O Rei das Cinzas [Resenha Literária]


Raymond Feist não só lançou um novo livro, mas também é o começo de uma nova série. Com um cenário totalmente novo, O Rei das Cinzas é o primeiro romance da Saga dos Jubardentes, que acontece no mundo de Garn, e nos dá uma amostra de uma grande fantasia que está por vir. 

Esse novo mundo vai corresponder a quantos livros? Quantos anos de histórias irão se passar? Veremos.

A introdução inicial a esse novo mundo e feroz vêm na forma de traição e tristeza. Uma sombra se instalou sobre o mundo outrora pacífico, uma escuridão que se origina da ganância do homem. E embora estejamos chocados com a história enquanto ela se desenrola, é apenas o palco para uma história maior. Uma que se desdobra muito lentamente, surpreendendo não apenas o leitor, mas também chocando os personagens.


Três contos primários se desenrolam diante de nós. Um é de uma pessoa simples, mas muito habilidosa, Declan. Ele alcançou muitas habilidades que poucos podem reivindicar, aperfeiçoando seu ofício e se tornando um mestre. Um homem sem uma história verdadeira para recordar, buscando seu futuro longe de casa. Declan, não é muito viajado, seu conhecimento do mundo além de sua aldeia é superficial e vem de transeuntes e amigos. No entanto, ele vê o seu futuro no horizonte. Quem ele é e o que ele será, ainda não foi descoberto. Sua história, como a do próximo protagonista, ainda é um mistério.

O segundo enredo é baseado em torno de um jovem de cabelos ruivos chamado Hatu, um jovem que está treinando em uma escola dedicada a criar criminosos perfeitos. Esses membros do reino da noite não apenas administram as empresas criminosas ao redor do mundo, mas também lidam com a maioria dos assassinatos, tornando-os não só muito procurados, mas também temidos por pessoas de todas as esferas da vida. Mas há camadas da sociedade que Hatu está descobrindo, sua curiosidade natural e inteligência o conduzem por caminhos perigosos que põe em perigo mais do que apenas sua vida.

Daylon Dumarch é um outro grande personagem, intrigante seria a palavra perfeita para defini-lo, já que ele está jogando um longo jogo. Agora que os vários tópicos da história convergiram em seu baronato, ninguém sabe o que acontecerá a seguir. O Rei das Cinzas consegue preparar o palco maravilhosamente para mais, e fiquei muito curiosa para ver onde Feist vai levar as coisas nessa sequência. 

Essa história é apenas uma gota no balde; do prólogo ao capítulo final, este livro é sobre começos. 


O desenvolvimento é contínuo, criando suspense e alimentando a curiosidade do leitor. Provocações, tribulações, amor, raiva. Tudo isso é englobado por uma necessidade abrangente de descobrir exatamente o papel que todos desempenham nessa fantasia épica. Mas, como acontece com todas as coisas, a paciência é necessária, pois este é apenas o primeiro livro e ainda há muito a revelar. 

Aguardo ansiosamente o próximo livro da série. Impacientemente. A verdadeira magia neste livro não é a trama que avança cheia de reviravoltas, tecendo uma tapeçaria de intrigas e maravilhas, mas sim o próprio mundo. A única coisa que sempre fez Feist ficar acima com seus livros é a sua habilidade de criar um plano de fundo tão detalhado, tão aparentemente real, que parece que você está andando ao lado dos personagens, experimentando tudo o que eles fazem. As pessoas, as cidades, até a comida e a bebida ganham vida quando ele escreve.

De que outra forma um mundo poderia suportar uma miríade de histórias e personagens repletos de personalidades que ecoam através das décadas? Porque não se enganem, Feist é capaz de nos fazer lembrar pra sempre das histórias dele.


O livro realmente me surpreendeu. Muitas vezes é difícil se conectar a um novo mundo quando um autor de longa data os apresenta. Mas isso foi como voltar pra casa. O estilo da escrita é mais refinado do que em seus primeiros livros, mas o talento permanece. A energia que flui de uma página pra outra é quase palpável. Ela envolve o leitor em um nível cerebral, mas tecido dentro desta frases bem trabalhadas e uma paixão que conecta o autor ao leitor, permitindo-nos ver sua visão, embora cada um em seu próprio caminho. 

Não apenas eu recomendo esse livro de todo o coração, mas também planejo encorajar muitos amigos a lerem essa história. Espero que gostem dela e de todas as sequências que estão por vir. Não tenho dúvidas que irão exceder minhas expectativas. 

Os livros da HarperCollins sempre nos trazem edições incríveis, a diagramação e a revisão das palavras estão perfeitas, e principalmente, existe no início um mapa que nos dá uma real dimensão deste novo mundo que está sendo revelado! 

FICHA TÉCNICA

Titulo: O Rei das Cinzas
Autor: Raymond Feist
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Oi, Nat!
    Menina, eu até queria ler esse livro, mas descobri que ele tem umas 500 páginas! No momento, não rola calhamaço não...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi, Natália
    Eu vi várias resenhas da obra por aí mas essa é definitivamente a primeira que leio. De cara me lembrou Game of Thrones e Corte de espinhos e rosas, claro, com suas próprias diferenças, mas é só falar em reino que penso nisso. Eu amei o trabalho da edição, não sei se leria mas está tão cotado e o autor também que é sempre bom deixar na lista.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Natália. Eu gosto de livros de fantasia, mas tenho lido pouco nos últimos tempos e sentido dificuldade de me conectar com os personagens e me sentir integrada ao ambiente. Confesso que esse tipo de série/saga/trilogia que demora a acontecer, onde os livros introdutórios são lentos e muito descritivos não chamam muito a minha atenção, mas saber que o livro está sendo tão bem indicado e tão exaltado por ti me deixou curiosa sobre a história.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  5. Fiquei tão apaixonada pela capa desse livro, parece ser mágica. Por ele ter te surpreendido fiquei bem entusiasmada para conhecer. Obrigada por compartilhar!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Ola Natalia! Tudo bem?
    Nossa, mas que resenha foi essa? Me deixou roendo as unhas aqui para saber mais! Eu amo esse gênero e tem tudo que eu gosto!’ Como não conhecia antes??
    Beeijo

    http://lecaferouge.blogspot.com/

    ResponderExcluir