Extinção [Resenha do Filme]


Extinção, um dos novos lançamentos da Netflix, é um filme muito interessante e uma instigante ficção científica, sendo mais do que um longa de invasão alienígena dos que estamos acostumados a ver. Com bons temas é possível perceber ao longo do roteiro muitos elementos retirados da literatura de Philip K. Dick, principalmente tendo o personagem principal Peter (Michael Peña) experimentando sonhos paranoicos/visões de uma invasão iminente, que pode ou não estar ocorrendo apenas em sua cabeça.

Dirigido por Ben Young, Extinção é centrado em um engenheiro chamado Peter (Peña) e seus sonhos perturbadores. Muitas vezes retratando uma espécie de guerra, com pessoas sendo baleadas nas ruas por uma força invisível, suas noites nunca são pacíficas. Com o tempo, a falta de sono de Peter começa a afetar sua vida; ele sofre de apagões, afasta seus amigos e aparentemente negligencia sua família. Eventualmente, a pedido de sua esposa Alice (Lizzy Caplan), o protagonista faz uma consulta em uma clínica próxima. A ideia era ir falar com um profissional na esperança de se livrar dos pesadelos. Infelizmente, as coisas não ocorrem como planejado.


Em termos de filmes da Netflix Sci-Fi, este é de longe o melhor que eles desenvolveram. O filme tenta fazer as perguntas habituais encontradas no gênero: o que significa ser humano? Estamos verdadeiramente sozinhos? E se não, alienígenas são inerentemente hostis? Eles têm um ponto de vista? Os sonhos são apenas memórias esquecidas? Existem alguns temas realmente interessantes que são explorados durante o filme, a maioria dos quais ocorre durante a segunda metade.

A segunda parte do filme se torna muito envolvente, e faz o que a ficção científica tem de melhor: trazer questões filosóficas profundas. E, embora a revelação do filme possa ser um pouco previsível para os veteranos do gênero, há algumas reviravoltas na história que dão corpo ao filme e dão a ele uma voz única entre seus pares.

O filme é salvo principalmente pelo seu tratamento minimalista e uma reviravolta interessante que é prefigurada por toda parte. Um cenário obscuro que faz com que o público questione o período de tempo do longa, as semelhanças nas roupas de todo mundo, a iluminação estranha durante o dia - a normalidade da Extinção nos trás uma vibração desconfortável. As coisas parecem normais, mas o público sabe que algo não está certo. Essa sutileza mantém os momentos lentos de serem completamente chatos, e isso muda definitivamente quando as lutas começam.


A reviravolta do filme não é apenas um gancho afiado, mas oferece uma complexidade moral, bem como uma profunda empatia por personagens de ambos os lados da divisão. O longa surgiu de um roteiro inicial de Spenser Cohen e Brad Kane, que foi então retrabalhado pelo roteirista de primeira linha Eric Heisserer. Vale a pena conferir.

FICHA TÉCNICA

Título: Extinção
Título Original: Extinction
Diretor: Ben Young
Data do Lançamento: 27 de julho de 2018 
Nota: 4/5
Netflix

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Oi Natália!
    Cara, eu não gostei desse filme, rs
    Não prendeu a minha atenção, não curti muito as atuações e os efeitos... O plot twist é super legal, mas não achei que o resto do filme seguiu à altura, uma pena =/
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Natália,
    Eu não assisti ao filme ainda, acho que prefiro os romances água com açúcar mesmo, rs.
    E confesso que não tive boas recomendações de amigos.
    Acho que vou deixar passar... mas para fãs do gênero, deve ser bom!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Natália!
    Não tenho muito o hábito de assistir filmes, especialmente nesse gênero. Mas até que gosto de filmes assim que trazem boas perguntas, sabe. Fiquei interessada! Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  4. Naty!!! Resenha incrível! Estou apaixonada pela literatura de Philip, e confesso que quando citou o nome na resenha já tive certeza que precisaria assistir.
    Vou ver logo!
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  5. To doira para ver esse filme! E sabendo que tem uma pegada das ideias de Dick, já quero ver mais ainda! ^^

    Mundinho da Hanna

    ResponderExcluir
  6. Oi Natália,

    Meu marido assistiu o filme e acabou não curtindo, uma pena.
    Confesso que a premissa não me atrai tanto a ponto de ver.
    Fica para a próxima.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  7. Oi, Natália

    Eu olho pra cara desse ator e só sinto vontade de rir. Culpe a Marvel.
    Eu não assistiria ao filme porque não gosto do gênero, mas que bom que você curtiu!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Apesar de eu não ser fã do gênero, sabe que fiquei a fim de assistir esse filme? Parece bem bacana!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir