Elite [Resenha da série]


Se você procura uma série rápida, marcante e com pessoas com sentimentos profundos, sugiro Elite, a nova aposta da Netflix!

Depois de um problema na escola que frequentam, três alunos do ensino público são transferidos para uma escola particular, a mais rica e exclusiva na Espanha, onde os filhos da Elite estudam. O choque entre os menos favorecidos e àqueles que têm de tudo culmina em um assassinato e grande parte da temporada é sobre o atrito entre suas culturas. Agora a pergunta principal: quem está por trás do crime?

A série traz à tona outras séries, Riverdale por seu ritmo e seus adolescentes extremamente atraentes, que não se dão bem, e Gossip Girl por motivos semelhantes. Também lembrará de Big Little Lies, em grande parte por sua estrutura, que inclui cenas de flashbacks onde um policial interroga todos os personagens principais sobre um assassinato. A série lembra também How to Get Away With Murder por caminhar entre presente e passado, e por outro ponto que fica bem claro durante sua trajetória!! 


Elite cutuca os pontos culturais sensíveis, como adolescentes gays, doenças sexualmente transmissíveis, racismo e corrupção. Mas ao tocar nesses assuntos fornece mais combustível para o seu emaranhado de estudantes no ensino médio, que continuam se apaixonando pelas pessoas erradas, decepcionando seus pais, se divertindo demais e fazendo escolhas terríveis que você simplesmente sabe que eles não podem evitar. E se grande parte da produção da série vier da divisão entre os ricos e os pobres, sua mensagem subjacente é de igualdade.

Parte do motivo pelo qual Elite funciona tão bem é que ela começa com tipos de caracteres reconhecíveis e clichês, mas não demora muito para que eles se transformem em criações mais idiossincráticas. Ambos os lados dessa equação são cruciais para seu sucesso. A Elite precisa que essas crianças comecem como representantes de toda uma classe abstrata de pessoas, de modo que possam rapidamente incorporar as tensões narrativas de seus papéis como uma forma abreviada. Há Nadia, a bolsista que usa um hijab e é forçada a tirá-lo durante a escola. Há Guzmán, o bonitão e ultra privilegiado garoto alfa que pode até ficar um pouco triste. Há Lu, a vilã mega rica e esnobe que sempre tem que seguir seu próprio caminho.


No entanto, Elite é ainda melhor do que eu esperava porque leva esses tipos e lhes dá mais vida interna. Isso é particularmente verdadeiro para Marina, que é rica, trágica e simpática e também está longe de ser angelical, e Christian, um garoto que tem bolsa de estudos que é pego em uma aposta no ensino médio para envergonhá-lo, mas de alguma forma se transforma em uma relação tríade surpreendentemente funcional entre ele e um dos casais de ouro mais privilegiados da escola. Esse desenvolvimento de personagem nuançado é um pouco menos verdadeiro para Samuel, o último dos três alunos que têm bolsa de estudos, que passa a maior parte da temporada tentando ser o cara legal em inúmeras situações impossíveis, e que muitas vezes não tem mais nada a dizer do que palavras clichês. Além disso, até o final da temporada, as coisas aceleram para um ritmo tão perigoso que seus poucos momentos de estupidez comparativa são facilmente perdoáveis.

A série não força novos limites na televisão, não é uma reinicialização de uma antiga série, e definitivamente não visa a experimentação intelectual. Apesar disso - ou mais provavelmente por causa disso! - seu compromisso com o melodrama vertiginoso é inegavelmente agradável.

Elite traz uma visão adulta para o drama adolescente tradicional, é diferente e introduzida com apostas altas, vale a pena dar uma chance aos primeiro oito episódios da série. A série obteve tanto sucesso que teve sua segunda temporada renovada para o próximo ano, com certeza veremos muito mais drama e mistério!! 

FICHA TÉCNICA

Título: Elite
Criadores: Carlos Montero e Dario Madrona
Data de lançamento: 05 de outubro de 2018
Nota: 4/5
Netflix 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oii, Natália.
    Tenho visto muitos comentários dessa série ultimamente, parece ser interessante.
    Estou com vontade de começar a assistir, só falta o tempo.

    Beijos! Dear Masen

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nat!
    Acabei de vir de um post que comentava sobre essa série. Por agora não tenho tanta vontade de assistir, mas quem sabe no futuro...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oi Natália!
    Apesar de ser uma mistura de várias outras, Elite é uma boa série, não dá pra negar! Mas tbm acho q podia ser melhor, por exemplo, se tivesse focado um pouco mais na investigação do crime que aconteceu.
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Natália.
    Acabei de ler uma resenha dessa série hehe. Eu assisti o primeiro episódio porque vi bastante gente falando que era parecido com rebelde, mas achei nada a ver. Gostei e fiquei curiosa para saber o que aconteceu no colégio por isso vou assistir os demais episódios assim que der.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi, Natália
    Eu gostei da série mas desgostei completamente da Marina, aff. Eu super shipei o Gusman e a Nadia mas no finalzinho meio que fiquei com dó da Lu, porque apesar dela ser uma vaca, ela é o tipo de pessoa que sofre pelo boy errado que nem a gente.
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Natalia

    Eu parei no quinto episódio e, apesar da previsibilidade, tô curtindo.
    Não terminei ainda, mas não sei o que eles vão inventar para a segunda temporada. Às vezes menos é mais.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  7. eu já assisti e ainda estou chocada com essa série kkkkk muito boa

    beijo
    Adoletas

    ResponderExcluir
  8. Hey lindeza!!! Sabe que quero? Hahaha estou precisando conectar na Netflix e ficar ali, sentada assistindo todas as dicas que me passou, como se não houvesse amanhã.
    Geralmente não curto nada com protagonistas adolescentes, mas fiquei curiosa.
    Beijos (você arrasa muito).

    ResponderExcluir