria ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Confesso que ainda não li esse livro mas depois dessa resenha, tudo mudou. Não imagina que ele seria tão bom assim.

    Cada vez mais apaixonada aqui.
    Feliz páscoa!

    www.paraisopessoal.com

    ResponderExcluir
  13. Eu amo demais, demais, demais esse livro. Além dele ter uma edição linda -- editora seguinte arrasou demais!!! --, o conteúdo é muito bom! É aquele livro que eu sinto vontade demais de reler e sempre indico as pessoas :) Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  14. Oi Adrielli, tudo bem?

    Já vi inúmeras vezes esse livro aparecer em postagens do IG, sempre achei a capa linda, mas ainda não tinha lido uma resenha. Para ser sincera, não é o tipo de leitura que eu gosto e por ter uma aura tão carregada, acho que não seria o momento para esse tipo de livro.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Adri!
    Eu tenho esse livro mas ainda nao li, inclusive não tenho tentado criar expectativa para quando for ler, justamente por causa do gênero. Também não sou muito chegado nesse lance de narrar em forma de cartas, embora tenha gostado muito de As Vantagens de Ser Invisível. Mas quero ler. Vi muitas resenhas que dividiam opinião. Ou gostava ou odiava. Vamo ve no que vai da KKKK

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir