Tudo acaba em festa [Resenha do Filme]


Tudo acaba em festa é um longa nacional do diretor André Pellenz bastante divertido que aborda um tema muito comum na vidas dos brasileiros: as festas de final de ano!

Vlad (Marcos Veras) se apaixona por Aline (Rosanne Mulholland), a nova secretária do dono da empresa em que trabalha, mas é um homem acomodado demais e depois de um tempo, Aline percebe que talvez o relacionamento não dê muito certo. Em crise no namoro, a empresa também não passa por um bom momento e é quando Vlad acaba sem querer responsável pela festa de fim de ano. O problema é que o protagonista nunca foi um bom funcionário e na empresa os setores se odeiam e Vlad terá a difícil missão de unir todos. E com a festa, o protagonista tem a oportunidade de mostrar a todos que é um cara responsável e convencer Aline a dar mais uma chance a ele. 

Seu chefe direto Sérgio (Victor Leal), fica com medo de perder uma promoção e sabota Vlad lhe dando a pior estagiária da lista da empresa, mas inacreditavelmente, a ingênua Priscilla (Giovanna Lancellotti) acaba ajudando bastante a convencer todos a participar da festa, mas não sem antes a dupla encontra alguns obstáculos.


Sem nenhuma apelação, o longa é bastante criativo e aborda muito bem o clima corporativo. As sabotagens no trabalho pela busca de promoção, as falsas amizades, falsas promessas, a necessidade de aguentar chefes egocêntricos e a dificuldade em muitas vezes em trabalhar em equipe são destaques na trama. Vald é um protagonista engraçado, ingênuo e imaturo. Não parece um homem certo para o cargo e muito mesmo responsável para se casar, o que incomoda bastante Aline. Vlad ainda mora com a mãe e vive na sombra do irmão que tem bastante sucesso profissional.

A jornada de Vald é bem divertida e apesar do estereótipo dos profissionais de cada setor, o filme tem piadas bem inteligentes e sarcásticas. Nelson Freitas como dono da empresa rouba a cena em vários momentos e como acontece em muitos lugares é só mais executivo preocupado com o próprio bolso mais do que qualquer outra coisa. Maria Clara Gueiros tem pouca participação, mas a cena em que aposenta os funcionários mais velhos é genial. Giovanna Lancellotti é sem dúvida o grande destaque do filme, usando o próprio sotaque caipira e incorpora bem a estagiária que trabalha muito e ganha quase nada. E apesar de Marcos Veras não ser um excelente narrador, parecendo que está lendo um texto e não contando uma história, sua atuação como protagonista não fica devendo em nada.


De forma perspicaz o diretor André Pellenz consegue montar as cenas da festa de um modo ágil, sendo o auge do longa. A trilha sonora é boa e as participações especiais também.

Tudo acaba em festa tem um tema comum, mas muito bem abordado e de fácil identificação. Inteligente e sem apelação, a comédia de modo despretensioso acaba divertindo bastante.

Trailer:


Conversei com Marcos Veras, Giovanna Lancellotti, Rosanne Mulholland e o diretor André Pellenz, confira abaixo as entrevistas


FICHA TÉCNICA

Título: Tudo acaba em festa
Diretor: André Pellanz
Data de lançamento: 15 de novembro de 2018
Nota: 4/5
Downtown Filmes / Paris Filmes

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oie Mi =)

    Ahhh! Esse filme é perfeito para eu assistir então rs... Afinal, pedi a conta da empresa onde estava trabalhando justamente por que o ambiente tóxico do lugar estava me deixando doente e agravando minhas crises de ansiedade.

    Voltei para a estáticas, mas agora tenho paz rs...

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  2. Legal saber que o filme não é ruim, porque às vezes as comédias nacionais abusam de mais e ficam chatas. Quero assistir esse :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. eu já to louca pra assistir rs, gosto de filmes nacionais com essa pegada mais leve

    beijo
    Adoletas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mi!
    É com esses filmes que a gente percebe que o brasileiro consegue sim fazer comédia sem apelação e baixaria. Fiquei bem interessada agora...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse filme, mas achei o enredo bem interessante e gostei muito da sua resenha. Fiquei com vontade de assistir sim, esse é o meu tipo de filme.
    Mil Beijos!
    https://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/2018/11/top-5-novidades-da-semana_16.html

    ResponderExcluir
  6. Oi
    fiquei interessada pelo que li no poste, assisti o trailer e dei até risada assistindo.
    Achei legal por falar no clima dentro das empresas, na que eu trabalho, somos divididos em equipes, de vez em quando tem umas discussões em uma das equipes,

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha. Parece ser uma boa comédia.
    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi!!

    Adoro filmes nacionais, e é melhor ainda ter ideia do que esperar, alguns às vezes apelam demais em algumas áreas, que acaba por ficar meio enjoativo. Adorei a resenha. E só fez crescer minha vontade de assistir o longa!!!

    Beijos
    Naty!!

    ResponderExcluir