Hippie [Resenha Literária]


Em sua vigésima obra, Paulo Coelho foi pelo caminho autobiográfico e em Hippie reviveu momentos de sua juventude, uma jornada espiritual, suas três prisões e torturas durante a ditadura militar, como compositor, ao lado de Raul Seixas, e em viagem pela América do Sul.

Em 1970 a juventude cabeluda, do amor livre, liberdade sexual, contra os padrões ocidentais e capitalistas que faziam parte do movimento hippie, que teve o festival de Woodstock como início. Dentro desse contexto acredito que muitos pensam no excesso de drogas, jovens sem grandes objetivos e na vergonha que deveriam sentir, pois bem, Paulo Coelho resolveu abrir suas reais experiências para o mundo e contribuir para que esse estereótipo seja derrubado.

Entre os jovens somos apresentados a Paulo, um brasileiro magricela, de cabelos compridos e cavanhaque, que quer escritor e assim, sai pelo mundo em busca de aventuras, conhecimento e espiritualidade. Ao chegar a Amsterdã, Paulo conhece Karla, irlandesa em busca de um companheiro para embarcar no Magic Bus em uma viagem até Kathmandu.


Ao longo da viagem as motivações e passado de outros personagens são apresentados de modo a se tornarem valiosas lições e reflexões para o leitor. Um dos motoristas do ônibus conta como viajou pela África em um fusca prestando auxílio médico a populações carentes, um ex-empresário francês embarca com sua filha, após uma experiência de quase morte, quando percebe que não existe amor em sua vida, Karla parte em busca de um amor divino, já que nunca encontrou amor em seus relacionamentos, e Paulo, em uma parada do Magic Bus em Istambul, decide seguir os ensinamentos do sufismo, uma doutrina do Islamismo.

Logo no começo o Paulo Coelho justifica a escolha de uma narrativa em terceira pessoa, o que acaba por permitir que os personagens tenham voz e pensamentos próprios. O autor traz grandes ensinamentos e lições espirituais, levando o leitor a refletir crenças, valores e repensar o modo de vida.


O movimento hippie foi muito mais que sexo livre e drogas, claro que o autor não escondeu essa parte do movimento, em alguns pontos comenta sobre as drogas que provou na época e na liberdade do corpo que presenciou. No entanto, a década de 1970 também tratou de uma juventude que não quis se calar e acomodar, buscou saída na arte e lutou por sua liberdade de expressão, contra a violência e censura da época, enxergando beleza e Deus nas pequenas coisas no caminho e agradecendo por cada raio sol que tocava na pele. 

O autor trouxe todo esse cenário para o momento atual, indo de encontro com os radicalismos e extremismos que presenciamos, de abrir as redes sociais nos deparamos com situações que comprovam um mundo polarizado, quando deveríamos nos preocupar em cuidar do próximo, em manter um diálogo saudável. 
Por um mundo finalmente livre da opressão
FICHA TÉCNICA

Título: Hippie
Autor: Paulo Coelho
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Rafaela Alves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. nao tem como essa capa psicodélica nao chamar a atenção né. eu li alguns títulos do paulo coelho na adolescência e confesso que nunca tinha ouvido falar nesse livro dele

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. A Companhia das Letras fez um ótimo trabalho de capa e diagramação no geral com as obras do Paulo Coelho, né!? Incrível como um bom trabalho assim consegue despertar atenção até daqueles que torciam o nariz para o autor.
    Eu já li muitos livros dele em minha adolescência. Não pretendia ler mais, confesso. Mas "Hippie" traz essa pegada autobiográfica que eu amo e, por isso, já quero muito ler, sim! <3

    Beijoooos

    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hey Rafa! Tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas o autor sei que é bastante conhecido.
    Achei a capa dele bem bonita apesar de não ter o costume de ler autobiografias.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!
    Um abraço,
    miiistoquente

    ~ Sorteio Junino ~
    Participando do Sorteio você estará concorrendo a:
    Kit 1 (Livro O Navio dos Mortos, Livro Transformando Suor em Ouro, Livro Cinquenta Tons Mais Escuros e Mangá K-On Vol. 1); e ao
    Kit 2 (Mangá Love Hina Vol. 1 e 2, e Mangá Hetalia Vol. 1 e 2).
    Serão dois ganhadores, não fique fora dessa!

    ResponderExcluir
  4. Paulo Coelho é d+! Teve uma vida super interessante e cheia de aventuras e nos passa essas experiências em todos os seus livros, adoro <3

    ResponderExcluir
  5. Oi, Rafa!
    Nunca li nada do Paulo Coelho, mas já li muitos comentários positivos. Adorei a capa meio psicodélica, mas o conteúdo não me chamou muito atenção.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rafaela

    Infelizmente nunca senti vontade de ler nada do autor. Gosto muito dessa capa toda hippie mesma e tão colorida, mas esse teor mais autobiográfico me deixa ainda mais sem vontade de ler.

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  7. Oi, Rafa! Tudo bom?
    Paulo Coelho, no passado, eu até lia. Hoje em dia vivo num grande 'nhé' pelas coisas que ele escrevem. Acho que um pouco do ranço da Bibs por ele passou pra mim :P UHASASUHASUHASUHAS
    Apesar dos pesares, a capa desse livro é MUITO LINDA!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Nossa, faz muito tempo que não leio um livro de Paulo Coelho! =O
    Vi todo o burburinho que essa nova publicação causou, mas não prestei muita atenção ao conteúdo do livro. Agora, com sua resenha entendi ser uma autobiografia. Interessante. Paulo Coelho é um ótimo contador de histórias =)
    Bjs

    http://livrelendo.blogspot.com

    ResponderExcluir