Titãs [Resenha da série]


A série Titãs da DC Comics têm o direito de ser tão boa quanto é. Com um tom sombrio e um enredo cativante, a primeira temporada da série é um dos melhores shows de ação que vejo da DC em muito tempo e, sem dúvida, uma das melhores séries de super-heróis que foi lançada. Enquanto a série não tem muitos problemas em sua produção, uma mudança de direção no meio do caminho, não é o suficiente para diminuir a grandiosidade dela. O final com um enredo aberto deixa uma mensagem além, e se conseguirmos enxergar além dos personagens, Titãs valerão seu investimento de tempo.

Situado em Detroit, a história em si gira em torno de dois conflitos principais. Um, em torno da equipe disfuncional de heróis que se juntam para formar os próprios Titãs. O outro, em torno do passado obscuro do detetive Dick Grayson em Gotham e sua incapacidade de passar por ele. Começamos a série com o nosso recém-recrutado detetive encarregado de encontrar uma fugitiva chamada Rachel Roth. Capaz de empunhar uma energia impressionantemente escura, Rachel se confunde com Dick e, vendo semelhanças com sua própria infância, juntos eles partem para encontrar um refúgio seguro para ela.


Pelo menos, esta é a história da primeira metade da temporada. Depois de uma luta no meio da série, a segunda metade do show assume uma história apocalíptica muito mais ampla, mergulhando no passado de Kory, Dick e Rachel no processo. Este último causando um evento cataclísmico que fica pendurado em uma ponta de faca, pronto para a segunda temporada. Enquanto os 4 episódios finais perdem um pouco da intensidade e da narrativa que tornou a primeira metade tão cativante, há o suficiente para uma temporada muito impressionante de ação de super-heróis.

Há um tom deliciosamente sombrio percorrendo Titãs e muito disso é capturado com perfeição pelos conflitos de nossos personagens. A dupla personalidade de Rachel, lidar com um poder incontrolável com uma inocente ingenuidade, faz com que seja muito fácil ter empatia. Gar começa como alívio cômico leve, mas rapidamente se desenvolve em um adolescente muito mais arredondado e moralmente em conflito. A amnésia de Kory, juntamente com suas memórias lentamente começando a ressurgir, representam um dilema particularmente interessante para seu personagem, mas é Dick Grayson quem realmente brilha aqui.


Depois de sair de Gotham, as sombras de seu passado seguem o ex-ajudante em Detroit, onde Dick tenta se livrar da persona Robin que tomou conta de sua vida. Sua incapacidade de ultrapassar essa sombra constante ligando-o a Bruce Wayne o vê em desacordo com seu código moral durante toda a temporada. Isso realmente chega ao clímax durante o final, onde, sem revelar muito, Dick confronta seus demônios e fica cara a cara com eles; uma manifestação física das trevas com as quais ele tem lutado durante toda a série. 

A ação também é bem brutal, inspirando-se em algumas séries da Netflix para mostrar algumas lutas impressionantemente coreografadas. Embora a ação não seja tão violenta ou escandalosamente produzida quanto algumas das cenas de O Justiceiro, Titãs chegam perto de corresponder a esse nível de intensidade às vezes. Ver ossos quebrados ou homens queimando vivos realmente mostram o tom violento e maduro que atravessa a temporada e Titãs tira as luvas durante essas cenas. Ela se encaixa com o tom do show perfeitamente e, finalmente, ajuda a dar à eles uma vantagem sobre algumas das ofertas mais leves da DC na TV.


Com a história não resolvida e com muitos dos personagens na balança, será muito interessante ver em que direção Titãs entra na segunda temporada. No meio da temporada ela muda seu foco e a sensação é de um filme de super-heróis, mas há o suficiente para torná-la uma das melhores ofertas da DC. Repleto de violência, temas sombrios e personagens moralmente conflituosos, Titãs é uma das melhores ofertas de super-heróis na TV e, se destaca em um mar saturado de shows de super-heróis.

FICHA TÉCNICA

Título: Titãs 
Título Original: Titans
Criador: Greg Berlanti, Akiva Goldsman, Geoff Johns
Data de lançamento: 11 de janeiro de 2019
Nota: 5/5
Netflix

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Oi, Nat!
    Eu amei demais a série. Ela é a prova que a DC quando quer faz algo direito.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oii! Eu já tinha visto algo sobre a série, mas ainda não comecei a assistir. Eu tenho um pouco de receio com séries que abordam o tema de super heróis, porque poucas caíram no meu gosto, mas acho que vou ver alguns episódios dessa para ver se gosto.
    Beijos!


    Borboletra

    ResponderExcluir
  3. Oi
    eu adorei essa série, confesso que nos trailer não tinha tanto esperança, mas me surpreendeu, agora preciso da segunda temporada que vai demorar e ver mais do desenvolvimento desses personagens, gostei de ver sua opinião.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Aguardando a segunda temporada para ver o desenrolar da trama =D
    Mas estou curiosa mesmo é para ver Doom Patrol XD

    ResponderExcluir
  5. Oi Natália,
    Eu comecei a ver, mas não terminei.
    Na verdade, parei no primeiro episódio mesmo, porque não fiquei tão envolvida na história.
    Talvez eu dê outra chance, já que temos muitos elogios a série.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oii!
    Vi o trailer logo que lançou na Netflix e já quero assistir. Gosto muito de super-heróis, mas confesso que nenhuma série me prendeu até agora, espero que Titãs me prenda. Não sou muito fã de O justiceiro pela violência, não tenho estômago, bom saber que é menos intenso.
    Beijos!
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir