Millennium: A Garota na Teia de Aranha [Resenha do Filme]


Millennium: A Garota na Teia de Aranha é uma adaptação do quarto livro da saga Millenium, escrito por David Lagercrantz e publicado no Brasil pela editora Companhia das Letras. O longa se passa após os eventos de Os Homens que Não Amavam as Mulheres e acompanhamos a hacker e uma tanto justiceira, Lisbeth Salander (Claire Foy) em meio à uma teia de espionagem internacional e revivendo parte do seu passado.

Na sequência inicial do filme vemos Lisbeth criança fugindo do pai que abusava constantemente da sua irmã, Camilla (Sylvia Hoeks), que não foge com a protagonista e essa parte do passado é bastante traumática para a personagem. Lisbeth tem vários clientes relacionados à espionagem, mas é conhecida por ajudar mulheres a saírem dos abusos dos homens, como é bem mostrado no início do filme.


O cientista da computação Frans Balder (Stephen Merchant) cria um programa para que qualquer usuário possa ter acesso a bombas nucleares e Lisbeth é chamada para conseguir impedir que as informações cheguem às pessoas perigosas. A NSA (Agência de Segurança Americana) também está envolvida querendo ter o programa para impedir que outros países possam ter acesso a ele. E no meio de uma enorme caçada,  o jornalista Mikael Blomkvist (Sverrir Gudnason) volta a ajudar Lisbeth e temos Camilla querendo vingança da irmã.

O longa possui um enredo bem complexo envolvendo espionagem e corrupção, com um desenvolvimento bem lento, com muitas cenas sem diálogos, o que deixa o ritmo bem arrastado, salvo as cenas de lutas bem coreografadas e de ação. Blomkvist fica bastante avulso na história e a única personagem bem trabalhada de fato é Lisbeth. Seu passado tem um carga dramática bem forte e sua relação com August (Christopher Convery), filho de Balder é o ponto forte da trama. Confesso que esperava mais da personagem Camilla por toda a questão do trauma da infância, mas é um plot que ficou raso demais. 


Millennium: A Garota na Teia de Aranha é um ótimo filme com lutas, mas o ritmo devagar não funciona completamente na trama para o desenvolvimento dos personagens. No entanto, Claire Foy se sai muito bem na ação e a ambientação com cores frias ajudam a dar o tom melancólico que o filme propõe. Algumas cenas em que a protagonista é agredida são bem fortes e pra quem gosta de histórias com mulheres empoderadas com certeza verá potencial no filme que poderia ter sido melhor aprofundado.

Trailer:


FICHA TÉCNICA

Título: Millennium: A Garota na Teia de Aranha
Título Original: The Girl in the Spider’s Web: A New Dragon Tattoo Story
Diretor: Fede Alvarez
Data de lançamento: 08 de novembro de 2018
Nota: 3/5

*conferimos o filme na cabine de imprensa

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Esse filme tinha tudo para ser incrível, né? Uma pena que ele não seja assim..

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Michele, tudo bem?
    Já li alguns comentários sobre essa série de livros, mas nunca tive curiosidade de lê-la. Com relação ao filme, uma pena a trama não ter tido o desenvolvimento necessário, mas fiquei curiosa para conferir o acerto de contas entre Lisbeth e a irmã.

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Saudades da Rooney.
    Mas vou acabar assistindo porque gosto do trabalho do Fede.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Adorei sua resenha.
    Bom final de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mi!

    Não curti Millennium justamente por conta do ritmo parado, e por isso imagino que também não gostaria desse novo filme, mas fico feliz de saber que tirando o filme ser um pouco arrastado, o resto compensa!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Não conheço a trama, mas pelo que entendi, não é bem lá essas coisa né? Não segue muito meu estilo de filmes.

    www.coisasdepriscila.com
    Instagram l Beijo.
    Nos encontramos toda seg, qua e sex.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mi!
    Não sei por que não fizeram as continuações certinhas. Infelizmente eu não fiquei muito interessada nessa adaptação...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. OI Mi!!!

    Eu gostei tanto dos livros, não consigo entender porque eles não fizeram a continuação dos filmes em ordem!! Isso acabou deixando o interesse um pouco menor no filme!!

    Beijos
    Naty!!

    ResponderExcluir