A parte que falta [Resenha Literária]


Depois que a Youtuber Jout Jout apresentou A parte que falta em seu canal, o livro começou a ficar bastante popular e despertou a minha curiosidade. Já sabia que seria uma leitura simples e ao mesmo tempo tocante, só não esperava ficar bastante tempo em cada página pensando sobre o quanto projetamos a nossa felicidade nos outros.

Com um traço simples, Shel Silverstein mostra um círculo com realmente uma parte que falta e esse protagonista que até parecia ser feliz, está sempre em busca da tal parte que faltava. Ele apreciava a natureza e pequenas coisas, vivia algumas aventuras e tentava continuamente encontrar essa parte. E encontrou várias, mas a primeira diz claramente que é autossuficiente que não precisava de ninguém, a segunda pequena demais, a terceira grande demais e quando se encaixava, o protagonista não conseguia segurar forte o bastante ou bastante demais para quebrar. Exatamente como em alguns relacionamentos, perfeitos, mas rápidos e passageiros e outros intensos demais para sobreviver.


Até que enfim, o personagem encontra a parte que faltava, mas seria então o suficiente para ser feliz? Será que ter alguém perfeito é o bastante para nos satisfazer? Será que ser feliz é somente preencher os vazios? A vida é só isso mesmo?

E assim com pouquíssimos desenhos, sem quase nenhuma ambientação, Shel Silverstein nos faz questionar sobre os nossos vazios, sobre a importância de nos amar antes de tudo, de valorizar pequenos momentos e de saber aproveitar a vida com a parte que nos falta e sem ela também.


A parte escrita da história é ritmada, como versos simples, fácil para qualquer criança ler e compreender, mas o livro é indicado para todas as idades. Muito provavelmente cada leitor terá uma interpretação de cada passagem o que só torna a obra ainda mais rica!


Sobre o autor: Sheldon Allain Silverstein nasceu em 1930, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. Em 1961, estreou com o romance Uncle Shelby’s ABZ Book, que despertou a curiosidade de um editor de livros infantis. Dois anos depois, Silverstein lançaria sua primeira publicação para crianças, Leocádio, o leão que mandava bala. Desde então, não parou de escrever. Muitos de seus livros foram traduzidos em dezenas de países.

FICHA TÉCNICA

Título: A parte que falta
Ator: Sheldon Silverstein
Nota 5/5
Onde Comprar: Amazon

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. gente que sacada desse livro né! eu chorei assistindo a video que a jout jout fez mostrando, é sensacional!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi, tudo bem? Adoro livros que levam o leitor à reflexão e o autor merece aplausos por fazer com que o leitor experiente essa leitura imersiva em um livro escrito de forma tão simples, totalmente desprovido de qualquer forma apelativa.
    Dica anotada!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Já quero esse livro pra ontem, vivi muito tempo colocando todas as minhas expectativas nas pessoas e isso afeta vários fatores da nossa vida. Amei ver que ele trás essa reflexão!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Michele.
    Eu não li o livro, só vi o vídeo e amei. Acho que como toda obra voltada para o publico infantil, ele traz uma mensagem muito significativa para os adultos. E acho que todos deveriam tomar conhecimento dele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Mi, tudo bem?
    Que bacana o livro, gostei bastante da dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Oi Michele, tudo bem?
    Achei a proposta do livro interessante. A mensagem com certeza vai cativar não só as crianças, mas os adultos também.

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Conheci esse livrinho através das várias pessoas que viram no canal da Jout Jout. Achei bem bonitinho, assim como a sua continuação, mas achei um pouco exagerado todo esse alvoroço em cima do livro XD

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi!
    Eu nem vou mentir que sofri pacas quando vi a resenha da Jout Jout. Eu quase chorei com ela. E esse livro e lindo e tao verdadeiro. Apesar de infantil, as mensagens nele sao tao fortes e tocam tanto. Eu pelo menos me identifiquei. Fiquei tao surtado que acabei revendo o video dela pra ler e ler de novo. Ainda nao tenho o fisico, mas ta marcado nos desejados sem duvidas.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com

    ResponderExcluir