A mulher entre nós [Resenha Literária]


Duas profissionais de sucesso em suas áreas, Greer Hendricks como editora de livros e Sarah Pekannen como jornalista e escritora, se juntam pela primeira vez para escrever juntas e o resultado é o best-seller A mulher entre nós (Editora Paralela, 2018), que permaneceu por 10 semanas na lista dos mais vendidos do jornal The New York Times. O sucesso é tanto que os direitos para adaptação cinematográfica foram adquiridos pelos estúdios Amblin Entertainment, de Steven Spielberg

Greer já havia atuado como editora de Sarah em sete livros, e foi de Pekkanen a ideia da colaboração, após Hendricks anunciar que iria parar de editar. O trabalho levou um ano para sair do plano das ideias e ir para o papel, e esse cuidado pode ser notado em cada capítulo da obra, com diálogos desenhados inicialmente para nos fazer acreditar no estereótipo de que mulheres abandonadas estão fadadas a sofrer e serem infelizes. 

A primeira parte da história, a única que posso falar nesta resenha para evitar o campo dos spoilers, é contado por dois pontos de vista. O primeiro e mais importante é o de Vanessa, mulher divorciada na faixa dos 30 anos, que após ser abandonada pelo marido, Richard, fica obcecada em evitar que ele se case novamente, com Nellie, uma mulher 10 anos mais nova que ela. Aos poucos vamos descobrir que Vanessa nem sempre foi essa mulher desequilibrada, e o que a levou a seguir o caminho em que está. 


Deprimida, trabalhando num emprego de vendedora que não tem nada a ver consigo, morando de favor na casa de uma tia já idosa, e sem dinheiro, pois abriu mão de tudo no divórcio, Vanessa não consegue focar sua energia em tocar sua vida para frente, apenas no novo relacionamento de Richard, de quem se divorciou a poucos meses. A verdade é que o casamento deles não era nada do que aparentava ser, mas isso só vamos descobrir a cada novo plot twist inserido na trama. 

Enquanto isso, Nellie está cada vez mais animada com seu noivado com Richard. Rico, bem-sucedido, carinhoso, e extremamente protetor, ela vê nele a pessoa que finalmente vai conseguir afastá-la dos fantasmas do passado. Mas inesperadamente, ela começa a receber ligações misteriosas, perceber fotos fora de lugar, objetos importantes começam a sumir, e a sensação de que alguém a está perseguindo fica cada vez mais forte. Parece que a tão sonhada felicidade não será tão plena assim. Será que é a ex de seu noivo quem a está perseguindo? Ela não conhece a mulher, e ele não gosta de falar do passado. 

A história dessas duas mulheres parece muita clara no começo da leitura, mas eu peguei um detalhe no começo do livro que ficou me atormentando e está relacionado ao blurb “Vai supor que está lendo sobre uma ex-mulher ciumenta e obcecada.” da contracapa do livro. Será que era isso mesmo? Vanessa não me pareceu essa mulher em alguns momentos, enquanto em outras, era a própria definição de obsessão, constantemente pensando no ex e em seu novo matrimônio iminente.

Uma coisa é certa sobre essa história e sobre a vida. A gente sempre acha que conhece a motivação das pessoas, mas todos nós guardamos segredos sobre partes ou o todo de quem somos. Esse livro pode parecer inicialmente sobre uma mulher obstinada em não sair da vida do ex-marido e nos desdobramentos que esse objetivo pode trazer as vidas das pessoas envolvidas, mas na verdade é sobre o poder feminino, e também sobre a fragilidade que ainda é ser mulher em nossa sociedade. 

A narrativa das autoras me agradou demais. Se eu não soubesse que são duas autoras, certamente não diria que foi escrito a quatro mãos, pois flui de forma tão agradável, que é impossível dizer qual delas escreveu qual parte. Talvez quem já leu outras obras de Pekkanen, mas eu não fui capaz de fazer tal distinção. Sem dúvida que o passado como jornalista investigativa dela, colaborou para que não houvesse pontas soltas na narrativa, e isso é fundamental em histórias do gênero. 


No entanto, ao meu ver, o cuidado em não deixar pontas soltas, fez com que as autoras exagerassem na quantidade de plot twists inseridos na trama. Algumas reviravoltas parecessem ter sido inseridas apenas para dizer ao leitor “Você achou que sabia de tudo, não é?”, e apesar de ter tido esse efeito, não me empolgaram, o que me fez não aproveitar tanto a última parte do livro. Foi uma leitura com mais altos do que baixos para mim, mas essa excessiva mudança de rumo no fim, me decepcionou. 

O filme de A mulher entre nós com certeza é muito aguardado, assim como o próximo título das autoras, An Anonymous Girl, previsto para janeiro de 2019 nos EUA. A narrativa construída é inovadora e é bom vermos mulheres fortes no papel de protagonistas em thrillers, então nos resta aguardar e ver o que essa parceria, que já nasceu bem-sucedida, vai nos trazer no futuro. 

FICHA TÉCNICA

Título: A mulher entre nós
Autora: Greer Hendricks e Sarah Pekkanen
Nota: 3,5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Luciane Leite
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

12 comentários:

  1. Olá,
    Ia começar a lê-lo, mas passei A Nuvem na frente haha
    Parece ser um ótimo thriller, apesar das ressalvas. Tem cara que a gente começa julgando e se surpreende.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  2. Ual, fiquei interessada embora não seja meu estilo... fiquei com aquele gosto de quero mais.
    Beijinhos ;*

    Blog Menina Caprichosa | Canal Youtube | Facebook | Insta

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Parece ser um livro bem curioso e eu adoro quando tem reviravoltas que me surpreendem.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li mas acabou de entrar na lista, fiquei bem curiosa pra saber o desenrolar dessa história. Parabéns pela resenha :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. adorei conhecer esse livro e saber que aborda essa questao do poder feminino, e sim, como ainda somos tao frageis na nossa sociedade

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  6. Olá Luciane,

    Parece ser um bom livro de thriller e história parece ser bem interessante pelas reviravoltas.
    Gostei de conhecer o livro, espero ler futuramente.
    Bjs e uma ótima semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  7. Ola Luciane!
    Nossa, me deixou vidrada na história através da sua resenha! Quero ler para ontem! Mas confesso que fiquei com receio desse excesso de plot twists que comentou..
    Beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Uau, fiquei tão interessada na história, juro! Impossível não querer ler. Amei a dica!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Luciane
    Infelizmente eu não gosto de suspense e tramas assim não me chamam atenção. Eu fico bem curiosa a respeito dos mistérios mas nada que me obrigue a querer ler. É uma pena porque recebi o livro da editora e parece ser muito bom.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  10. Interessante encontrar esse tipo de história que engana o leitor, eu gosto porque geralmente me surpreende muito. Uma pena que em algumas partes a escrita foi exagerada nas vezes de plot

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, Luciane.
    Eu fiquei muito interessada nesse livro quando li a sinopse dele. Mas comecei a ler as resenhas e vi bastante comentários negativos. Mas ainda assim eu quero ler porque sou curiosa e preciso saber o que acontece de verdade no livro hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi Luciane,

    Quando vi o lançamento e li algumas resenhas eu soube que esse livro teria uma trama que me interessaria muito. Ainda não tive a oportunidade de ler, mas a cada nova resenha que leio renovo ainda mais a curiosidade em saber o que acontece na vida das personagens.
    Bom, eu gosto de plot twists, mas acho que se são em demasia podem tornar a leitura um pouco carregada, confusa e cansativa também, porque parece que sempre o autor vai puxar o tapete da história. Ainda assim quero muito saber mais sobre a história.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir