Mulheres Que Amam Psicopatas [Resenha Literária]


Posso afirmar que a maioria das pessoas sente certa curiosidade a respeito da psicopatia. Eu mesma sou uma delas. Do meu ponto de vista, a psicopatia me atrai pelo fato de justificar crimes absurdos, que muitas vezes nem parecem ter acontecido na realidade. Parece ficção, mas infelizmente não é. Sabemos que é uma doença, e isso me assusta, pois, qualquer pessoa pode ser um psicopata. 

Temos vários livros, documentários, e até mesmo ficções, que abordam o transtornado. Por outro lado, os materiais que mostrem o lado da vítima; das pessoas que precisam ou precisaram conviver com um psicopata são raros.


Em Mulheres que Amam Psicopatas da autora Sandra L. Brown, a abordagem é justamente essa: da vítima, de quem entorna o doente.
Depois de décadas trabalhando com esses transtornos persistentes, adquiri uma nova compreensão do grau de devastação permanente que eles causam, não apenas para quem tem o transtorno, mas também para as pessoas que os cercam: familiares, companheiros, amigos, filhos, patrões e até mesmo psicoterapeutas. Percebi que esse tipo de patologia é, em muitos aspectos, um terreno improdutivo. O progresso feito pelas pessoas que sofrem desse transtorno é medido em milímetros, enquanto a devastação que elas deixam atrás de si é medida em quilômetros.
Sandra, que é psicóloga, mestre e doutora em diversos ramos da profissão; especialista em transtorno de humor grave em mulheres; e ainda mentora de vários projetos de programas de tratamento, ações e acolhimento para vítimas de violência doméstica e crianças em situação de risco; desenvolveu essa obra que funciona como um verdadeiro guia.

No livro, além de termos acesso a depoimentos reais de mulheres que foram vítimas de psicopatas; ainda nos é possível conhecer mais a fundo o transtorno, de forma a permitir uma maior facilidade em identificar possíveis psicopatas ao nosso redor.
Lembre, porém, de que um grande número de psicopatas nunca vão para a prisão.

Outra abordagem interessante que o livro traz, mesmo que de uma forma breve, é a respeito da natureza do psicopata. Afinal, sabemos que a psicopatia se manifesta desde a infância e é incurável.  Sandra retrata ainda os estudos sobre a carga genética e o cuidado que é preciso tomar com o desvio comum que poderá suceder entre os filhos de psicopatas. 
* Você nasceu assim.
* Você não nasceu assim, mas o seu ambiente o deixou assim.
* Você nasceu assim E o seu ambiente piorou as coisas.
É sabido que tanto homens quanto mulheres podem ser psicopatas, porém o livro em si evidencia a mulher como vítima; já que os dados apontam que estas são as maiores prejudicadas enquanto mães e esposas.
1. Será que amam psicopatas têm o mesmo “perfil”?
2. Será que existem fatores que contribuem para que as mulheres se relacionem com psicopatas?
3. Será que todas as dinâmicas de relacionamento com psicopatas são semelhantes?
4. Existe um efeito geral e previsível de sintomas quando o relacionamento termina?
5. Se existe, podemos usar essas informações para desenvolver uma abordagem de tratamento para a vítima e também promover Educação Pública sobre Psicopatia para todas as pessoas?
A leitura em si foi muito prazerosa e diferente de tudo que já li. Ao mesmo tempo em que terminamos o livro carregados de informações para a vida, ficamos completamente assustados do quanto a psicopatia é mais comum do que realmente imaginamos.


É um livro que todo adulto deveria ler para se informar. Para por um ponto final em todos os materiais que romantizam o transtorno. Para finalmente compreender o que leva uma pessoa a se envolver amorosamente com um(a) psicopata. E por fim, para entender que não importa a criação, seja em um ambiente repleto de amor ou num totalmente desestruturado, pode haver o desenvolvimento de um psicopata.

Mesmo com todas as terminologias da área, a leitura é de fácil compreensão e por ser um tema que me traz curiosidade; foi uma leitura rápida.

A leitura mudou completamente meu conceito, me alarmou para muitas decisões que pensava em tomar. Não irei entrar em detalhes, pois se trata de cunho pessoal, mas com certeza me tornei outra pessoa após esse livro.

A edição está bem feita, a fonte completamente confortável para leitura.  Recomendo!

FICHA TÉCNICA

Título: Mulheres Que Amam Psicopatas
Autora: Sandra L. Brown
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Bianca Gonçalves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O Que Tem Na Nossa Estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

11 comentários:

  1. Oie
    Que livro interessante, fiquei com muita vontade de ler. É o tipo de assunto que acho importante ler e se informar. Gostei de seus comentários e ressalvas. É um livro necessário.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, deve ser muito interessante mesmo esse livro, afinal, a gente nunca ouve o outro lado, e assim, podemos até compreender melhor o que se passa na cabeça das vítimas.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Fiquei louca para mergulhar em cada pedaço da obra. Já sou apaixonada pelo tema e com essa linha real, quase documental, fica ainda mais enriquecedor. Sinto esse mesmo encantamento e medo que você em relação à doença e acho que é um objeto de estudo dos mais complexos e interessantes para analisar aspectos outros da mente humana. Adorei!

    semquases.com

    ResponderExcluir
  4. Quase não lia nada sobre esse assunto até assistir YOU, ver o quanto mulheres romantizaram o Joe me fez perceber que ou o mundo está virado ou esse tipo de comportamento anda sendo tão comum a ponto de ser algo ''normal'', fiquei bem curiosa para conhecer esse livro!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Bianca! Nossa, quanta intensidade em uma leitura só. Eu acho o tema muito interessante, gostava de assistir séries que tratavam de psicopatas, mas sempre me deixavam amedrontada depois de assistir, sempre olhando para os lados e tentando encontrar um psicopata em qualquer canto, por isso entendi que não estavam sendo saudáveis e parei de assistir, mas esse livro realmente parece ser uma "leitura obrigatória", uma forma de conhecer, entender e se informar, se proteger também, quem sabe. Vou anotar a leitura e me preparar para não ficar tão impactada, ou tentar!
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Bianca,
    Que interessante!!! Não conhecia a obra e eu também me interesso por psicopatia, acho que seria uma leitura bem proveitosa para mim.
    beijo
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Bianca.
    Eu não conhecia esse livro ainda e mesmo não sendo ficção que é o que gosto de ler, me interessei por ele. Acho tão dificil reconhecer um psicopata, por isso acho que as pessoas se espantam tanto quando acontece algo do tipo. Se der vou ler o livro sim.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Oi Bianca!
    Muito interessante a proposta do livro!
    O titulo me fez lembrar uma conversa com uma amiga esses dias, ela dizendo que é apaixonada por psicopatas (na ficção) kkk
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Bia!
    Livro interessante demais. Sua resenha me fez lembrar que esses dias eu estava lendo sobre o Ted Bundy e, mesmo depois de julgado e preso, ele encantava as pessoas.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Oi, Bianca

    Achei a proposta do livro, que eu inclusive não conhecia, muito interessante. Eu também tenho um certo interesse pela psicopatia, em como os psicopatas pensam e também como a mente deles trabalha. Eu leria sim, viu. E também acho que todo adulto deveria ler.


    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Oi lindeza!!

    Que resenha! Que livro! Nem preciso dizer que quero ler né!! Gosto muito de livros com essa temática, e com uma leitura não tão complexa contribui com a divulgação de um problema muito grave relacionado ao comportamento humano. Quantos que ao ler livros como esse passam a ver que o psicopata pode dormir ao lado!!
    Já quero!!

    Beijos
    Naty!

    ResponderExcluir