Godzilla 2 - O Rei dos Monstros [Resenha do Filme]


Depois do fraco Godzilla (1998) e do tosco reboot/refilmagem de 2014, Godzilla 2 - O Rei dos Monstros parecia, pelas imagens do trailer, ter evoluído e muito - mas infelizmente o resultado final foi um desastre.

O diretor Michael Dougherty (do bacana Krampus - O Terror do Natal) parece ter se deslumbrado com a oportunidade de dirigir uma superprodução e foi com muita sede ao pote. Com uma fotografia escura e de baixa definição, câmera trêmula e montagem acelerada, Godzilla 2 é um martírio do início ao fim. Com muito esforço, é possível entender de leve o que se passa na tela.

Godzilla 2 tem início 6 meses após o último filme, onde o casal Mark (Kyle Chandler) e Emma (Vera Farmiga) perde um de seus filhos. Enquanto isso, a agência criptozoológica Monarch é a responsável por manter o controle sobre outros monstros. Ao serem libertados, especialistas decidem acordar Godzilla para que ele detenha Ghidorah, um dragão tricéfalo alienígena que vai lutar por sua supremacia.


A narrativa descontrolada só se preocupa em arrebatar o espectador com seus excessos ao invés de contar uma boa estória. É um verdadeiro suplício de 2 horas e 11 minutos onde mal se vê as criaturas, mal se vê quem ataca o que e quem, aonde e quando, graças a uma fotografia pior do que a de Alien vs Predador 2 e uma direção de arte muito artificial.

Se as criaturas fossem melhor digitalizadas e mostradas em sua magnitude em cenas de lutas mais lentas e com menos cortes de cena, certamente o resultado final seria incrível e sua apreciação muito maior. O espetáculo visual quando bem feito até se sustenta num fio de estória, como aconteceu com Avatar, por exemplo.

O excesso de efeitos sonoros (nem dá pra julgar a edição de som, de tão frenética que é), também cansa não só pelo volume mas também pela mesmice - parece que gravaram uma manada de elefantes urrando de pavor e elevaram a máxima potência.


Nem a badalada atriz mirim Millie Bobby Brown (a Eleven de Stranger Things) consegue acrescentar alguma qualidade, já que nada aqui funciona. 

Resumindo, Godzilla 2 não agrada, não empolga e não satisfaz - apenas cansa e muito. Forte candidato ao Framboesa de Ouro do ano que vem, ainda traz uma cena pós crédito que não é surpresa pra ninguém - Godzilla irá em breve se degladiar com King Kong.

Que este erro seja reconhecido e que melhorem TUDO nessa sequência ou teremos certamente a pior trilogia da história do cinema.

Trailer: 


FICHA TÉCNICA

Título: Godzilla 2 - O Rei dos Monstros
Título Original: Godzilla: King of the Monsters 
Diretor: Michael Dougherty
Data de Lançamento: 30 de maio de 2019

*conferimos o filme na cabine de imprensa
Italo Morelli
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Olá, Italo

    Sempre acho filmes com monstros algo bem idiota, então não me surpreende o fato do filme ser o que é.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Italo,
    Eu nunca fui fã do Godzilla, mas se fosse assistir seria pela Millie Bobby Brown, rs.
    Agora, com tantas críticas que venho lendo, desisti mesmo.
    Não vai valer o investimento do ingresso, rs.
    beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ooi Italo
    A impressão que eu tenho é que a maioria desses filmes com teor mais de ficção sempre exageram muito nas cenas de impacto e não nos entrega bons argumentos. Eu passaria, é uma pena que a composição final não convenceu.
    Beijo!

    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Italo!
    Quando vi a diva Vera nesse filme, só pensei "é... todo mundo tem seus boletos pra pagar"
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha , como sempre Ítalo!

    ResponderExcluir