Rumo ao Sul [Resenha Literária]


“O oceano é Deus, mas também somos todos nós.”

Faz sentido que um livro sobre um pastor comece com uma inundação. Desde os dias de Noé, inundações, tempestades e chuvas que simplesmente não param, serviram de pano de fundo para todos os tipos de sermões e de todos os tipos de pregadores.

Em Rumo ao Sul - o romance assustadoramente belo e urgentemente necessário de Silas House - a vida de Asher Sharp é derrubada por uma inundação de proporções bíblicas. As águas se enfurecem quando uma tempestade transforma o rio perto de sua casa no Tennessee em uma força destrutiva. Na busca de um cão amado, Asher e seu filho, Justin, encontram um casal gay.

Jimmy e Stephen perderam tudo e estão em busca de abrigo. Lydia, esposa de Asher e uma mulher com convicções firmemente estabelecidas, sem vontade de mudá-las, não concorda com a situação. Eles podem precisar de ajuda, mas não há espaço para eles em sua residência. Embora ela não mude, esse momento decisivo muda muito sua vida. A decisão leva a um sermão com consequências para o emprego de Asher e uma ruptura em um casamento que já havia sido forçado ao seu limite.

Asher pregou muitas vezes, podemos imaginar, sobre o papel central do momento de decisão na vida de uma pessoa. E agora todos eles conseguem viver essa verdade. Na sequência da decisão, ele segue para o sul, o mais ao sul que ele pode ir, e se afasta do lugar, das pessoas e da igreja que ele conheceu e amou, em busca de algo novo e de uma situação que mudou toda sua vida.


Na realidade o livro conta uma história de estrada sobre um pai e um filho que fogem de forças e decisões que sabemos que inevitavelmente os pegarão. Tem as reviravoltas necessárias e os personagens adoráveis ​​cujas histórias os tornam aliados improváveis, mas ferozmente comprometidos.

Também faz parte do comentário social sobre a faca de dois gumes das mídias sociais. Um adolescente grava o sermão de Asher pedindo tolerância e aceitação aos gays, uma decisão que facilita a conexão com pessoas que lutam com a igreja e faz Asher imediatamente reconhecível em um momento em que a fama atrapalha sua causa.

Rumo ao Sul também narra uma discussão sobre a busca da santidade pela igreja - e se vem do policiamento vigilante que é permitido em uma comunidade de graça ou se é um chamado para abrir espaço para os anjos, mesmo quando eles aparecem em formas diferentes bem à sua frente. 

Mas não importa o quão longe você chegue das páginas de abertura do livro, ele é centrado no que acontece quando a inundação chega e o terreno muda. A força motriz da história de House é a descoberta de Asher de que, uma vez que a água diminui, o solo que ele achava ter sido construído por rochas é, na verdade, de areia.


Ele construiu sua vida, sua família e sua carreira com uma fé que era certa, uma fé onde as coisas eram pretas e brancas, onde havia certo e havia errado, e se ele queria experimentar a bênção de Deus era melhor se certificar que tinha feito as escolhas certas e vivia o caminho correto. No entanto, em uma estação reflexiva de discernimento que põe fim à sua vida e à vida daqueles que ele amava, ele percebe que tal fé não funciona mais - e se ele é honesto consigo mesmo, isso nunca aconteceu.

A verdade do livro é uma verdade que a maioria de nós conhece, mesmo que nunca tenhamos sobrevivido a uma inundação ou fugido de tudo o que pensávamos saber, poucas pessoas conseguem navegar pela vida sem sentir o deslocamento do solo pelo menos uma vez. É rara uma pessoa que não descobre que as coisas que ela supunha que fossem verdadeiras, eram na verdade uma ilusão mais cuidadosamente elaborada do que a realidade ancorada.

Esse é o dilema que enfrentamos quando as águas recuam. É a realidade que olha de volta quando o médico sai da sala. É a crise que não podemos evitar quando nos dizem que nossos serviços não são mais necessários.

No final, é a generosidade de House que se ancora mais ao sul. Existem personagens e pontos de vista aos quais seus leitores irão se apaixonar, e o autor aqui escreveu um livro desprovido de inimigos.

Essa é uma das muitas razões pelas quais Rumo ao Sul é um romance para o nosso momento. Numa época em que a generosidade parece escassa e todos podem parecer uma ameaça, o autor elaborou uma história que nos lembra as maneiras pelas quais a gentileza é o bálsamo que nossas almas feridas exigem.


Nós achamos que, se tivermos sorte, de olhar para o lado e termos alguém, a boa vida, ao que parece, estará atracada pela compaixão nascida da generosidade.
Não importa o que aconteça, jamais se deixe levar pelo ódio.” Implora Asher ao filho. “E acredite sempre. Faça de tudo para não perder isso.” – São bons conselhos, antes e depois da tempestade. 

Durante a leitura desse livro, milhares de emoções vieram à tona, e escrever essa resenha até hoje, com certeza foi uma das coisas mais difíceis. A Editora Faro tem o dom de nos presentear com livros que nos tiram de nossa zona de conforto e nos preenchem de sentimentos. A edição está lindíssima, sem erros e com uma apresentação impecável. E mais uma vez.. Obrigada por compartilhar histórias que nos fazem enxergar o mundo e ver o que realmente importa!

FICHA TÉCNICA

Titulo: Rumo ao Sul
Autor: Silas House
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

9 comentários:

  1. Oi Natália, tudo bem? Independente da crença acho que a literatura deveria se voltar a assuntos que permeia religiosidade. Atualmente o ser humano apresenta todos os traços de ter se perdido e acredito que a inserção de temas como religião possam ajudar na busca pelo caminho, pelo sentido da vida, por encontrar algumas razões naquilo que as pessoas não encontram mais razão de ser. Eu gosto de livros assim, acredito também que são leituras valiosas, mas que requerem dedicação por parte do leitor e persistência, porque podem se tornar um pouco cansativas, mas nem por isso perdem o seu valor.
    Beijos, Adri
    Espiral de Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Natalia,

    Apesar de não ser muito meu gênero de leitura, eu gostei muito da sua resenha e fiquei interessada na obra.
    Vou anotar o livro como dica com certeza.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  3. Oi, parece ser muito bom esse livro. Gostei muito do conteúdo que ele carrega, é um dos temas que gosto de ler.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oi Natalia, tudo bem?

    Curti muito essa sua resenha. Fiquei bastante interessado em ler e sentir um pouquinho de toda essa carga emocional que ele parece representar

    Abçs,
    https://www.bananices.com/

    ResponderExcluir
  6. Uau Natália, que resenha. Incrível a reflexão que esse livro trás, porque realmente, as vezes a realidade que a gente pensa que vive nem existe. Já anotei a dica, quero muito explorar a história!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Nat!
    Parece ser uma história linda e tocante, mas no momento não me despertou muito interesse...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Estou deixando este comentário para dizer que gostei bastante do que acebei de ler aqui neste artigo, inclusive já salvei até meu navegador em meus favoritos.
    Abraços Goias da Sorte

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Que resenha incrível! É realmente visível o quanto esse livro foi importante pra você, e acredito que seja realmente um tema muito importante para nossa sociedade atual. Ainda não o li, mas depois de sua resenha, eu pretendo!

    Bjus
    Início de Conversa

    ResponderExcluir