Procurando Gobi [Resenha Literária]


Sou uma completa apaixonada por literatura, isso não é segredo pra ninguém, mas existe algo nas histórias com animais que me tocam por inteira.

Dion Leonard traz em Procurando Gobi, uma história real de uma cachorrinha em uma incrível jornada. Bem, é isso (e muito mais). Na verdade, pra mim, é mais que apenas um livro. Maravilhosamente escrito, cheio de ritmo, tensão e sensibilidade, ilustra a jornada de Dion Leonard, um corredor de ultramaratonas solitário, experiente e altamente competitivo, empático e amistoso. Um jovem, aliás, que se torna muito mais motivado a cuidar do outro do que a necessidade de vencer. Ele tem que salvar Gobi, que, de muitas maneiras, o mudou ou até mesmo o salvou.

Nem todos os ultramaratonistas são humanos. Conheça Gobi, uma cachorrinha vira-lata de cor arenosa e robusta, com orelhas no estilo chihuahua, com um bigode engraçado, uma cauda que chama atenção e o olhar fixo em um corredor determinado a correr 250 quilômetros em sete dias, por mais difícil que eles possam ser.

Incrivelmente em algum lugar no meio do Deserto de Gobi, na China, essa cachorrinha apareceu, examinou os competidores e escolheu Dion Leonard como seu companheiro para os próximos 120 quilômetros de aventura. Ela corria ao lado dele, subia rochas e atravessava a areia. Ela não se cansava e ele começou a gostar de ter essa companheira na maratona. Com os perigos da parte mais difícil da corrida, Dion sabia que aquelas patas não seriam capazes de atravessar o deserto, e assim, no final de um dos dias da corrida, fez alguns arranjos para que ela fosse levada para o ponto seguinte.


Até o final da corrida, Dion sabia que não podia deixar Gobi, para qualquer destino que ali a aguardava. No final da ultramaratona ele se saiu muito bem e se apaixonou pela cachorrinha cor de areia e jurou levá-la com ele para a Escócia. Isso, ele aprendeu que seria mais fácil dizer do que fazer: haviam milhares de papeladas, todos os tipos de testes, quarentena e vários passeios de avião – mas essa com certeza não seria a parte mais difícil.

Sua esposa Lucja o apoiava para trazer Gobi para casa, assim como aqueles que têm acompanhado Gobi nos noticiários. O dinheiro é levantado, mas isso com certeza não foi o fim. Aparentemente, alguém queria lucrar com a busca de Dion para levar sua cachorrinha para casa. E outras pessoas não queriam Gobi por perto. 

O que eu posso te dizer é que Dion Leonard tinha pouco interesse além da corrida, mas não apenas correndo – ganhando. No final, a corrida foi relegada a uma parte de sua vida e a esperança, resiliência e amizade ficaram em primeiro lugar. Tudo por causa de Gobi.


O livro para mim foi incontrolável. É uma grande viagem de descoberta, um acordo com seu passado difícil para Dion, um passado que é perfeitamente introduzido e explorado sem problemas ao longo do livro.

Na jornada de Gobi e Dion, as coisas dão errado, as coisas dão certo, e o apoio de estranhos é o aquecimento do coração, não apenas para o leitor, mas para Leonard que finalmente começa a aceitar ajuda e apoio, e passa a perceber que as pessoas que cruzaram seu caminho têm os melhores interesses em seus corações.

Correr tem o poder de mudar sua vida de muitas maneiras, e a história de Dion é um ótimo exemplo disso - quem teria sabido que se candidatar a uma corrida levaria a essa aventura e se relacionar tão intimamente com um cachorro chinês perdido?

Como eu disse, lindamente escrito, o amor triunfa. Eu tenho uma cachorrinha, e mesmo que não tivesse, este livro teria me viciado. Foram três dias de leitura, lágrimas, alívio, lágrimas novamente, alívio... 


Este livro deve ser leitura obrigatória para escolas, faculdade e basicamente para todos. A mensagem é: continue, continue, apoie os outros e aceite o apoio, use a empatia que está em grande falta nesse mundo. Seja ambicioso, mas saiba como estar aberto aos outros. Mantenha seu caráter, em outras palavras.

Em suma se você é fã de histórias biográficas e verdadeiras, então esse livro é para você.  Corredores e não-corredores, e até mesmo aqueles que não são os maiores fãs de animais, eu os desafio a ler este livro e não ser tocado pela história (e, possivelmente, derramar várias lágrimas no final).

Brilhante – em um mundo de livros derivados, esse é um diamante. E para àqueles que adoram uma adaptação cinematográfica, a 20th Century Fox está negociando com a HarperCollins os direitos do livro, para essa adaptação se tornar um lindo filme!!!

FICHA TÉCNICA

Título: Procurando Gobi
Autor: Dion Leonard
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

11 comentários:

  1. Ahhhhhh eu já estou emocionada com a resenha. Que livro, Naty! É muito mais do que você citou em conversas. Dá pra sentir o quanto o livro é tocante, e é claro que esse irei ler. Resenha linda 😍

    ResponderExcluir
  2. Oi Natália,
    Se tem algo que me emociona são animais nas histórias.
    Minha amiga leu essa obra e gostou muito. Já está na minha lista!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oie Natália =)

    Só de ler a sua resenha já fiquei emocionada com a história <3
    Parece ser uma história linda e tocante, do tipo que deixa o nosso coração quentinho.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  4. Livros que tem animais geralmente sensibilizam o leitor. Parece ser uma história linda e que traz muitos questionamentos e aprendizados para quem lê. Com certeza emociona.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nat!
    Geralmente livros assim não fazem meu estilo, mas deve ser maravilhoso para outras pessoas, principalmente pra quem tem um animalzinho de estimação.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Adoro adaptações e só por essa razão eu leria o livro, porque por acaso não sou grande fã de livros com animais, esse parece ser interessante =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Oi, Natália
    É tão legal esses relatos sobre a amizade entre o homem e um animal que parece que deixam a vida mais pura e significativa. Eu nunca li um livro que tenha essa abordagem, mas eu entendo o apelo do autor em relação a Gobi. Eu tenho uma vira-lata que deu uma ninhada, e de repente, eu que nunca tinha gostado muito de cachorros, me vi chorando horrores quando um filhote se machucou. Acho que esses pequenos seres nos cativam tanto que nem percebemos.
    Beijos!
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Natália

    Eita que Hollywood adora um filme com um cachorro no meio. Rss
    Eu amo animais, só não tenho cachorro por falta de espaço e acho madade criar um bichinho ativo em um espaço pequeno, mas tenho um gatinho lindo e sapeca.
    Essa é uma leitura que eu não faria porque 1) não gosto de biografias e 2) histórias sobre animais não me comovem. Não derramarei uma lágrima com Marley e Eu, por exemplo. Sim, eu tenho coração, mas histórias com animais e bebês falantes realmente me dão nos nervos, acho que é trauma da sessão da tarde. Ahhahahaha
    Mas que bom que é um livro com tantas mensagens bacanas que te emocionaram.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Gostei da resenha. Me pareceu ser un livro sensível e tocante, sem falar que eu amo temáticas relacionadasaos pets. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, Natália.
    Eu não solicitei esse livro para a editora porque estou meio na correria com as resenhas. Mas eu também gosto muito de livros com cachorros, mesmo tendo só gatos hehe. Mas assim que der eu vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Oi Natália, tudo bem?

    Eu evito leituras que envolvem animais, porque sempre sofro com nossos amiguinhos, mas quero muito ler esse livro, principalmente por causa das partes do "alívio" e achar que termina tudo bem.
    Adorei a resenha.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir