O Dia em que o Presidente Desapareceu [Resenha Literária]


O Dia em que o Presidente Desapareceu traz uma sinopse tão curta que tudo o que eu falar vai ser considerado spoiler, mas vou tentar tomar muito cuidado pra não escrever demais!! 

James Patterson produziu um thriller com um colaborador ainda mais famoso do que ele mesmo, Bill Clinton. O livro é uma história política de alto risco, risco em perspectiva que só se pode obter ocupando o Salão Oval

Nosso querido presidente se chama Jonathan Lincoln Duncan e está enfrentando o impeachment quando os leitores o conhecem pela primeira vez. O Presidente da Câmara está liderando a acusação contra Duncan, o qual quer claramente derrubar o presidente. Mas, por que isso acontece? O que Duncan fez de tão grave? No entanto, o Presidente tem preocupações muito maiores do que uma audiência iminente. Em questão de horas, os registros financeiros, legais e médicos do país serão apagados; o transporte e as redes elétricas irão falhar. Sem internet, sem Twitter, sem acesso a notícias falsas ou fotos bonitinhas, os Estados Unidos mergulharão na “Idade das Trevas”. E quem poderá impedir esse ataque, já que não é fácil para o presidente dos Estados Unidos sair da Casa Branca e espantar terroristas internacionais, particularmente com os congressistas querendo sua cabeça?


O comandante fictício de Clinton e Patterson transborda humanidade, caráter e estoicismo. Ele é um viúvo enlutado. A dor palpável do Presidente por sua Primeira Dama faz o leitor se perguntar se toda aventura imprudente na qual ele embarca é, pelo menos em parte, um desejo de morte. 

A história mostra as reviravoltas em capítulos curtos que exploram as motivações dos terroristas, assim como as do presidente e seu círculo íntimo. Os terroristas são a ameaça óbvia, mas o que é mais assustador é o potencial de adversários próximos de casa, àqueles que se escondem à vista ou fingem ser aliados, e o Presidente tem que considerar todos um traidor em potencial. 

Essas passagens servem como um dispositivo para amarrar a trama, realisticamente retrata as pessoas altruístas e muitas vezes sem nome que trabalham para o governo – e estão dispostas a perder a vida – porque são compelidas a servir sua nação. Ele explora a linha tênue entre lealdade e dever de um lado e ressentimento e tentação do outro que pode corromper até mesmo o mais honrado dos funcionários públicos, e brilha um holofote sobre o profundo compromisso dos adversários da América que tentam enfraquecer sua posição no mundo. 


Contado principalmente através da perspectiva do presidente, sentimos cada pedacinho de seu pânico, assim como a irritante calma de seus oponentes, que esbanjam arrogância enquanto conspiram para derrubar uma das superpotências mundiais e de alguma forma conseguem ficar um passo à frente do jogo, o tempo todo. O que não sentimos é o pânico em massa do povo americano, àqueles que são impotentes contra tal ataque e sofreriam mais, dando ao livro um ponto de vista limitado. 

A narração de histórias de Patterson, em ritmo acelerado, nunca desilude e se funde bem com a visão única de Clinton sobre os acontecimentos que colocam o medo no coração de um presidente, assim como os corações de líderes e nações do mundo todo. Para um thriller, há muitos momentos contemplativos de moralidade ao longo do livro. 


Combinando grande suspense e astúcia da guerra cibernética, Patterson e Clinton criaram um livro gigante que nunca pareceu mais relevante para os nossos tempos modernos. Definido em poucos dias muito tensos, utiliza o conhecimento privilegiado de Clinton, não apenas sobre o que é ser um presidente, mas também sobre os mecanismos internos de como a Casa Branca e Washington funcionam. 

E para os amantes das adaptações literárias tenho uma ótima notícia, os direitos do livro foram adquiridos pela Showtime, a qual tem planos para adaptá-lo para uma série dramática. Em breve teremos também essa história nas telinhas!! 

FICHA TÉCNICA

Titulo: O Dia em que o Presidente Desapareceu
Autor: Bill Clinton e James Patterson
Nota: 5/5
Onde comprar: Amazon


Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

11 comentários:

  1. Oi Natália, sua linda, tudo bem?
    Você me lembrou agora dos filmes que eu já vi com o cenário da Casa Branca e todos foram eletrizantes. Esse tipo de enredo dá muito emoção, pois é ação pura e sempre coloca os personagens à prova. Fora as intrigas. Nunca que iria imagina que Bill Clinton entrasse no mundo da ficção, mas achei a parceria perfeita pela grande experiência que ele tem e que pode compartilhar para tornar a história melhor. Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Natália!
    Recebemos esse livro pela editora Record, mas não é o tipo de leitura que eu curto. Apesar dos elogios que venho escutando e de ter curiosidade com a narrativa do James Patterson, acho que não vai entrar para a minha listinha - ainda mais por não estar lendo autores homens esse ano. Mas que bom que você curtiu o livro! Ele parece realmente agradar fãs do gênero.

    bjs
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse livro, mas achei a proposta bem interessante. Não é o tipo de livro que eu gostaria de ler mas eu recomendaria para os amigos.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/2018/07/resenha-do-livro-barraca-do-beijo-beeth.html

    ResponderExcluir
  4. Desde que foi lançado esse livro, me deu muita curiosidade de conhecer essa história.. Me da a impressão de ser muito interessante!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Natália
    Não sou nada fã de livros sobre política e provavelmente não leria esse, mas se saísse um filme, eu assistiria porque adoro histórias de ação que envolvem a Casa Branca, vai entender!
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Natália.
    Sempre que vejo o nome do James junto com outro autor já fico achando que não foi ele que escreveu e só "emprestou" sua fama para a pessoa. Mas aqui fiquei na dúvida hehe. Achei o enredo interessante e se der vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Natália, tudo bem?
    Enquanto ia lendo sua resenha, ia conseguindo visualizar claramente um filme daqueles bons de ação sobre a casa branca. E ao final quando informa que vai se tornar uma série, só fez confirmar a minha impressão. Acho que tem tudo para ser uma série de sucesso.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi sua linda!! Eu sabia que poderia ler a resenha sem medo de spoilers (você arrasa muito mulher) e fiquei assim, louca pra abrir o livro nesse momento. Não sabia sobre a adaptação, mas mesmo sem ter lido, não me surpreendi. James e Bill só poderia ser sucesso.
    Beijinhos sua lindona.

    ResponderExcluir
  9. Oie Natália =)

    Tenho um sério problema com os livros do James Patterson rs... sempre fico na dúvida se foi ele mesmo que escreveu ou foi um ghost writer e ele só assinou a obra. Sério, não consigo acreditar que o autor que escreveu uma história tão linda e comovendo como as Cartas de Suzana para Nicolas, escreveu a série Bruxos e Bruxas rs... Não dá para acreditar.

    Então podem me chamar de chata, e falar que estou julgando o livro pelo autor, mas quando vejo no nome James Patterson na capa desisto na hora. Peguei trauma XDD

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Natália!
    Menina, assim... eu achei que a série teve uma pegada de Designated Survivor, mas fiquei bem interessada na história.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  11. Oi
    segunda resenha que leio desse livro e já estou mega curiosa, que bom que gostou. Já li livros do James e sei que ele possui uma boa escrita, então já da para ter expectativas.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir