Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre [Resenha Literária]


Quem já leu algum livro da Sophie Kinsella sabe que ela garante uma leitura interessante e divertida, com personagens carismáticos, inteligentes, mulheres quase reais vestidas de pura fantasia e histórias com grande conteúdo para análise de comportamento. Desta vez em Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre não é diferente. 

Mais uma protagonista mulher! Sylvie que vive um casamento feliz e estável com Dan, eles têm duas filhas gêmeas Anna e Tessa, uma casa, bons empregos e uma excelente saúde que pode garantir a eles mais 68 anos de um sólido casamento. É aí que entra o problema. Após irem ao médico e fazerem um check up completo, eles descobrem que podem viver muitos e muitos anos, 68 anos talvez, juntos, e é muito tempo. Muito tempo para se viver com uma só pessoa em um casamento, mesmo que perfeito, feliz. Isso assusta muito os dois que passam a ver a vida à longo prazo e contar os minutos que faltam para os 68 anos chegarem ao fim. Sylvie então propõe que eles façam surpresas um ao outro e apesar de seus planos bem elaborados a coisa toda não sai muito bem do jeito que ela planejava. 


Com o emprego ameaçado e o casamento condenado a cair na rotina de 68 longos anos, Sylvie ainda tem que lidar com a morte repentina do pai que, tendo sido uma pessoa bonita e extremamente carismática, levou-a a ficar em estado de choque com seu falecimento. Seu pai está muitas vezes presente em memória nos encontros da família de Sylvie com sua mãe, ele é sempre lembrado e citado e isso gera ressentimento em Dan e ela não sabe o que tanto o incomoda, até que ela descobre que ele está guardando algum segredo e começa a investigar Dan até chegar à verdade.

Enquanto Sylvie tem que lidar com a possibilidade do marido estar tendo um caso com uma velha namorada, ela tem encontros delicados com vizinhos, divide suas dúvidas com sua melhor amiga, procura surpreender o marido e superar a ausência do pai.

O livro não é apenas um mero romance. Não achei que este é o melhor livro de Kinsella, até achei ele o mais fraco, mas talvez o fato da história mostrar a transformação da personagem de filha para mulher tenha sido o motivo. No entanto, Sylvie é ótima e apesar de tudo, o livro traz bons motivos para se refletir sobre como enxergamos as pessoas e como elas realmente são. Muitas pessoas são criadas por nós, jamais existiram, só são fruto da nossa vontade e imaginação. 


Muitos relacionamentos já nascem do nosso desejo do que podem significar, ao invés do que realmente são e pensar em um futuro junto ao marido por tantos anos pode servir para se conhecer melhor também. Vale a reflexão e a diversão porque Sophie Kinsella é ótima em diálogos interessantes e referências bem humoradas.

FICHA TÉCNICA

Título: Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre
Autora: Sophie Kinsella
Editora Record/ Grupo Editorial Record
Nota:4/5
Onde Comprar: Amazon

 

Marise Ferreira
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

11 comentários:

  1. Oi, Marise! Tudo bom?
    Eu vi esse livro entre os lançamentos, mas acabou que mesmo com a premissa sendo tão simpática, não estava no meu momento pra uma leitura do tipo.
    Gosto muito quando o foco da narrativa é na evolução da personagem; quando é nítido e questionador nesse ponto, principalmente, torna a leitura bem interessante.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marise
    Eu gosto da premissa quando vi no lançamento mas não comprei por causa do preço. Vi outras resenhas que falam que não é de longe o melhor livro da autora, mas gostei dessa pegada de relacionamento, gosto de questões familiares e se bem trabalhadas, dá ótimas histórias.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Marise, td bem?
    Gostei da sinopse, ótima resenha
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  4. Oi Marise. Eu li um livro da Sophie Kinsella que, com certeza, me garantiu boas risadas e uma leitura muito agradável. Não tenho conhecimento sobre o estilo de narrativa e histórias criadas pela autora, pois só li um livro dela, mas pelo que vejo nas diversas publicações a parte da comédia é muito presente. Acredito que nesse livro a construção dos personagens e do enredo fuja um pouco desse elemento presente nos outros livros e deve ser bem interessante para os fãs da autora acompanharem essa mudança.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Amei sua resenha, ela fez uma escolha muito certa na capa do livro, só de ver ela já ficamos curiosos para conhecer. E mesmo não sendo a melhor história da autora, acho que vale a pena conhecer.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Mesmo esse livro não sendo o melhor da autora, é muito interessante a proposta da história.. quem sabe mais futuramente eu tente ler para ver o que acho..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oiii Marise

    Eu quase comprei esse livro, mas fiquei com o pé atrás por conta de muita resenha negativa que tinha lido, acho que todo mundo meio que concorda que não é o melhor da Kinsella. Ainda assim, quem sabe futuramente eu me arrisco em conhecer essa história, tem algo que me chama a atenção.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, Marise.
    Eu gosto muito dos livros da autora, já gostei mais do que gosto hoje em dia, mas ainda assim vou querer ler. Achei que ela deu uma caída nos últimos livros, mas mesmo assim ela ainda é melhor que muitas autoras do gênero. Gosto de como ela usa a comédia para mostrar coisas importantes. Assim que der vou ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi Marise, tudo bem?
    Eu acho a premissa desse livro muito interessante, tenho muita vontade de ler esse livro. Adorei a resenha, espero ter oportunidade de refletir com a autora!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marise

    Coincidentemente acabei de postar a resenha do mesmo livro e nossa opinião foi bem distinta.
    Eu não gostei nadica do livro, achei bem sem propósito e não vi nenhum amadurecimento, infelizmente.
    Fiquei até bem desanimada para ler outros títulos da autora.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Marise!
    Eu comecei a ler o livro, mas acabei deixando para passar outros na frente, pois eram um tipo de emergência literária hahaha Mesmo sabendo que não é o melhor da autora, espero poder me surpreender com ele e gostar bastante!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir